A TAÇA BRASIL É DA SELEÇÃO PAULISTA

By
Updated: novembro 18, 2019

A Seleção Paulista de Boliche da 2.ª divisão conquistou a 31.ª edição da Taça Brasil de Seleções, na tarde/noite de domingo, 17 de novembro.

Para ver e baixar as fotos do Brasileiro e Taça Brasil de Seleções 2019 clique aqui.

Clique aqui e saiba como foram as Seleções Masculinas no XXXIX Campeonato Brasileiro.

Clique aqui e saiba como foram as Seleções Femininas no XXXIX Campeonato Brasileiro.

Clique aqui e saiba como foi o pódio na Taça Brasil de Tercetos.

Clique aqui e conheça as Seleções Estaduais Campeãs na História do boliche brasileiro.

Clique aqui para conferir todos os resultados online.

A classificação final da XXX Taça Brasil de Seleções ficou assim:

CAMPEÃ: SÃO PAULO com 948 pontos de Nilson Wada, Renato Kim, Gianfranco Diéguez, Wagner Koga, Márcio Paschoal e Airton Fukumoto.

VICE-CAMPEÃ: RIO DE JANEIRO com 508 pontos (Matheus Lima, Márcio Martins, Álvaro Ferreira, S. Oliveira, Mário Tavares e Francisco Jansley).

3.º lugar: MINAS GERAIS com 448 pontos (Joso Figueredo, Eduardo Andrade, Daniel Andrade, Isak Joukhadar, Fernando Miranda e Décio Abreu).

4.º lugar: MATO GROSSO com 191 pontos (Nelson Saga, Thiago Wandscher, Romildo Souza, Michel Belmonte, Hiago Saga e Matheus Verão).

5.º lugar: PERNAMBUCO com 119 pontos (Ivan Oliveira Neto, Masatoshi Kumamoto, Carl Roichman, Eduardo Fernandes, Nelson Tachibana e Leonardo Franca).

6.º lugar: BAHIA com 118 pontos (Allan Chastinet, Edgard Carvalho, Roberto Sampaio, Ricardo Nakamura, Roland Vetter e Alex Robeiro).

7.º lugar: DISTRITO FEDERAL com 90 pontos (Hermindo Gonçalves, Sérgio Martinelli, Jack Sampaio, Roberto Elias, Felipe Arruda e Carlito Jorge).

Fase Individual da Taça Brasil de Seleções

OURO: SÃO PAULO 2 (Gianfranco Diéguez) com 1.312 (218,67);
PRATA: SÃO PAULO 2 (Nilson Wada) com 1.296 (216,00);
BRONZE: SÃO PAULO 2 (Renato Kim) com 1.194 (199,00).

(e-d) Nilson Wada, Gianfranco Diéguez, Renato Kim

Fase de Duplas da Taça Brasil de Seleções

OURO: SÃO PAULO 2 (Gianfranco Diéguez & Márcio Paschoal) com 2.312 (385,33);
PRATA: RIO DE JANEIRO 2 (Matheus Lima & Álvaro Ferreira) com 2.310 (385,00);
BRONZE: SÃO PAULO 2 (Nilson Wada & Renato Kim) com 2.274 (379,00).

(e-d) Álvaro Ferreira, Matheus Lima, Gianfranco Diéguez, Márcio Paschoal, Nilson Wada, Renato Kim

Fase de Tercetos da Taça Brasil de Seleções

OURO: RIO DE JANEIRO 2 (Márcio Martins & Matheus Lima & Álvaro Ferreira) com 3.364 (560,67);
PRATA: SÃO PAULO 2 (Renato Kim & Gianfranco Diéguez & Nilson Wada) com 3.340 (556,67);
BRONZE: SÃO PAULO 2 (Wagner Koga & Airton Fukumoto & Márcio Paschoal) com 3.265 (544,17).

(e-d) Renato Kim, Gianfranco Diéguez, Nilson Wada, Matheus Lima, Márcio Martins, Álvaro Ferreira, Márcio Paschoal, Airton Fukumoto, Wagner Koga

Fase de Equipes da Taça Brasil de Seleções

*Nesta fase jogam os seis componentes da seleção mas a menor partida do time é descartada na soma.

OURO: SÃO PAULO 2 (Renato Kim & Gianfranco Diéguez & Nilson Wada & Wagner Koga & Márcio Paschoal & Airton Fukumoto) com 6.071 (202,37);
PRATA: MINAS GERAIS 2 (Fernando Miranda & Décio Abreu & Isak Joukhadar & Joso Figueiredo & Eduardo Andrade & Daniel Andrade) com 5.598 (186,60);
BRONZE: RIO DE JANEIRO 2 (Márcio Martins & Matheus Lima & S. Oliveira & Mário Tavares & Álvaro Ferreira & Francisco Jansley) com 5.560 (185,33).

Seleção Mineira (e-d): Daniel Andrade, Eduardo Andrade (atrás),
Joso Figueiredo, Fernando Miranda (frente).
Décio Abreu e Isak Joukhadar (ausentes).
Seleção Fluminense (e-d): Francisco Jansley, Mário Tavares, Matheus Lima.
Álvaro Oliveira, Márcio Martins e S. Oliveira (ausentes)

All Events das Seleções da Taça Brasil

OURO: SÃO PAULO 2 com 27.086 (188,09);
PRATA: MINAS GERAIS 2 com 25.540 (177,36);
BRONZE: RIO DE JANEIRO 2 com 25.471 (176,88).

All Events Individual das Seleções da Taça Brasil

OURO: Gianfranco Diéguez (SP) com 4.865 pinos (202,71 de média);
PRATA: Nilson Wada (SP) com 4.796 (199,83);
BRONZE: Renato Kim (SP) com 4.631 (192,96);
BRONZE: Eduardo Andrade (MG) com 4.560 (190,00);
BRONZE: Márcio Martins (RJ) com 4.491 (187,13);
MAIOR PARTIDA: 279 de Gianfranco Diéguez (SP);
MAIOR SÉRIE: 1.312 (218,66) de Gianfranco Diéguez (SP).

(e-d) Eduardo Andrade, Nilson Wada, Gianfranco Diéguez, Renato Kim

A Confederação Brasileira de Boliche

A organização geral do evento foi da Boliche Brasil, a Confederação Brasileira de Boliche, presidida por Guy Igliori.

As disputas aconteceram nas 24 pistas do Bolix do Shopping Internacional, localizado às margens da Via Dutra, Km 225, em Guarulhos, SP.

Tradicionalmente o Campeonato Brasileiro de Seleções é o evento nacional indicado para o programa Bolsa Atleta do Ministério dos Esportes.

Foram sete seleções estaduais na disputa pela Taça Brasil: Bahia, Distrito Federal, Mato Grosso, Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo.

A seleção campeã foi definida por pontos acumulados em cinco fases: Individual, Duplas, Tercetos, Equipes e All Events de Seleções.

FORMA DE DISPUTA

O Campeonato Brasileiro de Seleções 2019 (Masculinas e Femininas) e a Taça Brasil de Seleções 2019 (Masculinas) deverão ter no mínimo 5 equipes, incluindo a equipe sede para validação.

Cada uma das equipes deverá ser formada por seis atletas.

O condicionamento das pistas nos quatro dias de competição será o pattern da World Bowling 2019, 40 pés.

As fases disputadas serão as seguintes:
> INDIVIDUAL (6 partidas pelo total de pinos derrubados);
> DUPLAS (6 partidas de cada participante, pelo total de pinos derrubados);
> TERCETOS (6 partidas de cada participante, pelo total de pinos derrubados);
> EQUIPES (6 partidas de cada participante, com a soma de pinos derrubados, sendo que a cada partida a pior da equipe é descartada);
> ALL EVENTS por equipe.

Taça Brasil de Tercetos poderá ter tercetos formados por atletas de Federações diferentes ou mesmo por jogadores avulsos.

Cada jogador jogará 24 games e será declarado campeão o terceto com maior total de pinos derrubados.

Deixe uma resposta

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
× Clique aqui e fale com o editor pelo WhatsApp