22 de janeiro de 2021

boliche.com.br

O mais completo desde abril de 1998

UM DIA NO BOLICHE DA HVO SUMMIT…

2 min read

Na quinta feira passada, dia 27, tentei jogar no condicionamento (programa 3) preparado pela nova máquina do Planet Bowling, a HVO Summit da AMF Century, mas não consegui porque o Campeonato No Tap estava lotado. Felizmente!

Fui informado que neste sábado seria utilizado o programa 1, o escolhido pela Federação Paulista para condicionar o Campeonato Paulista de Clubes e Equipes. Logo após resolver os problemas do trabalho, resolvi “bater uma bolinha” no Planet, onde confirmaram que haviam mesmo utilizado o programa 1 no condicionamento das pistas.

Quer ver as informações do Programa 1? Clique aqui…

Quer ver o mapa do Programa1? Clique aqui…

As primeiras partidas joguei junto com Feliciano Freire, meu parceiro nos recentes campeonatos de duplas.

Jogamos na pista 19 e consegui 235 e 203 sem muito esforço, apenas com muita concentração e regularidade no saque. O arremate, tal qual no No Tap de quinta-feira, estava excelente. Mudamos para a pista 20 e fiz 220, 257, 238 e 167, nesta última procurei variar a saída e o break mas me dei mal. Nas seis partidas que joguei com o Freire fiz 1320 pontos e média 220,00.

O Freire já havia jogado quatro partidas antes de eu chegar, então resolveu parar na décima, afinal era mais que recomendável para as oito décadas de existência dele, mesmo jogando como um garoto a última partida.

Depois fui jogar com o Renan e o Turcão na pista 17 e fiz 226, 234 e 204 (664 pontos em três partidas, média 221,33).

Com a saída dos dois, fui jogar com o João Carneiro e o Júlio Costa na pista 16, larguei mal com 156, mas recuperei com 192 e 215 (563 pontos em três partidas, média 187,67).

Enquanto jogava com o João e o Júlio o Hiro Shigenaga, diretor técnico da Federação Paulista, chegou e pediu para recondicionarem a pista 19, convidando a mim e ao João para fazer uns testes. Comecei com 195, depois 224 e 216 (635 pontos em três partidas, média 211,66).

Cansado, mas feliz da vida, resolvi parar e guardar o ótimo resultado da maratona (seis horas de boliche, direto): 3182 pontos, média 212,13 em 15 partidas.

Nada como um approach confortável, uma cabeceira bem condicionada e uma perfeita área de arremate para fazer um dia no boliche passar num piscar de olhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *