14 de abril de 2021

boliche.com.br

O mais completo desde abril de 1998

CELSO AZEVEDO, O TETRADECACAMPEÃO

5 min read
Celso Azevedo Tetradecacampeão

O paulista Celso Azevedo, nascido em 28 de setembro de 1965, conquistou um título nacional inédito no boliche.

Celso tornou-se Tetradecacampeão Brasileiro de Boliche em novembro de 2020.

Foi na quadragésima edição do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, disputado no boliche Aerotown no Rio de Janeiro.

Tetradecacampeão Brasileiro de Seleções com Nilson Wada, Marcelo Suartz, Eduardo Issa, Pedro Diniz e Igor Pizzoli
Os 14 títulos nacionais de Celso Azevedo como integrante da Seleção Paulista de Boliche

O Celso nos concedeu uma entrevista exclusiva, que segue abaixo:

O INÍCIO DA CARREIRA

– Desde criança sou sócio do ACRE (Associação Cultural Recreativa Esportiva), um clube tradicional da zona norte paulista, fundado em 1959.

– Meus pais, Edmundo e Terezinha, sempre jogaram boliche com os amigos lá no ACRE.

– Achei muito legal e comecei a jogar no clube com mais regularidade a partir dos dez anos de idade.

Acre Clube - SP
Vista aérea do Clube, localizado no Jardim França, zona norte paulista

Nessa época não sabia que tinha campeonatos fora do meu clube.

– No Acre Clube tinha competições internas, campeonatos individuais e olimpíadas bienais.

– A maioria das competições que disputei eu ganhei.

A gente jogava muito eventos, como Interclubes de boliche, por exemplo contra o Banespa e o Clube dos Oficiais.

Final individual do Interclubes 1985 no ACRE com Jandira Picollo

– Esse Interclubes em 1985 foi organizado pelo saudoso José Luiz Veiga, com a participação de vários atletas federados.

Na época a Jandira era Campeã Brasileira Individual e na  final master, fiquei em primeiro ao ganhar dela na final.

Eu tinha 20 anos e foi o meu “batismo” em um torneio oficial da federação.

A SEDUÇÃO DO STRIKE

– Quando descobri que havia competições oficiais com maior frequência, aumentou o meu interesse em jogar boliche.

– Um dia, meu tio Milton, que também era sócio do ACRE, convidou-me pra assistir a uma competição no boliche que havia no Shopping Morumbi.

O Boliche Morumbi foi o primeiro centro totalmente automático no Brasil, inaugurado em 1983 e fechado alguns anos depois.

– Nessa época não havia vídeos nem acesso fácil à literatura do esporte boliche.

– Foi então que comecei a desenvolver e aprimorar meu jogo vendo os federados adultos jogarem.

– Busquei informações de quantos passos deveria dar no approach, treinei como como sacar melhor, controlar a velocidade, a postura, etc.

– Um amigo me convidou para jogar no boliche do Shopping Center Norte e aí a mosca do strike me picou.

– Oficialmente  meu primeiro campeonato foi em 1995, a Taça São Paulo, no Dragon Bowling Center Norte.

Taça São Paulo 1995, com Júlio César

Sou destro e dou cinco passos para sacar a bola, meu estilo é stroker (quando o jogador não desliza o pé).

– Minha inspiração inicial foi nos estilos do Júlio Abrão e o saudoso Geraldo Couto, jogadores paulistas.

O Duda Premoli e o saudoso Sussumu Okazaki, também jogadores paulistas, foram os que mais me ajudaram, em matéria de saque, velocidade e postura.

– Depois comecei a me dedicar mais na parte física, fazendo academia e melhorando minha dieta alimentar.

Para o controle mental passei a ler livros sobre esse tema.

O ARSENAL DE BOLAS

– A bola da qual mais gostei até hoje foi uma Storm Paradigm.

– Meu arsenal hoje é composto pela Storm Super Soniq, Motiv Trident Abyss, Roto Grip Idol Pro, Motiv Revolt Vengeance, Motiv Covert Revol, Track 505.

As que eu mais gosto hoje são as Roto grip Idol Pro e Motiv Trident.

Celso atualmente joga pelo Esporte Clube Pinheiros, que é unodecacampeão paulista

Em fevereiro de 2011, Celso foi homenageado pela Secretaria de Esportes e Lazer Municipal de São Paulo.

Celso com Walter Feldman, Secretário Municipal de Esportes de São Paulo

A VAGA PARA A COPA MUNDIAL QUBICAAMF

Em agosto de 2013, Celso conquistou o direito de ser o representante brasileiro na 49.ª edição da Copa Mundial de Boliche em Krasnoyarsk (Sibéria, Rússia) porém…

Não pude viajar em razão dos problemas de saúde da minha esposa Silmara. Era impossível eu me ausentar pelos dez dias do evento, em razão dos muitos exames e consultas.

O reserva que acabou viajando foi o vice-campeão da classificatória, Pedro Lima, atleta da federação catarinense.

Qual a conquista mais especial pra você?

– A conquista mais importante, pra mim é sempre a última. Sou muito focado e motivado pra jogar.

– Minha preparação física, técnica e mental é sempre procurando dar o meu melhor.

– Um sonho que ainda não realizei no boliche é jogar um Campeonato Mundial.

A MOTIVAÇÃO E O INCENTIVO

– A minha maior incentivadora é a Silmara, minha esposa, pois sempre me apoia e torce muito por mim.

Celso com a esposa Silmara

– Minha motivação é tentar ser o melhor que posso a cada evento e conquistar títulos.

– Gosto muito de jogar em equipe e motivar meus parceiros, com palavras de incentivo e jogando com alegria.

– Gostaria de poder fazer mais viagens pelo circuito nacional mas, em razão de compromissos particulares e profissionais, não consigo ir a todos.

DESTAQUES PESSOAIS NA CARREIRA

A partida perfeita no boliche tem a pontuação máxima de 300 pinos, conseguida após doze strikes consecutivos na mesma linha.

– Fiz três 300 em campeonatos oficiais paulistas:
o primeiro foi no Campeonato Individual em 2002,
o segundo na Taça Pinheiros de 2015 e
o terceiro na Taça Morumbi 2015.

– Guardo com especial carinho o meu primeiro Campeonato Paulista Individual, conquistado em 1997.

– Outra conquista inesquecível foi a Medalha de Ouro na Fase Individual do Campeonato Brasileiro de Seleções 2011.

– A emoção da conquista do Campeonato Brasileiro de Seleções em 2014 é outro momento especial, pois estávamos em terceiro lugar, antes da fase de equipes.

– Para sermos campeões, precisaríamos ganhar a fase e torcer por uma combinação de resultados pouco prováveis.

No final, deu tudo certo e fomos Campeões.

– Tenho a honra de ser Bicampeão Brasileiro individual no sistema Europeu (Cordinha). em 1997 e 2001.

– Fui o melhor Atleta Masculino Adulto da Federação Paulista de Boliche em 2014 e o melhor Atleta Masculino Sênior em 2015, 2016, 2017, 2018 e 2019.

– A maior série da minha carreira consegui na Taça Campinas em 2014, quando derrubei 1.520 pinos em 6 linhas (264, 277, 245, 247, 219 e 268), média de 253,33.

ÁLBUM PESSOAL

Em 1997 com o humorista Marcos Chiesa (o Bola) do Programa Pânico da rádio Jovem Pan, no Shopping Center Norte.
Campeão Brasileiro de Seleções em 1999, com Geraldo Couto, João Carneiro, Chico Berto, Mário Farias e Sussumu Okazaki
Campeão Paulista Individual em 2010, posando com o filho Gustavo
Campeão Brasileiro Individual Sênior em 2018, com Oscar Marin (Prata) e Márcio Vieira (Bronze)
Campeão Brasileiro de Clubes em 2019 pelo E. C. Pinheiros, com Igor Pizolli, Renan Zoghaib, Pedro Diniz, Roberta Rodrigues e Stephanie Martins
Campeão da Taça Yex 2019 com William Hideki, em São José dos Campos (SP)
Campeão da Taça São Paulo em 2020 com Eduardo Issa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *