SELEÇÃO BRASILEIRA DAS ARÁBIAS RUMO A ABU DHABI

By
Updated: dezembro 2, 2014

Seleção Brasileira das Arábias no Mundial 2014
4 a 15 de dezembro – Abu Dhabi, Emirados Árabes
40 pistas Brunswick

Khalifa International Bowling Center

WBC (World Bowling Championships)

Campeonato Mundial de Boliche é o mais prestigiado evento de boliche da WTBA (agora nominada World Bowling).

Serão cinco fases: Individual, Duplas, Tercetos e Equipes de Cinco.
Os 16 melhores jogam a fase Master para ser coroado o Campeão Mundial de Boliche.

Site oficial clique no bit.ly/abu2014

As transmissões do USBC (United States Bowling Congress) estarão no www.youtube.com/BowlTV

É realizado ao longo de dois anos, no primeiro para os homens e no ano seguinte para as mulheres.

Em 2014 e 2015, esses dois grandes eventos serão realizados em Abu Dhabi
sob o patrocínio de Sua Alteza Sheikh Nahyan bin Zayed Al Nahyan,
presidente do Conselho de Esportes de Abu Dhabi e pela Federação dos Emirados Árabes.

O WBC foi realizado pela primeira vez em 1954, em Helsinque, na Finlândia.

Em 1999, Abu Dhabi sediou pela primeira vez esse evento, quando era denominado 14.º FIQ Campeonato Mundial de Boliche, coincidentemente na inauguração desse mesmo centro onde ocorrerão as disputas nesse ano.

É a primeira vez que aconteceu uma repetição de sede nesse campeonato.

Bowling Center Zayed Sports City

A SELEÇÃO DAS ARÁBIAS

O substantivo feminino plural “Arábias” quando usado na expressão popular das arábias, significa extraordinário, extravagante, valente, capaz de qualquer proeza.

E esse é o espírito da nossa Seleção Brasileira de Boliche que embarca nesta noite rumo à Abu Dhabi, para disputar o WBC Campeonato Mundial Adulto 2014.

As disputas serão nas 40 pistas Brunswick, instaladas em 1999 no Khalifa International Bowling Center no Zayed Sports City.

São 49 países inscritos com seis jogadores em cada seleção, exceto a Bélgica (5), Irã (4), República Checa (3), Estônia (1), Índia (1) e Cazaquistão (1).

OS NOSSOS REPRESENTANTES

Os representantes brasileiros são: Igor Pizzoli, Charles Robini, Rogério Almeida, Oscar Marin, Nilson Diniz e Jorge Choairy.

Igor Pizzoli

Igor (na foto à esquerda)declarou, às vésperas do embarque:

“Com certeza estamos indo pra fazer o nosso melhor, sabendo por aqui que a cobrança de bons resultados é grande.

Porém lembro que não contamos as condições ideais de preparação, como treinamento, por exemplo.

Joguei nos dois últimos campeonatos mundiais e senti muitas dificuldades, ciente que faltaram preparo e conhecimento adequados.

Falo por mim e por meus companheiros, garanto que vamos dar o máximo do nosso jogo, mas tenho consciência que as médias excelentes dificilmente acontecerão.

Estou levando as bolas que acredito irão me ajudar e, dessa vez, não vou repetir a burrada de furar e jogar com bola comprada durante o evento, como fiz antes.”

Oscar Marin

Oscar comentou:

“Para mim é uma oportunidade única e que representa muito pessoalmente.

Com a minha idade um pouco avançada, participar novamente de um campeonato mundial, sem dúvida, é um prêmio enorme na minha breve carreira de bolicheiro.

Vou dar o melhor para representar bem o meu país.

É claro que será conforme as minhas possibilidades. Vamos Brasil!”

Márcio Vieira

Márcio Vieira, atleta da FBRJ – Federação do Rio de Janeiro, lembrou deixou um lembre ao parceiro Oscar:

“Neste momento tão importante reflita sobre o que o tornará uma pessoa mais feliz,

E saiba que a idade é o menor dos obstáculos.”

Márcio citou uma frase do empresário Abílio Diniz, 77 anos, dirigida ao goleiro são-paulino Rogério Ceni, de 41 anos, que voltou a desistir da anunciada aposentadoria.

AS EXPECTATIVAS X A REALIDADE

Nilson Diniz

Nilson também declarou que:

“Estar representando o Brasil é uma responsabilidade enorme, embora sinta que no Brasil alguns não vêem assim.

Abraço à todos e muita energia positiva”

E, citando o escritor italiano Og Mandino, completou “O fracasso jamais me surpreenderá,
se a minha decisão de vencer for suficientemente forte.”

Márcio Menezes

Márcio Menezes, atleta atualmente filiado à FBRJ, enviou uma mensagem:

“Aos estreantes, como eu fui ano passado, respirem fundo, admirem os craques no turno em que não estiverem jogando.

Não inventem de copiar quem tem mais qualidade.

O melhor caminho para bons escores no torneio será fazer o melhor que já sabem.

E, claro, divirtam-se muito. A experiência é maravilhosa.”

Rogério Almeida

Rogério confidenciou:

“Parei de jogar boliche por uns dez anos e retornei faz uns cinco anos.

Era um sonho representar meu país nesse esporte, sonho que se tornou realidade no ano passado, na Costa Rica.

E também neste ano, no Sul-Americano, no qual conseguimos subir no pódio pela conquista do vice-campeonato.

Agora, com muito orgulho e motivação, participo desta nova jornada tão importante em Abu Dhabi.

Espero poder honrar nosso Brasil no exterior.

Agradeço à todos pelo incentivo e apoio, embora nossa federação dê preferência aos que supostamente tenham alguma chance de ganhar medalhas, como ouvi durante o Campeonato Brasileiro de Seleções.

Acredito que esse pensamento dificulta o crescimento do esporte Boliche no Brasil, o que lamento muito.

O nosso grupo está muito animado, unido e com garra para fazer bonito. E vamos com tudo. Abraços à todos.”

Bowling Center Zayed Sports City

Deixe uma resposta

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE