A CBBOL NÃO EXISTE MAIS, AGORA É BOLICHE BRASIL

By
Updated: janeiro 25, 2017

Boliche Brasil 2017

Guy Igliori, presidente da CBBOL (Confederação Brasileira de Boliche) divulgou um extenso comunicado com breves comentários sobre os acontecimentos em 2016 e detalhando as expectativas para o Boliche em 2017.

Destacamos:
> a mudança de nome de CBBOL para BOLICHE BRASIL
> ativação do novo site a entidade
> pagamentos de anuidades e resultados online, ranking automático
> novo Estatuto (Normabol)
> novo formato para o Ranking Nacional
> definição dos locais dos Campeonatos Brasileiro
> possibilidade aos clubes se vincularem diretamente à entidade
> instituição da Comissão de Atletas
> alterações importantes na concessão da Bolsa-Atleta
> implementação de Programa Anti-dopagem
> regras de convocações para 2017


COMUNICADO 001/2017

Caros Atletas e Dirigentes,

Este comunicado de começo de ano será muito mais de boas vindas a 2017 do que de despedida de 2016 como sempre fizemos.

Normalmente é feito um balanço do ano citando o que ocorreu, mas como temos muitas coisas para 2017 preferimos neste comunicado focarmos no futuro, porém sem deixar de mencionar os feitos maravilhosos conquistados por nossos queridos atletas.

Marcelo Suartz ao fim de 2016 foi o 5.º colocado no Mundial Individual de Boliche no Qatar, sem dúvida uma das conquistas mais importantes a ser lembrada e reverenciada por todos nós.

Além é claro das medalhas conquistadas no Sul-americano Adulto na Colômbia em ambos os times. Márcio Vieira, Eduardo Andrade, Rogério Bachi e Igor Pizzoli no masculino e Stephanie Martins, Lúcia Vieira, Neuza Kae e Léa Castro no Feminino, bem como nossos medalhistas juvenis em Aruba, Pedro Diniz e Antônio Carlos.

Mas o que vem por aí?

Bem, muitas coisas, e precisamos do engajamento de todos, atletas, dirigentes, proprietários de casas comerciais e colaboradores em geral, e por isso o comunicado é um pouco longo, mas necessário.

Vamos começar informando a todos o calendário final, com as sedes dos Campeonato Brasileiros já definidas pelo BOLICHE BRASIL, isto mesmo, a principal mudança já está aí, não seremos mais CBBOL, precisávamos de um nome auto reconhecido por todos, principalmente os de fora do nosso grupo, logo, desde já, informamos que a partir de 1.º de janeiro passamos a ser oficialmente BOLICHE BRASIL!

1) CALENDÁRIO

(clique aqui e confira os eventos em 2017)

2) BOLICHE BRASIL

Vamos explicar melhor isso. Acompanhando as mudanças na WTBA que passou de World Ten-Pin Bowling Association para simplesmente WORLD BOWLING, resolvemos fazer o mesmo, a sigla CBBOL é conhecida por todos nós, porém não é auto explicativa.

A imprensa, pessoas do governo, público em geral, precisavam identificar-se melhor e mais facilmente conosco, portanto aprovamos na assembleia passada a mudança de nomenclatura que funcionará como o nome fantasia da Confederação Brasileira de Boliche, logo seremos apenas BOLICHE BRASIL.

3) NOVO SITE

Conforme já divulgamos a alguns, a partir de 1.º de janeiro de 2017 temos um novo site, que já está no ar sendo completado com as informações antigas, mas já está em pleno funcionamento. Nosso novo site é www.bolichebrasil.com.br.

O que teremos neste novo site?

Não será somente a cara nova e a facilidade de se adaptar as telas de smartphones e tablets. Nosso novo site será acima de tudo nossa principal ferramenta de comunicação.

Pagamentos on-line

O pagamento das anuidades dos atletas e de todos os campeonatos Brasileiros serão feitos via site através de cartão de Crédito. Por isso a necessidade de todos atualizarem seus cadastros informando o CPF, pois a chave de identificação do atleta será o CPF.

Torneios/Resultados on-line

Todos, literalmente TODOS os torneios serão lançados on-line durante sua realização no novo site, esta ferramenta estará disponível até o fim de março.

Após a sua implantação, torneios locais, regionais, taças, brasileiros e eventualmente torneios internacionais terão suas partidas lançadas logo após jogadas, no site do BOLICHE BRASIL.

Isso visa atender a uma demanda de todos nós que clamamos por agilidade nos resultados enquanto jogamos, mas visa também o acompanhamento de quem está jogando, quantas partidas estão sendo jogadas, onde estão sendo jogadas, facilidade nas organizações dos torneios pelas federações, geração de estatísticas e principalmente o Ranking automático (próximo tópico).

Ranking Automático

Com o novo site em pleno funcionamento e com todos os torneios (inclusive os locais) sendo lançados, teremos a geração automática do ranking. Pretendemos que o site divulgue automaticamente o ranking todo dia 1.º do mês e também imediatamente após os Brasileiros.

4) REDES SOCIAIS

Neste ponto precisamos literalmente da ajuda de TODOS. Nossa comunicação será interativa entre o site e as redes sociais, e precisamos dar visibilidade ao BOLICHE BRASIL.

É extremamente importante que todos curtam a Fan-Page do BOLICHE BRASIL no Facebook e sempre compartilhem em suas time-lines as nossas publicações, com isso teremos mais visualização na Fan-Page o que nos proporcionará mais um canal de vendas da nossa marca, ou seja, patrocínio.

Explico: as vezes temos publicações que tem 3000 visualizações na Fan-Page, e temos outras com apenas 20, quanto mais visualizações temos mais fácil fica para vendermos nossa marca.

O mesmo vale para o Twitter, Instagram e o Youtube. Sendo assim segue a lista das nossas redes sociais para que todos curtam, acompanhem e compartilhem:

www.facebook.com/bolichebrasil
www.instagram.com/bolichebrasil
www.twitter.com/bolichebrasil
www.youtube.com/channel/UCplOB9ubU-rJPMZizGMNYQw

  • Notem que no canal do Youtube ainda não consta nosso nome: BOLICHE BRASIL, pois precisamos de ao menos 100 inscritos no canal, portanto depende de nos inscrevermos lá, feito isso também poderemos usar nosso canal para transmissões ao vivo.

5) NOVO RANKING 2017

A principal mudança no ranking para 2017 será o valor atribuído aos Boliches Assistidos (cordinha), eles passarão a ter os mesmos pesos dos torneios realizados em boliche automáticos, desde que atendidos os mesmos requisitos (quantidade de jogadores e representatividade estadual), assim sendo uma taça em Mato Grosso do Sul terá o mesmo peso que uma taça Rio de Janeiro se 5 estados participarem e a quantidade de jogadores for a mesma.

Após esta mudança todas as Taças deverão ser realizadas em seus respectivos estados, pois terão a mesma tabela de pontuação não mais se justificando a realização de taças fora do estado.

6) CAMPEONATOS BRASILEIROS

Como informado em assembleia a partir de 2017 todos os campeonatos Brasileiros serão organizados 100% pelo BOLICHE BRASIL, com isso teremos o total controle de qualidade do campeonato e poderemos “vender” o torneio a patrocinadores.

Enviamos inicialmente um questionário aos boliches do Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Minas Gerais com vistas a obter todas as informações necessárias a subsidiar a organização do torneio, notem que não levamos em conta somente preço (apesar deste ser muito importante), mas vários outros fatores, como a qualidade técnica da casa, receptividade, estacionamento, horários dos turnos, quantidade de turnos, opções de alimentação, possibilidade de patrocínio, possibilidade de um maior número de jogadores num mesmo estabelecimento, rede hoteleira, sistema usado na casa, pódio, internet, enfim, uma variedade de itens que fazem diferença na qualidade final do Campeonato.

Com isso, após as análises dos respectivos questionários definimos:

  1. Brasileiro de Clubes – Rio de Janeiro/RJ – será usado um Pattern Médio
  2. Brasileiro de Tercetos – Brasília/DF – será usado um Pattern Longo
  3. Brasileiro Individual – Guarulhos/SP – será usado um Pattern curto
  4. Brasileiro de Seleções e Taça Brasil de Seleções – Rio de Janeiro/RJ – será usado um Pattern Médio.

7) Sul-Americano no BRASIL

Bem, aqui vale uma nova informação – em outubro de 2016 foi eleita a nova diretoria da Confederação Sul-Americana de Boliche e fui eleito o 2.º vice-presidente desta nova diretoria.

Na mesma assembleia propus a mudança de todo o calendário da sul-americana no ciclo de 4 em 4 anos, aprovada por unanimidade, onde ficou definido que o ciclo será:

2017 – Sul-Americano Consubowl (O primeiro será no Brasil – Rio de Janeiro e será jogado em Duplas podendo um país inscrever até 10 duplas com obrigatoriedade de mulheres e juvenis participarem)

2018 – Jogos ODESUR

2019 – Sul-Americano Maiores (Jogado no formato que conhecemos 4 homens e 4 mulheres)

2020 – Sul-Americano Consubowl (idem 2017 e será no Perú, mesma sede e antes dos jogos Pan-americanos de 2020), com esta mudança todos os anos teremos um torneio Sul-Americano e sem coincidências como havia antes (anos de ODESUR havia outro Sul-Americano).

8) Clubes Vinculados à Confederação

Conforme dito em assembleia, fizemos uma alteração importante no nosso estatuto visando adequar-nos às normas legais vigentes, entre elas as últimas alterações da Lei Pelé.

Com isso a partir de janeiro todos os clubes legalmente constituídos que desejem se vincular diretamente ao BOLICHE BRASIL podem fazê-lo mediante solicitação por escrito à confederação bem como pagamento dos valores respectivos.

Isto não significa que os clubes deixarão de fazer parte de suas respectivas Federações, é apenas uma forma de aumentar a participação nas decisões da Confederação.

Os Clubes vinculados terão direito a Voto em assembleia conforme pesos definidos no estatuto. Já adiantamos que recebemos a solicitação de vinculação do Esporte Clube Pinheiros de SP.

9) COMISSÃO DE ATLETAS

Mais uma importante alteração no estatuto visando à adequação aos ditames legais. A partir de 2017 teremos uma comissão permanente de atletas compostos da seguinte forma conforme novo estatuto:

Art. 48.º – A COMISSÃO DE ATLETAS – A comissão de atletas que fara parte dos atos decisórios da CBBOL, será composta por 2 (dois) atletas praticantes devidamente vinculados em uma entidade de pratica desportiva, filiada a uma entidade de administração regional, eleitos pelo voto direto de cada um dos participes no colégio eleitoral, instituído pela CBBOL, contemplando 4 (quatro) atletas de cada entidade de administração regional filiada.

  • 1.º – o colegiado de atletas, representado por atletas de ambos os sexos, reunir-se-á, em processo eleitoral, uma vez por ano, na primeira quinzena do mês de fevereiro, para em escrutínio secreto ou voto por sistema digital, eleger os dois representantes que integrarão a direção da CBBOL.
  • 2.º – o mandato de dos eleitos é de um ano, iniciando-se em 20 de fevereiro de cada ano e terminando em 19 de fevereiro do ano seguinte.
  • 3.º – terminado o processo eleitoral a comissão redigirá uma ata registrando o resultado do pleito e encaminhara a CBBOL que dará posse aos eleitos.
  • 4.º – a não indicação dos atletas para a comissão dirigente, não gerará efeitos que inabilitem a CBBOL na realização dos atos institucionais e de direito.

10) BOLSA ATLETA

Três alterações importantes quanto ao Programa Bolsa Atleta:

I – A primeira já conhecida é que a indicação do Ranking Brasileiro terá que ter obrigatoriamente a participação de atletas de 5 estados. Este ponto é muito importante para os Juvenis (Sub-21) e Infanto-Juvenis (Sub-16), antes era necessário apenas ter 6 (seis) atletas no ranking, agora continuamos a necessitar de 6 (seis) atletas, mas de pelo menos 5 (cinco) estados distintos, se não tivermos não poderemos indicar o ranking.

Há, portanto, que ser feito um trabalho intenso nas Federações com vistas a filiar atletas SUB16 e SUB21.

II – A segunda é que a partir de agora nenhum dirigente de entidade nacional do Boliche poderá ser indicado a pleitear Bolsa Atleta.

Com isso nenhum diretor da Confederação poderá receber Bolsa Atleta e certamente isso causará um impacto seja nos possíveis indicados, seja em quem estiver disposto a compor a Diretoria da entidade, certamente será mais difícil termos candidatos à Diretoria.

III – A terceira é a mais importante, é que a partir de 2017 a Confederação implementará um programa de controle ANTI-DOPAGEM.

Sem este controle a Confederação ficará inapta a indicar eventos para o programa Bolsa Atleta.

Estamos trabalhando com o Ministério do Esporte e a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem para estabelecer um programa anual que incluirá a realização e testes por conta do Ministério (sem custos para a Confederação por enquanto).

Para tal, o Ministério já nos solicitou o calendário para programar a realização dos testes que pode ser em um evento e até mesmo na residência do atleta e caso o atleta se recuse a dar amostra é considerado Doping. Para auxiliar os atletas indicamos um link de fácil consulta onde é possível colocar o nome comercial de um determinado medicamento e verificar se ele é ou não considerado Doping:

http://consultealista.simposium.med.br

11) NORMABOL

Clique aqui, consultem e conheçam a nova NORMABOL válida a partir de 1.º de janeiro de 2017.

12) REGRAS DE CONVOCAÇÕES DE 2017

Clique aqui, consultem e conheçam as regras de convocações das Seleções de 2017.


Aproveito para agradecer à toda a antiga Diretoria que contribuiu e muito para nosso esporte, em especial à Heloísa Queiroz e ao Dannyel Coelho.

Por último, mas não menos importante, informo que o Gilson do Mar do Mato Grosso do Sul será nosso novo Secretário Geral, responsável por desenvolver a atividade nos boliches assistidos (cordinha), a Sandra “Suzi” Azevedo de São Paulo será nossa Diretora Jurídica, responsável pela elaboração dos contratos com as casas comerciais e auxiliará todas as federações no que diz respeito a regularização de documentação entre outros e o Jamil Sales de Brasília será nosso Diretor Técnico, responsável principalmente pela comissão de arbitragem que criaremos, bem como os Campeonatos Brasileiros.

Um forte abraço a todos e FELIZ 2017!!!

Guy Igliori

Presidente da BOLICHE BRASIL
(Confederação Brasileira de Boliche)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *