MARCELO SUARTZ: EVOLUÇÃO E VITÓRIA!

By
Updated: outubro 8, 2007

“Bom dia Pessoal, tudo em ordem por aí?
Está tudo muito tranqüilo por aqui, aliás, hoje tive um dia ótimo.

Joguei um Torneio chamado “U.B.A Classic Bowling”, um dos torneios de alta premiação mais conhecidos aqui na Flórida. O primeiro colocado com handicap ganha US$ 10,000.00 e o primeiro colocado scratch (sem handicap) ganha US$ 2,000.00.

Joguei somente scratch, porque tinha poucos pinos de handicap por linha e o óleo desse torneio é muito difícil, principalmente pelo fato da pista pedir para se jogar extremamente inside (no centro da pista) e não permitir erro à esquerda e muito menos à direita, chamam este condicionamento de 38 pés reverso (com maior volume de óleo nas pontas que no meio).

Pois bem, comecei jogando as 13h para me classificar para as semi-finais. As pistas estavam realmente secas, mas consegui fazer bons arremessos com minha Tropical, com um posicionamento de mão diferente. Fiz 201, 201 e 200 com três frames abertos. Classifiquei-me para jogar a semi-final em último lugar do meu turno.

Na semifinal, teria que esquecer a estratégia que estava fazendo, pois iriam recondicionar as pistas. Classificavam-se para a final os Top 5.

Comecei com a Red Zone jogando sobre a tábua 20, fiz 222,195 e 245 com dois frames abertos, fiquei em primeiro lugar para as finais. Novamente, as pistas estariam secas e totalmente trilhadas, pois a divisão de handicap havia jogado algumas linhas no par de pista que jogaríamos a final. Joguei contra o último ganhador desse torneio, PBA regional, que na última vez ganhou as duas divisões juntas.

Comecei com minha Tropical novamente. Estava fazendo bons arremessos e não estava encontrando resultado positivo. No quinto frame tinha dois frames abertos e estava a mais ou menos 30 pinos atrás dele. Sabia que tinha que fazer algo, uma mudança rápida e totalmente diferente, peguei minha Red Zone de novo, mudei meu posicionamento de mão (saque) e meu loft (distância que a bola quica na pista) para mais ou menos um pouco antes das setas. Sabia que seria difícil mas estava me sentindo muito bem. Fiz strikes no oitavo, nono, décimo e décimo-primeiro para terminar com 205 e ganhar dele por 3 pinos.

Todos achavam que o jogo já estava perdido, que eu não tinha mais chances, mas o mais importante disso tudo, foi o que aprendi comigo mesmo, eu não desisti em momento algum, não estava com medo de falhar, tinha plena confiança e força de vontade em mim mesmo. Ontem à noite, antes de dormir, falei com meus pais, disse a eles que estava me sentindo muito bem e que iria jogar este torneio hoje. Logo pela manhã, antes de sair de casa, li a matéria do Toninho Luiz sobre autoconfiança, e isso me deu mais confiança no meu objetivo do dia e me que fez sentir mais positivo.

Cheguei ao boliche totalmente positivo, me sentindo bem e confortável e sai de lá muito feliz, me sentindo ótimo e com novas aprendizagens.

O que me deixou mais feliz disso tudo (lógico, dinheiro é sempre bem-vindo, ainda mais essa quantia que não estou acostumado) foi que estou percebendo a diferença que está fazendo meus treinamentos (aqueles que comentei no meu último relato), sobre minha concentração/focos, percebi a diferença que isso faz em torneios.

A concentração, capacidade de se focar 100% no jogo inteiro e os pensamento positivos sem demais preocupações estão sendo muito importantes para a evolução da minha perfomance como jogador. Concentração envolve, também, os demais problemas com machucados, bolas com diferentes pegadas e todos esses aspectos que fazem nos sentir inconfortáveis e consequentemente provocar arremessos ruins.

Meus últimos treinamentos que tenho feito com o time da universidade foram muito interessantes.

Quinta-feira passada a nossa técnica colocou um plástico de uma canaleta a outra, grudado por uma fita adesiva e embaixo do plástico, fixou um papel, um papel diferente com duas folhas. Fizemos isso no óleo curto (35 pés) e no óleo longo (44 pés), os dois com diferentes lofts. Tínhamos que acertar a folha na mesma tábua e na mesma distância da linha de falta até o papel, assim se mede em qual tábua e em qual distância a sua bola quicou na pista. Depois de cinco arremessos de cada um nos dois óleos, tínhamos que dar o papel para os técnicos analisarem.

Outro treinamento chato mas interessante, que fizemos semana passada, foi que tínhamos que acertar somente o pino 10, somente o pino 7, acertar o pino 3 sem tocar no pino 1, acertar o pino 2 sem tocar no pino 1 e finalmente fazer strike, isso tudo da seguinte forma: se você não acertar a seqüência, volta ao início e começa novamente até acertar tudo direitinho.

Jogamos sempre baker games(5 jogadores, cada um joga 2 frames da partida) em nossos treinamentos, isso está sendo muito importante pra mim, pois jogando baker games tenho que ser mais rápido nas mudanças, não errar spares e, mais importante, jogar cada frame como se fosse o mais importante de todos.

Nos treinamentos individuais com meu técnico, ele tem feito eu trabalhar muito spares. Em um dos treinamentos nós marcamos todas as saídas (onde piso), todas as chegadas (onde termino com o pé) e qual tábua passo a bola em TODOS os spares, primeiro todos os pinos da pista, depois figuras que deixo e depois alguns splits comuns.

Estou me dedicando muito, treinando muito dentro e fora das pistas para estar realmente pronto para realizar meus futuros objetivos, tenho feito visualizações diárias junto com afirmações escritas diárias sobre a minha participação na Copa Mundial qubica AMF, na Rússia.

Como disse o Dr.Dean (psicólogo da seleção americana de boliche): “não avalie os pensamentos, palavras e ações dos outros sobre você, o que realmente importa é o que VOCÊ acredita que É antes de ser.”

Vou dar o meu máximo e fazer tudo que posso, sempre tentando dar aquele extra que faz a diferença.

Esta semana volto para o Brasil, feliz e satisfeito com minha atual situação e mais focado que nunca em meus objetivos.

Vou continuar com meus treinamentos e caminhando em direção às minhas metas de curto e longo prazo.

Boa sorte a todos no Campeonato Brasileiro Individual!

Obrigado e abraços,

Marcelo Suartz.”

0 Comentários

  1. caio vieira

    2 de novembro de 2007 at 19:07

    tudo bem marcelo?
    sou o caio treinei com você na terça!
    agradeço pelas dicas bati 223 no torneio do veiga e fechei uma linha sem perder spare!
    e faltou 4 strikes para a perfeita!
    desejo boa sorte no torneio!
    um abraço e bjs da Lia

  2. Wagner Cerchiai

    9 de outubro de 2007 at 08:48

    Oi Marcelo e fãs do Boliche!
    Antes de mais nada PARABÉNS!
    Fazer o que se espera de um atleta como você é uma tremenda responsabilidade, fazer mais do que a gente esperava é fantástico, é sucesso! Alcançar sucesso nos USA é sucesso em dobro, pois lá é o lugar mais avançado em boliche no mundo!!! Realmente o boliche é um esporte onde a auto confiança é muito importante, pois a gente faz um arremesso, pára, depois faz outro, pára e por aí vai. Isso torna o boliche diferente do vôlei ou do futebol, que a coisa não pára a e adrenalina está sempre em alta.
    No boliche a gente tem que se preparar para o arremesso e dar tudo naquele momento, sem ansiedade, força demais, força de menos, precisão, etc…..
    É bem difícil e requer muita concentração.
    Bem, nós aqui do Brasil estamos confiantes em você Marcelo e achamos que você vai dar muito na cabeça desses gringos bowler’s !!!
    Vai fundo Marcelão !!!!!! Que a força e o São Time estejam sempre com você.

  3. Ailton Cardoso dos Santos

    8 de outubro de 2007 at 17:31

    Bom Marcelo
    Como sempre, a velha frase sempre é dita, “Vivendo e aprendendo”.
    Em cada minuto de sua vida, aproveite os detalhes que as vezes nos fogem da memória. Seja um homem com coragem e humilde.
    Estaremos aqui na espera de poder te-lo entre nós, abraços

  4. Toninho Luiz

    8 de outubro de 2007 at 12:04

    Completando o meu comentário anterior:
    Deixo registrado que o artigo que escrevi sobre ” jogar bem é ter autoconfiança ” teve a fundamental revisão do Bira Teodoro, atento a tudo o que se refere ao esporte.
    O Bira sempre é, e, sempre será um dos maiores batalhadores para o engrandecimento do esporte, em especial, o boliche.
    Toninho Luiz

  5. Toninho Luiz

    8 de outubro de 2007 at 11:31

    Prezado Campeão Marcelo Suartz,
    Sempre o comentário é este: ” A técnica aplicada pelo Marcelo Suartz é fenomenal e perfeita “.
    Atleta com enorme talento, jogar boliche é um dom natural.
    Seus pais, Edson e Marina, também excelentes jogadores de boliche, merecem todos os nossos elogios e aplausos.
    Fiquei felicíssimo saber que o artigo que escrevi sobre autoconfiança, trouxe benefícios, conforme explicou.
    Desejo sempre, Marcelo, sucesso absoluto em tudo o que realizar,
    pois será muito merecido.
    Toninho Luiz

Deixe uma resposta

× Clique aqui e fale com o editor deste site.