23 de janeiro de 2021

boliche.com.br

O mais completo desde abril de 1998

MARCELO SUARTZ: DIÁRIO NA TERRA DA PBA

5 min read

“Estou em Orlando, Estados Unidos, jogando o try-out (classificatória) da Universidade Central da Flórida, onde irei estudar. O try-out é uma verdadeira forma de avaliar o desempenho de qualquer bolicheiro. Cheguei aqui pensando que seria um dia de jogar algumas poucas linhas. Logo no primeiro dia percebi que não seria bem assim. Entre muitos bons jogadores (quase cinqüenta) somente seis se classificam para o time titular e mais seis para o time reserva.

Os técnicos da Universidade são Pat Costello e Jerry McDonald. Eles são muito competentes e didáticos.

No meu primeiro dia de try-out, na segunda-feira, fizemos uma reunião antes de irmos para as pistas. Eles explicaram como seria todo o try-out e as três semanas que passaremos juntos.

Jogamos três partidas no óleo que eles mesmos fizeram, o qual chamaram de “House Shot”. Era praticamente um óleo da casa com 41 pés de condicionamento com boa densidade no centro da pista. Fiz 603 em 3 linhas.

Logo depois teriam os arremessos de spare. Jogamos doze vezes nos pinos 4-7 e mais doze vezes nos pinos 6-10. Consegui fazer todos os spares … Ahh … esqueci de falar, antes de irmos para a pista eles sempre davam folhas com espaços para anotar todos arremessos que iríamos fazer, marcando se foi strike, spare, qual pino deixou, qual derrubou e se foi no pocket ou não. Esse foi o óleo mais tranqüilo que encontrei pela frente.

Saí do boliche pensando que poderia ter feito mais … como sempre … mas satisfeito com o sexto lugar do try-out.

No meu segundo dia, terça-feira, jogamos no óleo que é passado na PBA, conhecido como Shark, 44 pés de óleo. Por sinal, muiiiito difícil … o arremesso ideal para jogadores de alta revolução é extremamente inside (no centro da pista) e fazendo o break point perto do pocket (com pouco hook). Logicamente que só depois que joguei fiquei sabendo disso. Fiz 197, 160 e 239.

Em seguida jogaríamos os spares, jogamos seis vezes a figura 2-5-4 mais seis vezes a figura 2-5-4-8, mais seis vezes a figura 3-6-10 e mais seis vezes a figura 3-6-9-10. Das vinte e quatro jogadas acertei vinte. Continuei na sexta posição.

Meu terceiro dia não foi bom, jogamos em um condicionamento de 39 pés de óleo flat (mesma quantidade de óleo em todas as tábuas da pista) … nada fácil também … fiz 183,187 e 181. Depois jogamos doze vezes o pino 10, doze vezes o pino 7 e mais doze vezes a figura 3-10. Acertei todos os isolados e dos doze arremessos do 3-10 acertei 8. Caí para oitavo lugar do try-out.

O quarto dia diria que foi muito melhor. Jogamos em outro óleo que é passado na PBA, conhecido como Cheetah, 35 pés de óleo. Era o único condicionamento da PBA que eu já havia jogado antes. Fiz 175, 197 e 279, jogando pela tábua 5 com a minha bola de óleo curto (Brunswick, Power Groove). Logo em seguida, jogamos spares novamente, na verdade era a figura chave para o pocket, os pinos 1-3-5 e 9, jogamos doze vezes, acertei dez. Para completar o dia, teríamos que fazer lofts, seis arremessos para fazer loft baixo, seis arremessos para fazer loft médio e mais seis arremessos para fazer loft alto, não somente acertar o loft como teria que acertar o pocket para o arremesso ser válido.

Hoje, quinto dia de try-out, diria que foi um dos mais difíceis que encontrei em toda minha vida de bolicheiro, pois jogamos seis linhas, cada linha em um condicionamento diferente, conhecidos como os cinco condicionamentos da PBA: o Shark (44 pés), o Chameleon (39 pés), o Cheetah (35 pés), o Scorpion (41 pés) e o Viper (37 pés). E, para completar, os 39 pés de oleo flat que eles fizeram. Foi uma experiencia incrível, eles nos deram dezesseis minutos de bate-bola para jogar em qualquer pista dentro dos seis pares de pista condicionados. Ou seja, não tivemos nem três minutos em cada óleo para achar o pocket, fazer ajustes e anotar.

Comecei com o Chameleon 39f, nunca havia jogado, pois consegui achar o pocket em 50% das vezes, sem fazer double, fiz 191. Na segunda linha fui para o Viper 37f, também nunca havia jogado, escolhi a região errada de jogo, não tinha absolutamente nenhuma margem e acabei com 178. A terceira linha foi melhor, no Scorpion 41f, comecei errado novamente, com minha Jolt de superfície 2000 pela tábua 15, demorei para trocar de bola, peguei minha Tropical, encurtei o loft e fiz 5 strikes seguidos salvando a partida e fazendo 203. Minha quarta linha foi a melhor do dia, joguei no Shark 44f, com uma bola abaixo da que havia jogado no bate-bola por ser a quarta linha, deu certo e fiz 12 pockets fazendo 9 strikes e conseguindo 239. Minha quinta partida diria que deixei a desejar, era o 39 pés flat, continuei com a mesma bola movendo 5 tábuas no pé e 3 na seta a esquerda e diminuindo o posicionamento de mão (entregando sem muito side), fiz 201, errei meu primeiro isolado dentro de quase 70 isolados jogados na semana e tomei pof na figura 6-10. Minha última linha foi no Cheetah 35f, todo moído de trilhas das mulheres e dos homens que viajaram nesse condicionamento, peguei minha bola de óleo curto novamente, a Power Groove, comecei na região errada justamente por causa das trilhas, no sexto frame movi-me extremamente outside (no canto da pista), jogando pela tábua 4, com um loft um pouco antes da seta e consegui arrumar a linha e pontuar 196.

Foi um dia muito proveitoso para mim, aprendi bastante. Aliás não somente hoje como na semana inteira, melhorei muito meu boliche, meu mental, minhas habilidades de ajustes e principalmente spare, fui o melhor de spare na semana com aproveitamento de 84% em todos os spares jogados.

Terminei em quinto lugar geral no try-out classificando-me para o time de boliche da Universidade Central da Flórida.

O técnico Jerry disse que gostou da maneira que entrego a bola e do meu jogo em geral, completou dizendo que serei muito bem vindo no time e que, se trabalhar duro, poderemos ganhar o primeiro título nacional para a UCF.

Os try-outs ainda não acabaram por inteiro, ainda tem mais quatro dias de jogos, mas serão somente prática, desafios de habilidade e treinos fisicos na academia da Universidade.

No final desse mês vou jogar um torneio de 20.000 dólares.

Abraços a todos,

Marcelo Suartz”

0 thoughts on “MARCELO SUARTZ: DIÁRIO NA TERRA DA PBA

  1. Marcelo… eu fiz minha faculdade nos Estados Unidos e também fazia esporte na época (não era boliche). Sei da seriedade deles e como é difícil entrar nos times.. Parabéns. Já te disse isso antes, aproveita mesmo esses anos. 25 anos depois posso ainda dizer que foram os 4 melhores anos da minha vida. Um grande beijo e sucesso !! Você merece !!

  2. Grande Marcelo, fantástico o seu relato. Eu e Monica lhe desejamos todo de bom e que voce aproveite MUITO essa fase da sua vida. Congratulations DUDE….

  3. Grande Marcelo,

    Parabéns por esta conquista. Você merece muito mais, pois se trata de um atleta disciplinado e um grande talento, mas acima de tudo um jovem admirável por seu caráter e educação!

  4. Eai muleke, fico realmente feliz com este resultado. É muito importante para seu futuro, continue sendo esta pessoa dedicada e positiva que consiguirá alcançar todos seus objetivos…. Sucesso!!!
    Grande Abraço!!!

  5. Marcelo
    Parabéns, vc merece .
    Sempre te apreciei como pessoa ( desde criança) e como jogador de boliche!!!!
    Que vc consiga seus objetivos.
    Muita Saude e paz.
    Beijos
    Lea

  6. Quero agradecer a todos que me ajudaram a evoluir de alguma forma, toda força e comentários, isso é muito importante pra mim, vocês não sabem como. Mas, quero agradecer principalmente à minha família, pois é o que tenho de mais importante na vida.
    Ontem à noite fiz meu terceiro 300 no ano e meu quarto na vida, na liga Coqui Bowling League … Fiz 257, 266, 228, 255, 300 e 195=1501 (média 250,17), com minha Tropical Storm … pena que não vou poder jogar com outra marca mais, agora só Brunswick …
    Abraços a todos e obrigado mais uma vez!!

  7. Grande pedra,
    Marcelo, você acaba de receber mais uma parte de tudo que vc plantou em sua carreira de jogador… você merece muito isso que esta vivendo!
    Que você eleve o nome de nosso país cada vez mais, conseguindo chegar em todos seus sonhos.
    PARABÉNS!!!

  8. Filho, mais uma vez parabéns.
    Voce é um ótimo filho, tem DEUS do teu lado e sua família sempre aqui torcendo muito.
    Tem também grandes amigos e parceiros no esporte.
    Como sempre te dissemos, vai à luta pelos seus sonhos! Nada vem de graça na vida, precisa querer muito e lutar, também com seu talento já tem um hand. Faz o resto!!!

    Um grande beijo
    Mãe, Pai e Irmão

  9. É isso aí Marcelinho, mostre para eles tudo que vc sabe…..

    Eu e a Cris estaremos sempre torcendo para que vc conquiste tudo que vc merece e um pouco mais se possível!!!!!!!!!!!!!

    Abraço…………………

  10. Marcelo

    Parabéns pelo especial convite que você recebeu para participar do II Panama Invitational Tournament, de 3 a 8 de outubro próximos, no El Dorado Bowling Center, na cidade do Panamá, no Panamá. Esse torneio tem três divisões (Open, Women e Seniors), quase 200 jogadores e oferece mais de 200.000 dólares em prêmios.

    A Open Division permite no máximo 107 jogadores, inclusive 60 jogadores da PBA, mais alguns top amadores e nove jogadores da Europa.

    Para mais informações desse torneio, clique aqui …

    No ano passado a classificação final ficou assim:
    MASCULINO
    1. Brian Himmler, Estados Unidos
    2. Walter Ray Williams, Estados Unidos
    3. Mark Scroggins, Estados Unidos
    4. Manuel Otalora, Colômbia
    5. Lonnie Waliczek, Estados Unidos
    FEMININO
    1. Clara Guerrero, Colômbia
    2. Wendy McPherson, Estados Unidos
    3. Robin Romeo, Estados Unidos
    4. Robin Orlikowski, Estados Unidos
    5. Edissa Vallarino, Panamá

    Ou seja, para quem ainda nem desarrumou as malas você está indo muuuuiiitto bem … Parabéns!!!

  11. Brigadão Bira!! Mas infelizmente tive que cancelar minha participação nesse torneio no Panamá, tenho um teste para minha universidade dia 6 de outubro e não posso tomar em outra data, tentei e tentei mudar, mas não tem como. Não faltará oportunidade!
    Abraços!
    Marcelo Suartz.

  12. Parabéns Marcelo
    Fiquei muito feliz ao saber do teu sucesso.
    Mas lembre sempre disto > você pode ser ótimo, talvez o melhor de todos no time da universidade mas se não estudar e se aplicar nas matérias do curso, aí você dançou.
    Mais uma > sempre terá alguém querendo te derrubar.
    Educação e respeito com todos é a regra da sobrevivência.
    Abraços
    Wolk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *