WILLIAM MACEDO, A MORTE PRECOCE NUM BOLICHE

By
Updated: novembro 29, 2014

WILLIAM MACEDO, A MORTE PRECOCE DE UM TRABALHADOR DO BOLICHE

Durante os meses que gerenciei o Dragon Bowling Center Norte, na capital paulista, tive a ajuda de vários colegas de trabalho.

Um deles foi o William Macedo, encarregado da mecânica e manutenção das máquinas.

Logo na primeira semana percebi que suas habilidades transcendiam o seu cargo de mecânico chefe.

Tinha um temperamento sisudo e forte, mas raramente recusava uma tarefa, principalmente quando desafiava sua criatividade inventora.

O PROFESSOR PARDAL

Até brincávamos com ele, chamando-o de Professor Pardal, o inventor, personagem do mundo Disney em Patópolis.

Numa ocasião precisávamos informar nossos clientes sobre o horário de abertura e fechamento das pistas.

A partir de uma simples sugestão, em pouco tempo, o William inventou uma solução para o problema,
instalou dois grandes monitores ligados a um computador.

O computador rodava um programa gráfico também feito por ele,
informando as horas e divulgando os produtos oferecidos em nossa lanchonete.

Foi um sucesso imediato, que agradou ao público.

As milhares de latas de alumínio que precisavam ser recicladas diariamente, ficavam depositadas numa sala, ocupando espaço.

E ainda dava muito trabalho aos funcionários que tinham que amassá-las manualmente.

Então o Professor William entrou em ação novamente e inventou uma máquina
para compactar automaticamente as latinhas, de forma bem mais rápida, confortável e higiênica.

Durante as festinhas de aniversário no boliche, usávamos como decoração uns pinos plásticos
em formato de bonecos coloridos, que agradavam a todos os convidados.

Perguntei onde haviam comprado aquela decoração e logo me informaram
que não foram comprados, eles haviam sido produzidos manualmente pelo Professor William.

Bonecos criados e confeccionados por William Macedo

O MECÂNICO INTERNACIONAL

Em 2006 viajei para a Venezuela, para cobrir a 42.ª edição da Copa Mundial de Boliche,
acompanhando os representantes brasileiros, Caio Pizzoli e Suzilene Ivata.

Chegando em Caracas ouvi comentários que a organização estava preocupada
com a finalização das instalações do boliche.

Aconteceu que as 42 pistas tiveram a entrega atrasada por questões burocráticas,
obrigando a criação de uma força-tarefa.

Essa equipe era formada por engenheiros, mecânicos, técnicos e instaladores de várias partes do mundo, que teve apenas três semanas para finalizar as instalações.

Para complicar ainda mais os trabalhos eram realizados no centro localizado no interior do estado de Miranda, na cidade de Mampote.

E o dedicado e competente William estava entre eles, capitaneados por outro ás dos bastidores do boliche, o venezuelano Marco Moreno.

William Macedo e Marco Moreno, em 2006

Quando as competições tiveram início estava tudo completamente montado e funcionando perfeitamente.

A operação de montagem foi tão impressionante que os envolvidos a chamaram de “O Milagre de Mampote“.

William trabalhou em montagens e desmontagens do boliche em vários países do mundo, Argentina, Venezuela, China, Japão, Filipinas, entre outros.

William nas Filipinas

Recentemente o William liderou a desmontagem, transporte e montagem das 20 pistas do Villa Bowling no Shopping West Plaza, também na capital paulista.

Villa Bowling West Plaza

O ACIDENTE FATAL

Nessas últimas semanas ele estava em Biguaçu, município próximo de Florianópolis, capital de Santa Catarina, integrando o grupo de montagem e instalação no Boliche Dartora.

Na trágica manhã deste sábado, 29 de novembro, já na fase final da montagem, William fazia os últimos testes nas máquinas.

Presentes, estavam Pedro Lima, presidente da Federação Catarinense de Boliche, Jair Dartora, Marco Moreno, Luiz Montilla, entre outros.

Estavam condicionando as pistas quando a máquina que executava esse serviço parou repentinamente ao chegar no pindeck da terceira pista e ficou travada.

Como o William estava próximo foi verificar o que poderia ter acontecido e deitou-se ao lado da máquina.

Nesse instante levou um choque e deu um grito.

Imediatamente o Marco desligou o fio da tomada, poucos segundos após o acidente.

William permaneceu deitado de bruços na pista, quando se aproximaram dele perceberam que algo mais grave havia acontecido.

Iniciaram os procedimentos básicos para que ele retomasse a consciência, mas não havia reação visível.

O SAMU, serviço de socorro urgente, já havia sido acionado mas, dado a gravidade do caso, ele foi conduzido até uma UPA.

Na Unidade de Pronto Atendimento tentaram reanimá-lo durante quase uma hora.

Porém os esforços foram em vão, William, 40 anos, não tinha mais vida.

William Amâncio Macedo, nasceu em São Paulo em 5 de maio e 1974, deixa a esposa Val e o filho Ike.

Valdinéia, William, Henrique

 

14 Comentários

  1. Milton Verzolla

    30 de novembro de 2014 at 03:18

    Um olá à todos
    Tomei conhecimento do acidente com meu Amigo William Amancio Macedo através do Marco Moreno, companheiro e irmão por consideração do William, através de mensagem postada pelo Marco Moreno no Facebook e troquei umas mensagens com Marco que, com toda a razão, estava muito abalado e surpreso. Fiquei muito triste pois o William é meu Amigo desde que começou a trabalhar com Boliche no Shopping Morumbi, isto em 1993, trabalhamos 4 anos juntos, após a minha aposentadoria sai da empresa mas a nossa amizade continuou e no ultimo mês de outubro foi a última vez que conversamos.
    Reflexão: O fio que nos liga a vida é muito frágil e incompreensivo pois há pessoas que sofrem grandes tragédias e saem vivos, quando muito com sequelas e meu Amigo William no cumprimento de suas tarefas leva um choque elétrico e morre??? Que complexidade é esta???
    Estou triste indignado com esta perda do meu Amigo William.
    Que ele descanse em paz e na certeza que deixará muita saudade e tristeza pela tua partida meu Amigo William.
    Força aos Familiares.

  2. Valdineia Bezerra de Sousa Macedo

    30 de novembro de 2014 at 06:06

    Oi, aqui é a esposa do William, Obrigada pela homenagem ao grande homem e profissional que foi o William, ele era um tudo que fazia dedicado e competente e sempre fazia questão que tudo estivesse perfeito. Vou sofrer muito, dói, pai amoroso, nosso filho era tudo para ele, muito obrigada pela linda homenagem!

    OBS: só uma correção o William nasceu em São Paulo, capital.

    • Bira Teodoro

      30 de novembro de 2014 at 10:47

      Meus sentimentos Valdineia. Não foi fácil fazer esse artigo porque estava incrédulo com esta surpresa tão triste, igual a todos nós, imagino.

      (Já fiz a correção do local de nascimento dele. Obrigado)

      • Valdineia

        30 de novembro de 2014 at 20:37

        Obrigada!

    • Selma Gregorio

      1 de dezembro de 2014 at 13:30

      Oi Val
      Não sei se se lembra de mim, trabalhamos juntas no Shopping Morumbi. Estou muito triste com o ocorrido. Que Deus ampare toda sua família e que dê força à todos vocês. Deus irá tomar conta de você e do seu filhinho, que o Senhor Jesus conforte seu coração.

  3. Priscila de Sousa

    30 de novembro de 2014 at 09:14

    E foi mais um anjo para o céu!!
    Vai deixar saudades cunhado 🙁

  4. Ketley Carvalho Macedo

    30 de novembro de 2014 at 11:00

    Primo… Mas (tio) como eu chamava-o! Foi tudo pra mim durante toda a minha infância. Desde nascida até toda minha adolescência.. brincando… e se divertindo… pois esses foram os momentos passados juntos! Brincava com a luva de boxe… pegava aquela bola pesada de boliche no seu quarto, admirava seus pinos, ficava assistindo seus DVDS de shows na sua TV grandona e gostava sentadinha na sua cama… e quando cresci me dava ingressos pra me divertir no Play Land… me via cantar.. e sorria pra mim…. Tio (primo). Eu te amo eternamente! Fará muita falta para nós, mas vou lutar em vida para nos encontrarmos no Novo mundo de Deus!

  5. Paula Lisboa

    30 de novembro de 2014 at 18:43

    Quando soube da notícia fiquei muito triste, éramos vizinhos há muito tempo, não o via depois que se mudou do bairro. Vou me lembrar sempre daquele sorrisão largo, um cara do esporte e de bom coração!!!
    Meus sentimentos à toda família

  6. Adilton Macedo

    1 de dezembro de 2014 at 09:42

    William, meu grande irmão, parceiro em tudo…
    Estava dizendo hoje para meu filho: -O Wilhãao se foi… dizia a meu filho que quando éramos mais novos, ele tinha mais ou menos 17 ou 18 e eu 22 ou 23 anos, ganhamos convites para ir a festa da primeira vitória do Ayrton Senna em Interlagos, e lá estávamos nós, juntos nessa festa… e ele com vergonha mas muito contente pois ele conseguiu autografo do Rei Pelé… Que ate hoje ele tem guardado…

    Eu sempre tive ele como um exemplo … filho exemplar, tio cuidadoso, irmão amoroso!

    Ele tinha um coração de pai de todos… sempre querendo proteger a todos, não tinha distinção… que cara maravilhoso…

    Meu Primo, irmão, passamos muitos momentos juntos nos finais de semana, lá estava eu cedo no Domingo para que nós fôssemos jogar bola na Rua… e lá estava ele fazendo suas criações… fazendo um tabela de Basquete… montando a rede de vôlei… nós jogando Frescobol… chegamos até a comprar raquete de tênis para que fôssemos jogar lá no SESC Interlagos…

    Lembro que a folga dele era no meio da semana e lá estávamos nós arrumando o que fazer… sinto a falta dele, mas como o pai dele disse: “O William não morreu, ele está dormindo!

    Eu Adilton (Dito) digo: um dia estaremos juntos, como nos muitos domingos que passamos assim…

    TE AMAREI ETERNAMENTE

  7. William Brocco

    3 de dezembro de 2014 at 22:59

    Devo muito a esse cara, pois tudo que tenho e aprendi devo a essa pessoa da minha infância, sempre me mostrou a melhor forma de se viver e de seguir um caminho melhor.
    Atenciosamente Willinha, do seu grande amigo.

  8. Mauro Pereira Francischelli

    4 de dezembro de 2014 at 20:39

    Grande William, vai deixar saudades.

    Trabalhei com ele e o Marcão por quase um ano na rede Dragon Bowling, junto com ele modernizamos o boliche Penha, fui ao seu casamento na época.

    Trabalho hoje com geração de energia elétrica e quem trabalha com manutenção está sujeito a fatalidades, apesar de não ter mais contato com ele há bastante tempo, sempre admirei o amigo e profissional.

    Força à família e aos amigos do boliche pela grande perda.

  9. Roseli do Amaral Valério e Wagner do Amaral Valério

    4 de dezembro de 2014 at 23:35

    É com pesar que recebemos a noticia sobre o falecimento de William, este que sempre foi muito responsável no cumprimento de suas funções e, acima de tudo, um homem muito criativo sempre disposto a resolver os diversos problemas que surgiam no trabalho.
    Muita força para a família neste momento.
    De toda a equipe
    WR. Serviços de Usinagem Ltda. Me.

  10. João Aparecido Ferreira

    5 de dezembro de 2014 at 10:59

    As grandes lembranças que ficam são o companheirismo, a empatia e a dedicação com o trabalho. Ninguém conseguia amar o que fazia como ele amava. É realmente um grande mistério essa perda, mas não podemos contestar a vontade de Deus. Tenho certeza que ele deixou seu legado nesse mundo por onde andou e que muitos hoje se lembram dele pelo caráter, dignidade e simplicidade com que lidava com coisas e pessoas.

    E Deus, na sua imensa sabedoria, não desamparará aos mais íntimos e os amigos que o consideravam.

    À todos, os meu sentimentos.

  11. Atilio Bonfiglioli Grimaldi

    5 de dezembro de 2014 at 16:20

    Fiquei muito triste com a notícia que acabei recebendo há poucos instantes. Trabalhei com o Willian no Playbowling do Morumbi Shopping e no Center Norte. Há poucos meses atrás sempre nos cruzávamos nos corredores dos shoppings. Trabalhamos juntos e a vida nos colocou várias vezes bem próximos. A todos da família meus profundos sentimentos.

Deixe uma resposta

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
× Clique aqui e fale com o editor pelo WhatsApp