EVENTOS FESTIVOS OU SELETIVOS?

By
Updated: agosto 22, 2011

 De: Charles Robini
Para: Federações
Recado publicado no Mural do Boliche Online em 22/08/2011 – 14:59

Aos presidentes,
Vocês que são a favor de tornar as taças torneios festivos, porque não comparam o número de atletas que haviam no tempo que eram praticados os óleos mais seletivos com os atuais números. Não vai haver nenhuma mudança, respeitem o ESPORTE. Essa taça brasilia foi rídicula, condicionamento BANAL, SEM CONTAR DA PALHAÇADA QUE ACONTECEU NA MUDANÇA DE HORARIO NEH, OU NINGUÉM VAI COMENTAR O PQ O ATLETA LUIZ AFONSO PEDIU DESLIGAMENTO DA FEDERAÇÃO DE BRASÍLIA, HEIN?

201 Comentários

  1. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 17:48

    De: Jamil Sales
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online: 25/08/2011 – 08:38
    Ai, ai… as “estrelas” e seus faniquitos…
    Certos recados são desprezíveis, mas os erros de português são imperdoáveis.
    Mudando de assunto… Titila, muito grato Apesar de termos assumido a FBDF dias antes da Taça BSB, penso que conseguimos fazer um evento a contento. Parabéns pelo desempenho.

  2. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 17:49

    De: Charles Robini
    Para: Jamil Sales
    Recado públicado no Mural do Boliche Online em 25/08/2011 – 12:08
    Caro Jamil
    Não estou atacando a sua pessoa, mas se você é um dirigente da FBDF, eu fiz sim uma crítica a sua federação e a todas as outras também. Primeiro que conversei com o Fabio diretor da FBDF que fez suas explicações, embora que em muitas eu discordei dele . Primeiramente o condicionamento era para deixar todos contentes, mas como falei para ele as informações não batem porque você coloca um condicionamento daqueles e depois muda o horário justo no dia que as divisões inferiores podiam levar vantagem, ou seja, a ideia de marginalizar as divisões inferiores continua. Essa colocação que tinham mais atletas de fora nas primeiras divisões não me convenceu porque todos pagam a mesma QUANTIA, então devem receber o mesmo tratamento.

    Você está há muito tempo fora do boliche, sendo assim não tem nem ideia de quais são os padrões de condicionamento jogados no MUNDO exceto no BRASIL. Eu representei o Brasil em vários torneios e sei do que estou falando. Além do mais eu fiquei em 2 lugar no brasileiro de tercetos e critiquei também o óleo publicamente porque também não estava de acordo. Vocês p residentes das federações não pensam no ESPORTE e tratam o boliche como se fosse FESTA.

  3. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 17:50

    De: Jamil Sales
    Para: Charles Robini
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 25/08/2011 – 15:39
    Pela forma colocada, o comentário provocou-me hilaridade, permita-me a franqueza.
    Tu quase acertaste em um único ponto: eu ESTIVE há muito tempo fora do boliche. Em todo o restante, continuas redondamente equivocado.
    Sucesso no Brasileiro Individual.

  4. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 17:51

    De: Charles Robini
    Para: Jamil Sales
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 25/08/2011 – 16:10
    Eu coloquei todos os pontos que não concordo. E a única resposta sua foi quanto ao fato que você esteve ausente, meio hilário esse fato não? Você como membro da diretoria não consegue responder as outras questões ?

  5. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 17:52

    De: F.B.D.F.
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 25/08/2011 – 18:58
    A Federação de Boliche do Distrito Federal (FBDF), repudia o comentário postado pelo Sr. Charles Robini, jogador da Federação de São Paulo, no mural do site http://www.boliche.com.br, esclarecendo a quem interessar possa:

    1. O condicionamento, mesmo BANAL, não permitiu ao missivista uma pontuação elevada – como seria de se esperar, por ele, claro – não figurando sequer entre os dez melhores classificados no Torneio.

    2. Desrespeito ao esporte, e principalmente aos atletas que se destacaram no evento, foi o infeliz comentário do referido jogador paulista.

    3. Esta FBDF teve, tem e sempre terá o maior respeito pelo esporte boliche e por seus atletas participantes. Foi este o ítem primário quando idealizou um certame com condicionamento festivo (e não BANAL), com o objetivo de atender aos anseios da maioria dos atletas que se deslocaram para nos prestigiar (e posteriormente elogiar), e não de uma minoria egoísta e desagregadora.

    4. Quanto à “dita” mudança de horário na programação da XV Taça Brasília, é mais uma inverdade, visto que o primeiro e único comunicado sobre o horário do evento ocorreu em 7 08 2011, conforme amplamente divulgado no site supracitado e no Blog da FBDF, tendo sido mantida rigidamente a programação. Palhaçada, no caso, é criticar sem fundamento.

    5. Se o atleta por ele citado vai pedir ou não desligamento da FBDF, é um assunto de caráter estritamente interno à FBDF, não cabendo ser discutido ou submetido a qualquer outra esfera que não à FBDF e ao próprio atleta.

    Por fim, a FBDF permanece aberta e receptiva a todos que queiram participar e colaborar nos seus torneios e eventos, mesmo àqueles atletas que não demonstrem apreço aos esforços desenvolvidos e àqueles que não primam pela boa norma de se informar antes de criticar infundadamente.

    FEDERAÇÃO DE BOLICHE DO DISTRITO FEDERAL

  6. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 17:53

    De: Charles Robini
    Para: FDBF
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 25/08/2011 – 23:45
    Primeiramente quem é você ? Eu comentei no mural do boliche e ASSINEI com meu nome, ou seja, eu coloco minha cara para bater. Agora vamos por parte.

    1-Você querendo me julgar como jogador. Primeiramente já ouviram falar no futebol “não dá nem pra nem engraxar minha chuteira”, bom traduzindo para o boliche, qualquer diretor da FBDF “não dá nem pra polir minha bola de SPAR”, se vocês quiserem falar em jogo ou conhecimento do ESPORTE BOLICHE.

    2-Outra pergunta ao anônimo. Você sabe ler? Não foi porque eu não fiquei nem entre os 10 primeiros colocados que eu reclamei. No brasileiro de tercetos agora na Bahia eu fui segundo colocado no All-events e CAMPEÃO do evento. Mesmo assim, eu reclamei DIRETAMENTE COM MEU PARCEIRO DE EQUIPE (RESPONSÁVEL PELO CONDICIONAMENTO) E FALEI QUE ERA LAMENTÁVEL AQUELE ÓLEO.

    3-Quanto ao horário vamos lá. Vocês não soltaram o horário do torneio antes por quê? Sendo que vocês já sabiam que iria haver dois turnos, conforme estava escrito no convite na taça. Explica porque as divisões inferiores jogam todos os dias de manhã e no dia de ir embora (Dia dos pais para lembrar), a primeira divisão foi favorecida novamente?

    4-Para finalizar o atleta citado é o meu amigo Luiz Afonso. Uma pessoa que possui uma integridade incomparável e não aceita mudanças que venham favorecer alguém.

    CHARLES COSTA ROBINI (Aprende mais essa)

  7. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 17:54

    De: Bira Teodoro
    Para: Todos
    Recado: 25/08/2011 – 23:49
    Por uma questão de segurança de navegação, o mural não aceita diversos símbolos, peço desculpas e compreensão por isso.
    Lembro, também, que os recados aqui no mural são TEMPORÁRIOS, ou seja, periodicamente são apagados.
    Para debate, registros de reclamações e elogios, sugiro que usem os comentários do BLOG.
    Obrigado.
    Bira Teodoro

  8. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 17:57

    De: Fabio Grossi
    Para: Charles Robini
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 00:25

    Fico muito triste com toda essa situação. Conversamos hoje por telefone e você mesmo falou que seu primeiro post foi publicado ouvindo apenas o que seu amigo falou na bahia. As criticas são sempre bem vindas, independente se positivas ou negativas, mas é sempre bom ouvir os dois lados antes (estou repetindo aqui o que conversamos hoje)

    Quando um post é assinado por uma federação, expressa o entendimento de todos os seus dirigentes, vindo daí a não necessidade de colocar o nome de todos os diretores.

    Acho que esse tipo de discussão, na forma ofensiva em que foi iniciada, é absolutamente desnecessária, pois, ao final, com certeza, não teremos nenhum vencedor ou mudança substancial. O desrespeito e destrato só causam mais arestas, quando o que deveríamos procurar era a conciliação para buscarmos soluções em conjunto.

    Como você mencionou todos os diretores da FBDF, digo apenas que me sinto bastante confortável para falar de jogo ou conhecimento do ESPORTE BOLICHE com você sempre que achar necessário. Eu já representava o Brasil em torneios mundiais antes de você jogar boliche. Estudo o ESPORTE BOLICHE desde 1989. Sou operador de Pro-Shop desde 1993. Fui o 5o jogador brasileiro a fazer 300 em partidas oficiais. Recentemente, me tornei o maior ganhador de prêmios em dinheiro em edição única no TAT de Las Vegas, terminando em 4o lugar no geral e embolsando 10 mil dólares.

    Ressalto que isso não é uma competição de currículo. Serve apenas para você entender que não está falando com qualquer um, como deve estar imaginando.

    Gosto muito de você, acho você uma pessoa do bem e espero podermos parar com essa agressão gratuita e desnecessária. Quer mudar alguma coisa, vamos fazer isso juntos, e não brigando pela internet. Você tem meus números. Qualquer coisa me ligue. Abraços.

  9. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 17:58

    De: Renan Zoghaib
    Para: TODOS
    Recado publicado no Mural do Boliche Online 26/08/2011 – 04:07

    E olha que dessa vez nem foi minha culpa hein?

  10. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 17:59

    De: Charles Robini
    Para: Fabio Grossi
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 09:19

    Caro Fabio

    Primeiramente em momento nenhum eu citei algum jogador ou fiz uma crítica direta a uma pessoa, o tal de FBDF escreveu com o intuito de me denigrir como atleta.

    Eu estou falando em Esporte. Todo esporte depende de resultados, só você observar o judô, tennis que teve o Guga, entre outros. Todos os esportes começam a ser valorizado primeiro pelo resultado expressivo, depois começam a aparecer os patrocínios.

    Agora falando em BOLICHE, vocês diretores estão indo no lado contrario do mundo, visto que o MUNDO joga em um padrão e o BRASIL joga em outro padrão. Nesse ritmo temos que formar atletas com qualidade, desde o início de suas carreiras, se acostumarem a treinar, buscar a parte técnica, ou seja, vocês devem procurar formar atletas.

    Ao colocar um condicionamento que eu considero medíocre, olha o que acontece. Você favorece as pessoas que não treinam porque tudo é STRIKE, não se esqueça que o boliche é um esporte de repetição. Você acostuma todos os ATLETAS COM UMA FALSA REALIDADE SOBRE SUAS REAIS MÉDIAS e para finalizar cria jogadores para uma realidade somente vista no Brasil.

    No mundo inteiro o que vocês estão fazendo chama-se LIGA DE BOLICHE, então está na hora de a federação e a confederação tratarem do ESPORTE e não da RECREAÇÃO NOS FERIADOS.

  11. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:00

    De: Décio Abreu
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 12:08

    Charles, conforme te falei pessoalmente, vc estava num mau humor jogando, não posso dizer que foi agradável jogar na pista contigo. E não concordo com vc. Nem pelo mau humor nem com a sua visão do esporte.

    Antes de fazer eventos altamente seletivos, precisamos voltar a ter alegria em jogar boliche, tornar os eventos agradáveis e prazeirosos. Não estou a fim de ficar levando 8 bolas para eventos com dois condicionamentos, acho que quem quer ser competitivo mundialmente deve se preparar especificamente para tal, vai pra Kegel, treina muito em diversas condições, etc. Mas quero lembrá-lo que 98 ou 99 dos jogadores em atividade NO MUNDO jogam boliche como lazer. Se queremos crescer, ter jogadores de qualidade em abundância, temos que crescer nosso mundinho. Não podemos viver de um Guga, um WC dos 80s, de um Marcelo. Temos que ser como o vôlei, sai um craque e tem 10 para entrar. Só assim poderemos evoluir num cenário mundial. Antes, temos que tornar o boliche agradável e atrativo ou sempre seremos um bando de gatos pingados que diminui e envelhece a cada dia.

    Já disse aqui, nem o Senna nem o Guga, nem o Pelé começaram em seus esportes pensando em serem no. 1 do mundo. Começaram e seguiram porque gostavam, porque era divertido.

    Parabéns à FBDF por trazer a alegria de volta.

    Abraços

  12. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:01

    De: Bira Teodoro
    Para: Décio Abreu
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 13:30

    Concordo com você. Embora festivas e alegres ainda assim as Taças conseguem selecionar os melhores jogadores do momento, basta clicar no link Resultados acima e analisar a última década.

    A verdadeira preparação de um atleta não acontece DURANTE um evento e sim num treinamento METÓDICO, PLANEJADO e CONTÍNUO, sem improvisos.

    O resto são vozes isoladas e votos vencidos, que nada acrescentam.

  13. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:02

    De: Charles Robini
    Para: Décio e todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 14:19

    Décio

    Um prazer sempre trocar conhecimento com você. Bom vou te fazer uma pergunta, esses 10 jogadores da seleção de vôlei que você comentou. Esses jogadores treinam nas mesmas condições ou eles treinam vôlei de praia? Mas são tão bons que conseguem jogar na seleção principal? Poxa pergunta muito fácil. Existe uma liga NACIONAL forte que fornece aos jogadores condições IGUAIS AS JOGADAS NOS MUNDIAIS.

    O boliche precisa sim de outros WC´s e Marcelo Suartz´s. Esse modelo que vocês gerem o esporte é muito defasado. Primeiro que não temos recursos para treinar os atletas separadamente. Qual boliche vai fornecer a um atleta óleo longo ou curto para alguém treinar? Décio você tem boliche, você vai me dizer que se o Daniel Murta (atleta de alto nível) quiser você vai preparar a pista de acordo com o que ele quer?Essa realidade não existe no Brasil, então os torneios nacionais são os únicos momentos que podemos proporcionar algo aos nossos atletas.

    Fabio Grossi esses 10 caras que você citou, alguns estavam na seleção que jogou agora o interamericano certo? Você acompanhou? Cara o resultado foi MEDÍOCRE (exceto o Marcelo Suartz) porque isso aconteceu? Claro que os caras não jogam nesse tipo de condicionamento faz muito tempo e esse foi o motivo. Digo mais o pega os resultados do torneio das américas dias antes do torneio e compara com os da taça. Cara aonde que está escrito que para as pessoas saírem felizes do boliche, tem que fazer 220?

    De: Fabio Grossi Para: Bira
    Recado: 26/08/2011 – 13:46

    Bira, apenas ilustrando o que você colocou, lembro que dos 11 primeiros colocados da primeira divisão da Taça Brasília, 10 estão colocados entre os 13 primeiros do ranking brasileiro.

  14. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:02

    De: Bira Teodoro
    Para: Charles Robini
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 14:39

    Você parou pra pensar porque o Marcelo Suartz foi o melhor desempenho da seleção?

    Tem pouco a ver com condicionamento das Taças das quais ele participou, e MUUUUUITO mais a ver com o treinamento com MÉTODO, PLANEJAMENTO e CONTINUIDADE, a que ele se submete nos EUA.

    A participação em eventos serve para outro tipo de treinamento: o MENTAL GAME.

    E nesse item a sua avaliação é evidente para todos que lêem suas manifestações.

  15. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:04

    De: Décio Abreu
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 14:50

    Charles,

    Vc sabe que eu adoro a sua alegria, por isto me surpreendi. Em qq condição, creio que os melhores sempre vencem. Lembro que um dos 10 melhores em DF que quebrou a estatística fui eu, que estou parado há anos, mas sempre figurei bem no ranking.

    Vc está confuso. Reclama da CBBOL, federações ou dos boliches? Se o Daniel pedir, eu faço um óleo para ele treinar. Já fizemos isto para a seleção mineira. Mas isto é com os boliches.

    Nas taças, os gastos para participar são enormes. Avião, hotel, táxi, comer fora de casa, etc. Fora deixar minha família de lado. Se não for divertido, vou pra praia. Esta é a visão da maioria, Charles. Taças com 2 óleos, estou fora. E a maioria pensa assim.

    Volto a dizer, se quer treinar e competir, vá para a Kegel. O Chris Barnes e outros pros vivem lá. O Marcelo é o Marcelo porque investiu. O Boliche no Brasil precisa crescer muito ainda em números para pensar em torneios complicados. Se continuar assim, vai morrer. Aliás, coincidência ou não, os jogadores começaram a desaparecer quando se começou a fazer torneios sérios e seletivos. Tivemos uma medalha de prata no Pan 2007, mas os jogadores murcharam. Muitos achavam que a partir da medalha os patrocínios viriam, mas foi o oposto. Nada de parocínios, e o número de jogadores só murchou desde então. Para falar a verdade, o que leva um jogador de MG a participar dos torneios não tem nada a ver se medalhas foram ganhas ou perdidas. É tão somente a diversão.

    Vc fala de recursos. Como o esporte vai ter recursos com meia dúzia de jogadores em atividade? Os que querem ir a um mudial, são meia dúzia, e os que podem competir neste nível, são o time do Marcelo eu sozinho. Estragar a brincadeira por nada não vale a pena. No dia que tivermos 1000, 5000 atletas em atividade, sou a favor do brasileiro individual com 18 óleos, um diferente em cada pista do del Rey. Por enquanto, se quiserem contar comigo e muitos outros, deixem a turma se divertir. E que a CBBOL treine a sua seleção como e onde achar melhor.

    Para terminar, jogar bem boliche requer bons fundamentos. Para treinar bons fundamentos, qq óleo serve. Basta ter consciência do jogo, não se iludir com strikes, mas se certificar que está executando bem. Se vc já foi à Kegel, sabe que falo a verdade.

    Um abraço

  16. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:05

    De: Décio Abreu
    Para: Charles
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 16:15

    Ah, esqueci de falar que nunca treinei no Cosmic, mas fui o jogador em MG que mais ganhou all events lá, e o maior número de Mineiros Individuais lá também, 3 títulos em 7 anos. E com Máquinas diversas, a da Brunswick (igual à de BSB), Kegel e Breeze. 2 condicionamentos e condicionamentos pegadinha, que derrubava todos os que treinavam lá. Se treinar nas condições em que se vai jogar fôsse tão importante, eu estaria ferrado, pois só treinei todos estes anos no Del Rey. E o WC dominaria, pois já deve ter jogado mais de 1.000.000 de linhas lá.

    Tenha bons fundamentos e será competitivo em qq torneio.

    Abs

  17. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:05

    De: Charles Robini
    Para: Décio
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 18:54

    Décio,

    A minha crítica é exatamente essa. Vocês levam o esporte como HOBBY. O esporte tem que ser levado a sério. Você acha que receber um BOLSA ATLETA é só pra ajudar nas despesas da DIVERSÃO. São por essas e outras que nosso ESPORTE se encontra nesse lixo. A Confederação e as Federações tem que tratar o BOLICHE COMO ESPORTE, esses órgãos não tem que se preocupar se os caras saem FELIZ OU CHATEADOS, apenas realizar as competições conforme os padrões MUNDIAIS. Você já viu alguma nação de vôlei treinar com altura de rede mais baixa só porque sua média altura da população é baixa para que todos possam cortar, bloquear. Décio quando vocês utilizam esse óleo vocês acostumam que o jogador acredite que a média dele seja irreal. Se você acostumar eles com as médias REAIS, cada torneio que um jogador de 170 bater 180, ele vai ver uma evolução. Agora um cara que não vai duas vezes por semana no boliche não querer bater 220 de média em torneio NENHUM.

    Quantos aos custos, muito simples. Na hora que em se definirem as datas dos torneios, já se defini um padrão de óleo (Curto, Longo, Médio), dessa forma você leva apenas as bolas que você julga necessário. E outra vocês sempre fizeram esse óleos bloqueados, cansei de jogar taças com condicionamentos MEDÍOCRES. Agora me diz QUANDO que houve esse número que você está falando de atletas. Décio sempre foram os mesmo atletas, NUNCA houve esse tal evolução porque o torneio ERAM COM ESSE CONDICIONAMENTOS. Aprende o boliche só vai ser mais praticado quando as pessoas ao ligarem a televisão começarem a ver os resultados e que o BOLICHE É ESPORTE E NÃO UM HOBBY.

  18. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:06

    De: Charles Robini
    Para: Bira Teodoro
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 19:04

    Caro Bira,

    Provavelmente você nunca foi para Kegel. O Marcelo além de treinar a parte física. Ele treina nos condicionamentos que são utilizados os saques, velocidade, superficie entre outros.

    Cara eu ouço vocês falarem em MENTAL GAME. Bom vocês nem sabem o que é isso. Se esses jogadores primeiros da taça brasília tivessem tanto MENTAL GAME. Me diga o que aconteceu no Torneios da Américas e Interamericano Adulto em que ele jogaram esse boliche MEDÍOCRE? CADE O MENTAL GAME?

    Bira você é um cara sensacional, acredito que nunca conheci um cara tão competente na parte de Mídia, mas você precisa se atualizar em questão de como gerir um ESPORTE, procure ver como as federações Venezuelana, Colombianas conseguem tanto dinheiro e como conseguiram? Depois você vem me falar se a chave é fica jogando torneio festivo. Eu te falo porque já conversei diversas vezes com os dirigentes, técnicos em torneios internacionais.

  19. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:07

    De: Eduardo Issa
    Para: Quem quiser
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 19:10

    CASA QUE FALTA PÃO, TODO MUNDO RECLAMA E NINGUÉM TEM RAZÃO.

  20. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:07

    De: Bira Teodoro
    Para: Charles Robini
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 20:28

    O mais perto que cheguei da Kegel foi quando noticiei a introdução do CATS aqui no Brasil (infelizmente não vingou). Fazer um estágio na Kegel foi um sonho que não consegui realizar na minha tardia e curta carreira no boliche… rs

    Nas minhas viagens da Copa Mundial (Eslovênia, Venezuela, Rússia, México, Malásia) conversei muito com dirigentes e atletas de outros países, principalmente sobre o boliche no país de cada um. E sabe a palavra que mais ouvi? Decadência e falta de planejamento.

    É importante que você tenha iniciado esse debate, só que essa conversa de condicionamento (fácil, difícil, festivo, disneylândia, etc) acontece há décadas e nunca deu em nada.

    Talvez uma coisa que eu tenha feito e você não, foi participar da organização e promoção de eventos de boliche. Você não tem idéia das dificuldades de logística que se enfrenta para montar um evento desses.

    É muito fácil debitar a um ponto do evento (condicionamento) todas as mazelas do nosso esporte Boliche, mas, infelizmente, não é tão simples assim.

    Eu sei como as federações Venezuelanas e Colombianas conseguem verbas para o Boliche e não tem nada a ver com condicionamento de pistas de boliche.

  21. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:08

    De: SMartinelli
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 21:11

    Em meu nome, parabenizo as sempre inteligentes e pontuais interversões do Décio e do Bira. Não sei quem é esse garotinho … deve ser novo no esporte … o Charles Robini que conheci não era grosseiro, mal educado, ignorante, babaca, como esse que tem escrito no mural … como garotinho, merece uns tapas na bunda.

  22. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:08

    De: SMartinelli
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 21:12

    … e enquanto eu estiver na FBDF, não participa mais de nenhum torneio do DF …

  23. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:09

    De: SMartinelli
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 21:16

    … o medíocre ficou 556 pinos atrás do 1o. colocado … dever ser despeito … não teve competência para combater as adversidades do momento … foram somente 20 linhas … se fossem as tradicionais 24, o bonequinho teria ficado cerca de 670 pinos atrás … CANSEI DE TANTA BABAQUICE, MOLEQUE.

  24. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:09

    De: Charles Robini
    Para: SMartinelli
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 21:46

    Sempre tive um respeito sobre sua pessoa e nunca te agredi publicamente, minhas críticas foram para federação, mas já que você quer levar pro lado pessoal vamos lá, lembre que você já participou em algumas discussões no mural para defender seus IDEAIS e nunca te ofendi. Bom falando de boliche agora, talvez você esteja um pouco velho e leve o boliche como Hobby. Quanto as suas colocações, só te lembro de uma coisa. Dos jogadores que ficaram na minha frente, nos últimos torneios internacionais NENHUM deles ficou na minha frente, e para finalizar no último ano que joguei que foi em 2009 eu terminei em 1º RANKING BRASILEIRO. E fique tranqüilo se você não ouviu EU não volto a jogar em Brasília novamente enquanto houver esses diretores que de devem entender de BOLINHA DE GUDE e não de boliche

  25. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:10

    De: Charles Robini
    Para: Bira
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 21:58

    Caro Bira,

    Sempre muito positiva a conversa com você. Concerteza conhecer a Kegel seria uam experiência fantástica, que iria te agregar muita coisa.

    Bira o que estou querendo dizer é que todos os esportes no Brasil se destacam de uma maneira particular. Essa maneira é a seguinte: Você tem que trazer resultados internacionais para ganhar reconhecimento. Isso acontece com todos. Cara na Colombia e Venezuela, acredite eles bancam, mas porque são países que tem resultado. O que eu quero mostrar a você é que o condicionamento pode ser o ponto INICIAL. Vou te explicar como:

    Você obriga o atleta a ir treinar mais vezes, o atleta fica mais versátil e o prepara de maneira similar para os torneios internacionais. Eu já falei uma vez que não estou interessado só na 1º Divisão. Se vocês não sabem, existem torneios de PAÍSES DE JOGADORES DA SEGUNDA DIVISÃO. Esses torneios podiam ser mais explorados pela confederação a fim de incentivar a TODOS OS JOGADORES. Cara eu sou um cara que pra representar o BRASIL JÁ LIMPEI MUITO ARREMATE, APPROACH , tentando representar bem meu país, mas poucas pessoas sabem disso e também não me importo, eu fiz porque gosto do ESPORTE boliche e não para curtir feriados e férias.

    Gosto muito de debater idéias positivas Bira, mas cara ficar curvado a esses caras não da mais.Primeiro que os caras não jogam nada e só querem destruir o ESPORTE.

  26. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:11

    De: Charles Robini
    Para: TODOS
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 22:02

    Para entender que existem campeonatos para divisões inferiores também, entrem no site http://www.femebo.org – em seguida click no link “archivo histórico” na parte superior lado direito – vai abrir torneio de 2010, logo o segundo torneio é esse o qual eu comentei.

  27. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:11

    De: Bira Teodoro
    Para: Charles Robini
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 26/08/2011 – 22:52

    Nos exemplos que você citou sobre outros esportes, deixou de lado o mais popular no nosso país: o futebol. No início era a elite branca que dominava o esporte trazido ao Brasil pelo Charles Muller, depois foi sendo popularizado aos poucos. Porém tem uma grande diferença para o Boliche, é um esporte COLETIVO, assim como o Volei, o Basquete, portanto é uma comparação difícil de fazer.

    Talvez o Tênis esteja mais perto do boliche (pelo destaques individuais na mídia), com vantagens pra um e pra outro. O Tênis é mais elitizado que o boliche, porém é muito mais barato e tem quadras em inúmeros condomínios e clubes. O Boliche pode ser praticado em qq época do ano, por ser indoor, ao contrário do Tênis e Golfe. E por aí vai…

    Todos os esportes mais populares podem ser praticados por amadores, por simples lazer ou hobby. O que pega mal no boliche é que você pode beber, fumar e comer DURANTE a prática do dito cujo.

    É claro que essa análise deve ser mais profunda que uma rápida mensagem de mural, mas em nenhum dos esportes populares os PROFISSIONAIS ou ATLETAS DE ELITE usam os eventos para melhorarem o desempenho, e sim para MOSTRAR os resultados de TREINAMENTOS PLANEJADOS, METÓDICOS e CONTÍNUOS.

    Os resultados são consequências do planejamento e não o contrário.

  28. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:12

    De: Décio Abreu
    Para: Charles
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 27/08/2011 – 15:35

    Charles, você não sabe da história do boliche no Brasil. Além de jogador, fui fundador da Conf Sul Americana, chefe de delegação dos primeiro Sul Americanos e formador das primeiras seleções que foram ao T.Américas. Não levo boliche como hobby, minha carreira de atleta inclui títulos brasileiros nas décadas de 70, 80, 90, 00, medalhas internacionais idem. O último bras ind da 1a div que joguei, em 2007, acabei em 4o. Um pouco mais de respeito, não sou leigo no assunto.

    Levei o Bernardo à Kegel agora em julho. Tal como um vídeo instrutivo que fiz, eles não ensinam sobre óleo, focam na execução todo o tempo. No braço junto ao corpo, no cotovelo ao piso, no braço esticado e à frente, no equilíbrio da chegada para poder repetir, etc. Nada de 1,2 ou 3 dcondicionamentos. Quem joga bem joga em qq condicionamento.

    O boliche em todo o mundo está em franca decadência por causa desta “evolução” técnica. Hoje, a bola certa na região certa vale 20 pinos de média. EM BSB ou no Tamarac de Miami. Em BSB falei isto entre o 1o e 2o dias, refiz a superfície da minha bola, e saí de 190 para 230. Isto é que tem desanimado muitos jogadores. Antes, o esporte era mais competitivo, mais nivelado. Ao aparecer a bola reativa, as fábricas adoraram, vendiam muitas bolas, uma festa. Mas paulatinamento isto diminuiu tanto o universo de jogadores em todo o mundo (principalmente USA) que a festa virou velório.

    O que faz o futebol tão popular é a simplicidade, é a habilidade superar o poder econômico e ser o pré requisito principal para a vitória. Claro que treino é fundamental, mas o boliche se complicou demais e está perdendo terreno.

    No Brasil há um pretenso elitismo incompreensível. Os “craques” não podem jogar ligas, não podem se misturar. Que qué isto, meu? O Alfonso, Arturo, inúmeros craques que conheço jogam ligas em seus países…Quem são os nossos craques para se vestirem de tanto esnobismo? Com esta visão, fica cada vez mais longe uma medalha mundial…

    Ah, outra coisa que já é reconhecida nos EUA: O boliche se fez como esporte coletivo. Quando virou mais individual do que coletivo, entrou em decadência. Para muitos “craques” pensarem.

    Um abraço.

  29. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:13

    De: SMartinelli
    Para: Bira e Décio Abreu.
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 28/08/2011 – 17:13

    Simplesmente brilhantes os comentários feitos por vocês. É uma pena que o site tenha de apagar os comentários aqui publicados, pois de tempos em tempos vem um desinformado reclamar disso ou daquilo que vocês já devem estar cansados de comentar. Não tenho o mesmo conhecimento técnico de vocês, nem o mesmo curriculum e muito menos a mesma paciência para mostrar aos ignorantes de plantão as mazelas do esporte boliche. Vocês sabem das dificuldades que se tem em organizar eventos sem nenhum apoio ou patrocínio, procurando atender às exigências do maior número possível de atletas. Após 5 anos impedidos de jogar boliche, vivemos atualmente uma verdadeira euforia com a inauguração do Striker e dentro desse espírito procuramos realizar a XV Taça Brasília. Com 96 atletas jogando e somente 1 reclamando, pode-se dizer que a Taça “foi um sucesso”. Agradeço a todos, e em especial a você Décio que colocou “…Parabéns à FBDF por trazer a alegria de volta.. ”.

  30. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:14

    De: Charles Robini
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 28/08/2011 – 18:57

    Eu estive convesando com alguns atletas e muitos não entenderam os pontos, talvez eu me expressei mal.O que ocorreu na taça Brasilia foi que teve algumas pessoas dando aquela “arrumada na mámquina de óleo” na véspera. Ou seja, TODOS NÓS SABEMOS QUE TIPO DE ARRUMADA.

    2- HOUVE UMA MUDANÇA NO ÚLTIMO dia do campeonato que também ocorreu nos bastidores e ela foi fruto da saída do Luiz Afonso. GALERA VOCÊS SABEM QUE ISSO MUDOU PRA FAVORECE ALGUMAS PESSOAS QUE MANDAM NO ESPORTE

    3- VOCÊS VIRAM QUE O TAL FBDF FUGIU DO ASSUNTO E NÃO RESPONDEU PORQUE O ATLETA SAIU DA FEDERAÇÃO E NINGUÉM COMENTOU DAS TAIS MUDANÇAS

    GALERA VAMO PARA DE SER HIPÓCRITAS. ALGUMAS PESSOAS MANDAM NO ESPORTE BOLICHE.

  31. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:15

    De: Charles Robini
    Para: Bira Teodoro
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 28/08/2011 – 19:24

    Bira,

    Você foi mais uma vez perfeito nos seus comentários. O que eu estou falando é o seguinte, essa política de levar o boliche com condicionamentos fáceis vem sendo praticada há anos e qual foi o RESULTADO? Resposta: NENHUM.

    Pessoas continuam parando de jogar e alguns novos aparecem, mas o que o BOLICHE EVOLUIU nesses últimos anos? RESPOSTA NADA.

    Pegue a federação PAULISTA como exemplo, chegou a ter 300 atletas. As últimas diretorias têm implantado um óleo para altas médias em todos os torneios? Cresceu o número de praticantes? RESPOSTA: NÃO. Conclusão a federação está cada vez menor, pior e não É CULPA DO ATUAL PRESIDENTE E SIM DE UM PROCESSO QUE VEM HÁ ANOS.

    Bira, então eu acredito que está na hora de mudarmos a mentalidade e tratarmos o BOLICHE COMO ESPORTE e após o resultado dessa gestão, daí sim fazermos uma comparação concreta.

    Para finalizar. Bira você está de acordo que até agora não houve nenhuma evolução no ESPORTE com essas idéias quem vem sendo praticadas?

  32. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:15

    De: Charles Robini
    Para: Décio Abreu
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 28/08/2011 – 19:37

    Décio primeiramente quero lembrar que tenho muito carinho pela sua pessoa e respeito sua historia dentro do boliche. O fato é que temos opiniões distintas.

    Quando você falou de Kegel, eu estive lá e vi como foi realizado o treinamento da atleta Stephanie Martins ( por sinal está de parabéns pela evolução) e o cara começou pedindo que a Stephanie realizasse 10 tiros no óleo longo e 10 tiros no óleo curto, ou seja ele já quis ver todas as facilidade e dificuldades que ela possuía dentro das diversas áreas de jogo concorda? E só após isso começou a realizar as mudanças, porque será que ele pediu para ela jogar em 2 óleos e não em apenas um?

    Segundo ponto, você foi perfeito ao colocar que eles procuram melhorar seu jogo para AUMENTAR A REPETIÇÃO DE SEUS arremessos, ou seja, o BOLICHE É UM ESPORTE DE REPETIÇÃO CONCORDA? Então ao colocar esse tipo de condicionamento que você pode errar 10 TABUAS E ACERTAR O POCKET, VOCÊ NÃO PRESA A REPETIÇÃO CONCORDA? Sendo assim, porque fazer com que o Bernardo melhore seu jogo , sendo que qualquer PANGARÉ que não vai duas vezes por semana no boliche pode jogar de igual para igual e mais podem representar o Brasil e o seu filho não porque o RANKING É BASEADO NESSES RESULTADOS E NÃO EM QUEM JOGAR MELHOR.

    Décio para que você venha entender melhor a minha revolta sobre a taça Brasília, leia minha última mensagem a todos e procure saber as verdadeiras respostas, então você vai ver porque eu estou revoltado.

    Um grande abraço.

  33. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:16

    De: Bira Teodoro
    Para: Charles Robini
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 28/08/2011 – 21:20

    Já disse que o condicionamento das pistas tem pouco ou quase nada a ver com o desenvolvimento e popularização do boliche.

    Já houve vários torneios com condicionamento chamado difícil seletivo pro etc e isso não mudou NADA. Lembra da frustrada revolução esperada por todos com a tal máquina GEL? Ela teve até case especial para transporte, era tratada como uma celebridade e… no que deu?

    Concordo com o Décio que a individualidade do boliche é um empecilho para o desenvolvimento e popularização do nosso esporte, tanto que, além dos entraves financeiros, uma pequena chance do Boliche ser olímpico seria no formato EQUIPE, como o Marcelo Suartz tem jogado nos EUA.

    Picuinhas pontuais não servem para direcionar nada em nenhum setor.

    A visão deve ser macro e a longo prazo e não a um palmo do nariz. Ou do umbigo.

  34. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:17

    De: Charles Robini
    Para: Bira
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 28/08/2011 – 21:53

    Bira

    Sou obrigado a não concordar com você. O uso da máquina de gel trouxe resultados sim porque jogamos tantos torneios em dois condicionamentos que conseguimos uma MEDALHA DE PRATA nos jogos pan-americanos. Se essa medalha fosse trabalhada de uma maneira correta dando continuidade a esse tipo gestão de campeonatos, eu tenho toda certeza que os resultados teriam seqüência e a popularidade do boliche aumentaria.

    Como o Tennis passou a crescer no Brasil novamente hein ? Foi o efeito dos resultados do Guga ou da POPULARIZAÇÃO DO ESPORTE? Claro que foi o Guga, tanto é que ninguém mais transmite um jogo do Brasil de Tennis, nem quando o Brasil joga a Copa Davis. AGORA FAÇO UMA COMPARAÇÃO COM UM ESPORTE COLETIVO. A GINÁSTICA DO BRASIL COMEÇOU A APARECER NA MÍDIA DEVIDO AOS SEUS RESULTADOS POSITIVOS, SÓ FOI PARAR DE TER RESULTADO QUE O QUE ACONTECEU? A GLOBO PAROU DE TRANSMITIR OS CAMPEONATOS. Bira, no Brasil o esporte tem que ter RESULTADO para os patrocínios aparecerem e ai sim o esporte ganha POPULARIDADE e você começa um modelo de gestão para dar continuidade a formação de novas gerações para manter o esporte em um alto nível.

    Bira o maior exemplo disse foi o vôlei brasileiro, até o inicio da era Bernardinho, o esporte tava falido, sem patrocínios e mídia. No momento que o Brasil começou a ganhar os campeonatos, a mídia voltou e uma boa gestão vem sendo implantada, com uma constante renovação e circuito nacional forte.

  35. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:18

    De: Bira Teodoro
    Para: Charles Robini
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 28/08/2011 – 21:59

    Agora você exagerou. Quer dizer que a medalha de prata no Pan foi graças à máquina GEL? E os investimentos e esforços pessoais do Fábio e do Rodrigo?

    Os resultados surgirão com um planejamento nacional… não importa o condicionamento.

  36. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:19

    De: Charles Robini
    Para: Bira
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 28/08/2011 – 22:25

    Bira,

    Claro que os esforços pessoais contaram muito, mas eu tenho conhecimento porque minha mãe também participou. Bira ela fez um treinamento na kegel, treinou no condicionamento um mês antes da competição diariamente. O que estou querendo dizer que os atletas foram bem selecionados e vinham com um ritmo de torneio bastante parecido com o internacional. Eu acredito que houve também um bom planejamento por parte da CBBOL porque os resultados apareceram concorda? O Caco peitou todo mundo, mas mostrou resultado certo? Então ele mostrou que uma administração pensando no boliche como ESPORTE pode trazer frutos.

  37. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:19

    De: Elayne Bessa
    Para: Todos (Rio de Janeiro)
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 28/08/2011 – 23:24

    Sou jogadora amadora de boliche. Gostaria de saber onde posso treinar o esporte profissionalmente no Rio de Janeiro.

    Obrigada,

    Elayne Bessa
    elaynebessa@gmail.com

  38. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:20

    De: Bira Teodoro
    Para: Charles Robini
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 08:11

    Você, mesmo dizendo que discorda, acabou concordando comigo: não é o condicionamento do evento que treina o atleta, mas sim um treinamento planejado a tempo, pois você declarou que sua mãe fez um treinamento na Kegel, treinou no condicionamento UM MÊS ANTES DA COMPETIÇÃO DIARIAMENTE… Houve também um bom PLANEJAMENTO por parte da CBBOL…

    Ou seja, o que acontece num campeonato é consequência e não causa.

  39. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:20

    De: Charles Robini
    Para: Elayne Bessa
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 08:41

    Elayne,

    Você deve ter reparado que essa é a discussão. Se você reparar, essa é a discussão do momento. Acho mehor você procurar outro esporte, porque o DIRIGENTES só pensam em deixar todos os FELIZES, comer batata frita e tomar chop.

    Boa Sorte

  40. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:21

    De: Charles Robini
    Para: Bira
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 08:47

    Bira,

    Muito bom ver a mensagem de Elayne. O que você vai responder a ela? Que fique amigo de um dos donos do boliche e peça para ele colocar os condicionamentos preparados para ela treinar e NÃO JOGAR NENHUM TORNEIO DA CBBOL E TAÇA PORQUE TODOS SÃO FESTIVOS E VISAM APENAS DEIXAR OS QUE LEVAM O BOLICHE COMO HOBBY?

    Bira você esqueceu de um pequeno detalhe. Para você se preparar para um torneio primeiro você tem que ser CONVOCADO, ou seja, você tem que jogar os torneios e taças para conseguir uma classificação, sendo assim o CIRCUITO NACIONAL é quem decidi a seleção Bira.

  41. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:22

    De: Bira Teodoro
    Para: Charles Robini
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 08:55

    Já respondi a Elayne que procure o Casa Bowling. A mensagem dela aqui no mural fui eu que coloquei.

    Quanto às suas mensagens, cada vez fica mais claro que elas precisam de foco e que são de cunho pessoal e não coletivo. Aí nesse caso, estou fora do debate.

  42. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:22

    De: Karla Redig
    Para: Charles e Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 09:31

    Tenho acompanhado de longe a discursão aqui no Mural e apesar de várias vezes querer me manifestar, optei por ficar calada.. no entanto a resposta do Charles a Elayne foi ridícula.

    Charles, a Elayne é uma amiga pessoal minha que terá todo o apoio do Rio para começar a jogar boliche. Você está tão preocupado com os que os dirigentes maior do esporte brasileiro vão pensar a nosso respeito, deveria estar também preocupado com a repercussão da sua resposta a Elayne .. FUI

  43. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:23

    De: Charles Robini
    Para: Karla Redig
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 09:43

    karla,

    Não entendi o seu posicionamento mais uma vez. Você apoia que o boliche, seja tratada como Esporte, mas em nenhum momento se manifestou sobre o assunto? Quando você não participava da CBBOL sempre via você debatando sua idéias e sempre te apoiei Agora que você virou membro resolveu se omitir? Seus conceitos mudaram?

    Bom a minha resposta foi diante das argumentações dos nossos DIRETORES. Você deve ter reparado que o Boliche segundo eles é para dar Alegria aos feriados de finais de semana e não esporte. Estou correto?

  44. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:24

    De: Charles Robini
    Para: Bira
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 10:46

    Bira,

    Você está falando que é de cunho pessoal. Pera ai quando você faz o condicionamento pra agrada quem não treina, você esta fazendo pra cunho pessoal ok?

    E OUTRA VOCÊ NÃO RESPONDEU A MINHA PERGUNTA. AONDE QUE EU POSSO ENCONTRAR QUE ESSE POLITICA DE CONDICIONAMENTO FACEIS TRAZ MAIS ATLETAS PARA O BOLICHE. VOCE PODE ME MOSTRAR ESSES DADOS?

  45. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:26

    De: Décio Abreu
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 11:26

    Bom, fim de semana não entro em internet, sábado foi exceção. Estou de volta e pretendo parar logo.

    Charles, meu querido, vc ainda não entendeu. Já repeti e repeti. A medalha do Rodrigo e Fabio foi mérito do treinamento, não dos torneios jogados em janeiro ou março. A CBBOL fez uma preparação séria, além do talento e mental game dos dois. Se a CBBOL quer aparecer na mídia, treine bem sua seleção, prepare os convocados com seriedade, nada tem a ver com a Taça DF.

    O que vc insiste em chamar de hobby eu chamo de praticar um esporte. Nem eu nem 99 por cento dos jogadores do Brasil tem tempo para levar o boliche como dedicação full time. O que fazer então? Acabar com as federações? Ou pedir certificado de 50 horas de treinos semanais para aceitar inscrições? Ora, Charles, cai na real. Quantas horas vc treina por semana? Quantas vezes fez um treinamento no exterior? Se quer mudar algo, comece mudando vc.

    Se vc perguntar ao Arturo e outros campeões internacionais, ele dirá que treina na liga, nos torneios “festivos”. Ora, Charles, porque menosprezar um evento só porque o óleo não é reverso? Vá lá e ganhe, já que vc é tão bom, deveria ser mais fácil ainda…E eu continuo à vontade, o bras ind de 2007 foi em 2 condic. e o sul americanos de clubes, onde ganhei 3 medalhas, idem, assim como o T Americas 2008. E olhe que sou amador, treinava 1 vez por semana…Se vc ganhar o que o WC ou mesmo eu em sua carreira, inclusive o respeito num nível internacional, o boliche não será somente hobby.

    O Marcio em seu início de carreira teve algumas dicas comigo, e ele pode confirmar que as usa até hoje, são as mesmas que já falei aqui. Se ele, Fabio, Rodrigo, WC e muitos outros tivessem tempo de treinar, teriam mais vitórias internacionais. Mas como? Não tem jeito, temos que trabalhar. Ainda assim, o Brasil foi tetra campeão sul americano por país, teve vários campeões individuais, Renato, Marcio, Luiza, Marcelo, eu e Titila, e o que rendeu de mídia? Nada vezes nada. Acorda, meu.

    Do jeito que sua mentalidade elitista trata o esporte e os novos interessados, nunca chegaremos a lugar algum. Vc esquece o principal: quando começaram, o Guga, Ayrton, Pelé e Federer (li hoje sobre sua carreira) eram meros aprendizes iguais à Elayne.

    Do jeito que vc pensa, vai matar o esporte antes dele nascer. Todos os que viraram pros, quando começaram, queriam se divertir. Ora, se depender de vc, eles nem seriam aceitos.

    Deste jeito, vc está condenado a uma solidão terrível. Vai ganhar muitos torneios, pois jogará sozinho.

    Um abraço e tchau.

  46. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:27

    De: Bira Teodoro
    Para: Charles Robini
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 11:36

    Repeti várias vezes que o condicionamento, qualquer que seja (fácil ou seletivo), NÃO é o atrativo para filiação a qualquer federação de Boliche. Porém um pseudo condicionamento seletivo certamente é desanimador para a grande maioria dos participantes.

    Na realidade o que promove e divulga o boliche como esporte são AÇÕES PLANEJADAS, com acompanhamento contínuo, avaliação, readequação de estratégias, etc.

    Talvez você nunca tenha observado o público durante os eventos oficiais de boliche porque, se tivesse feito isso, veria que a atração é o Strike e não a superação de condicionamentos heavy ou soft, que ele (o público) nem sabe o que é isso.

    O treinamento de alto rendimento deve ser aplicado pelos clubes, federações e confederação À PARTE dos eventos, os quais são vitrine dos desempenhos e não laboratórios de treinamento.

  47. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:27

    De: Charles Robini
    Para: Décio Abreu
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 12:49

    Décio,

    Bom Décio normalmente eu pratico 4 vezes por semana, no momento estou realizandoa alguns cursos que impedem a rotina.

    Quantos aos seus resultados. No sulamericano de clubes EU e o Marcelo, ganhamos OURO na dupla, segundo no time fora umas outras 3 medalhas no mínimo. Campeonato Sulamericano é uma baba, só existem 3 países, o resto dos países tem no máximo um jogador de alto nível como a argentina, o resto é nível de segunda divisão.

    Realmente vou parar por aqui. Vocês diretores tem administrado mto bem nosso esporte, o número de juvenis aumenta a cada dia, o esporte se encontra em pleno crescimento Era isso que você queria ouvir?

  48. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:28

    De: Décio Abreu
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 14:40

    Quantos jogadores querem jogar taças ou eventos com 2 condicionamentos difíceis? Podíamos fazer uma enquete. Quantos acham que tem valor ser campeão brasileiro em um só condicionamento?

    Charles, adoro vc, mas se vc acha que sul americano não vale nada e ainda não foi campeão individual, precisa treinar mais. E nossa conversa não foi pessoal, os exemplos que citei eram para comprovar nossa real situação somente.

    O que é necessário é planejamento, treinamento sério das seleções e tornar o esporte atrativo para crescer. Já escrevo isto desde o Jornal do Boliche. É muito simplório achar que 2 condicionamentos vão atrair milhares de jogadores. Não sou dirigente, e não são somente os juvenis que estão em baixa. Se não fôssem os seniores, o esporte já teria acabado. Ou trabalhamos com metas, ou vamos continuar nesta triste trajetória.

    Desta vez fui mesmo.

  49. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:29

    De: Lucas Rodrigues
    Para: Charles Robini
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 15:52

    Charles, concordo quase completamente com seu ponto de vista. Como as discordâncias são poucas, nem vou citá-las.

    Realmente o sistema de condicionamentos fáceis, torneios festivos e etc não tem dado certo em nenhum aspecto. Não aumentou o número de atletas, não melhorou o nível técnico ( e nem teria como pois a exigência é mínima nesses condicionamentos).

    2006 2007 foi a última fez que me lembro de ter a sensação de crescimento no boliche. Devido aos 9 eventos jogados em 2 condicionamentos, vários jogadores buscaram melhorar, com mais treinamento, mais conhecimento, investimento em material, etc.

    Concordo com você também que o caminho para um esporte crescer é o aparecimento de resultados.

    É claro que a medalha no PAN foi por méritos do Rodrigo e do Fábio, devido ao grande comprometimento em treinamentos, preparação e tal mas acredito que a eliminatória teve uma certa influência. Explico o por que, com tantos atletas se dedicando durante 1 ano a melhorar e buscar a vaga, houve uma clara evolução e no final tivemos além dos 2 classificados mais alguns jogadores em excelente forma o que culminou com um excente ODESUR. É claro que depois da vaga conquistada houve uma continuidade no trabalho com treinamentos específicos, como você mesmo citou com o exemplo da sua mãe.

    Não acho que 2 condicionamentos vá espantar atletas, e também não vejo os óleos fáceis atrairem mais jogadores então o melhor seria usar 2 óleos pois foi a única forma com que alcançamos algum crescimento nos últimos anos.

    Não adianta apenas treinar nos condiconamentos, é necessário jogar neles para adquirir o máximo de conhecimento.

    Décio, respeito muito você tanto como jogador como conhecedor do esporte. Claro que é importante treinar fundamentos, e com bons fundamentos é realmente possível jogar bem em várias condições. Mas não podemos descartar a necessidade de treinar e jogar em condicionamentos diversos com graus de dificuldade diferentes.

    A Roberta executou uma preparação muito forte junto com o Marcelo para jogar em Bogotá esse ano, inclusive treinaram durante 1 semana nos condicionamentos, com a mesma máquina inclusive. Mas ainda encontraram dificuldades no início do torneio por não saberem como seria a transição do óleo no decorrer das linhas pois treinaram durante todo o mês com apenas 2 no par de pistas.

    Acho que a saída que seria melhor aceita por todos é que se jogue ao menos os Brasileiros em 2 óleos.

  50. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:30

    De: Charles Robini
    Para: Lucas Rodrigues
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 16:30

    Lucas,

    Eu já meio que joguei a toalha. Primeiro que existe uma panela que administra o esporte a uns 20 anos. Esses caras sempre olharam para o próprio umbigo, manipulavam os óleos e como as informações eram raras eles conseguiam dominar os torneios. Quantas vezes você já ouviu falar que a máquina de óleo quebrou de um dia para o outro.

    Vou dar um exemplo dessa SAFADEZA. Já que estamos falando da taça Brasília, eu fui jogar uma taça no antigo boliche com a Máquina de Gel. Bom eles colocaram o óleo e como você sabe o Toninho Santos sempre foi odiado e PREJUDICADO MUITAS VEZES por essa panela, só que sempre muito dedicado estava MASSACRANDO a panela no torneio que valia uma vaga para o TORNEIO DAS AMÉRICAS (NA ÉPOCA ERA UM TORNEIO MUITO VALORIZADO). Foi começar o ultimo dia e os caras já lançam a máquina de gel quebrou e foram colocar O GEL em uma Silver Bullet, UMA DAS MAIORES PALHAÇADAS DA HISTÓRIA, para você ter uma ideia teve um pessoal que largou jogando de BOLA DE SPAR, mas o tiro saiu pela culatra e eles não conseguiram derrubar o Toninho. Bom na verdade ele insistiu tanto no esporte que CALO A BOCA DE TODOS DANDO A MEDALHA DE BRONZE EM EQUIPES PARA O TIME DO BRASIL. Como ninguém tem paciência, a panela continuou e ele abandonou o esporte.

    O problema é que nesses últimos anos surgiram dois atletas que estão atrapalhando os planos deles. Eu e o Marcelo, nós dois treinamos duros e fomos com muita luta adquirindo experiência e agora fico muito difícil para os caras. Eu estava meio parado, mas logo no primeiro torneio já fiquei em 2 no all-events. Fui para Brasília, boliche novo, máquina nova, tudo do melhor, então vem o choque, rola aquele acerto no dia anterior ao primeiro dia e o RESTO VOCÊ JÁ DEVE IMAGINAR.

    Lucas o objetivo do Boliche é não deixar ninguém evoluir, essa é a teoria, mas fica tranquilo estou voltando e o bicho vai pega pegar pros caras.

  51. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:32

    De: Marcelo Aguiar
    Para: Charles MALUCO
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 16:53

    Maluco,

    Tú ta ficando chato, se vc quer jogar serio, faz igual ao meu xara, vai morar fora e gastar boliche em Dolar.

    Realmente os torneios aqui estao muito chatos, eles deveriam ser iguais ao que eu joguei em Cancum em 98, no final de cada dia, tinha festa, balada, bebida e demais coisas, por isso parei jogar, nao pode beber mais durante o torneio.

    Boliche nesse pais o bom fica com 220,00 de media e o pagaré que nem eu bate 190,00 e sai feliz da vida e volta, eu disse volta para jogar torneio de final de semana onde ele pode ficar com a familia.

    Qual a motivaçao que eu tenho em sair de Santos, pegar estrada por mais de uma hora e bater 170,00 de media ? Nao volto, agora vejo minha bola girando e fazendo uma bela curva e faço uma linha de 220,00, volto feliz.

    Para com esse papo, vai jogar fora do pais, banca os gastos e fica por la.

    Sabe que gosto de vc, mas tu ta ficando malinha.

    Se o torneio em DF foi festivo, perdi, uma pena, por isso estou programando minha volta no torneio em Salvador, vai saber pq la em especial né.

    Decio, Bira e Sergio, ótimas suas ponderações, e será que alguém pode organizar um torneio com cachaça liberada ?

    Abraços.

  52. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:34

    De: Charles Robini
    Para: Marcelo
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 17:29

    Maluco,

    Você foi perfeito nas suas colocações. Essa mentalidade que impera no esporte (hobby).

    Vou te falar uma coisa, sabe por que você se considera um jogador de 190? Porque algum dia os caras colocaram esse óleo e você ficou com essa imagem, senão você ia bater 170 e ia voltar muito feliz no dia que batesse 175. Um exemplo todo mundo gosta de jogar um futebolzinho neh, agente fica mais velho, fica mais gordo, lento e não tem mais prática. Você já viu algum jogo de futebol os caras aumentarem o tamanho do gol para todos fazerem algum gol e volta feliz? Lógico que não né, o pessoal sempre sentiu dificuldade em marca, então eles voltam pra casas felizes sós pelo fato de esta ali, mesmo não marcando.

    Um abraço

  53. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 18:35

    De: Décio Abreu
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 18:38

    Cantinho da saudade

    Esta o Marcio se lembra…

    Na Copa AMF de 84 na Australia, eu era o representante brasileiro. Fui ao CND (hoje COB) falar com o presidente, encontro que o pai do Marcio conseguiu para mim.

    O presidente (não me recordo o nome, sei que era General ou coronel) me disse: Você quer uma passagem para a Australia para jogar boliche? Isto é coisa de diversão eletrônica, passatempo para namorados, lazer de fim de semana.

    Eu respondi: Presidente, o esporte mais nobre da Olimpíada é talvez a maratona. Entretanto, várias pessoas correm todos os dias em Ipanema, na orla, num convívio saudável. Conheço, inclusive, vários casais que se conheceram nos fins de tarde correndo.

    Ele imediatamente assinou a requisição da minha passagem.

    Abs

  54. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:01

    De: Karla Redig
    Para: Charles
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 19:27

    Esse ano terá eleições da CBBOL. Sugiro que vc monte uma chapa e tente mudar o boliche. Eu fiz a minha parte na última eleição e me candidatei. Infelizmente perdi… no entanto, não fui para oposição e segui trabalhando para o desenvolvimento do boliche junto a atual Diretoria. Estou orgulhosa do meu trabalho.. não me lembro a última vez que tivemos uma preparação tão boa para o Pan.. claro que sem contar em 2007 que foi o Pan no Brasil e tinhamos todo apoio do COB. Esse ano não foi diferente. Temos tido muito apoio do COB no treinamento e preparação da equipe. Podia ser melhor, talvez sim, mas estou feliz com o que está sendo feito.

  55. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:01

    De: Bira Teodoro
    Para: Charles Robini
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 20:24

    Conta-se na mão esquerda do Lula quantos jogadores sairiam felizes com 175 de média num torneio. Isso não existe. Nem mesmo um pangaré esforçado com histórico de 175 ficaria feliz com 175.

    Continuo na minha posição: não é um condicionamento seletivo (ou difícil ou pro) que vai treinar ninguém para evento internacional.

    95 por cento dos participantes de eventos oficiais atualmente não se inscrevem por causa do condicionamento ou desistem por isso, eles querem é jogar pelo prazer que o boliche proporciona, simples assim.

    O que você está propondo é que esses 95 por cento (ou mais) gastem com inscrição, hospedagem e alimentação apenas para oferecer supostas condições de melhor treino para o pequeno grupo dos selecionados.

    Você não está querendo muito não? Cite um esporte no qual acontece isso que você está propondo.

  56. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:02

    De: Bira Teodoro
    Para: Charles Robini
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 29/08/2011 – 20:27

    Os caras podem não aumentar o tamanho do gol para os veteranos ou aqueles que gostam de jogar futebol por prazer, mas diminuem o tamanho do campo. Está aí o futebol society, futsal, etc.

  57. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:03

    De: Décio Abreu
    Para: Bira
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 10:31

    Cantinho da saudade…

    Quando assumi umas das vezes a FMB, diminuí a sobretaxa de inscrição que a FMB cobrava para fazer fundo de reserva para a seleção. Não achava justo que jogadores que não tinham a menor possibilidade de fazer parte da seleção pagassem caro para os mesmos poucos (inclusive eu) se beneficiarem.

    Claro que angariei ódio de alguns.

    Mas isto abriu portas para novas idéias e parcerias, e hoje a FMB tem o apoio da sec de esportes e verba para a seleção.

    Não é nada, não é nada, na época chegamos a ter mais do dobro de atletas em atividade do que hoje. E nossa seleção era muito mais forte. Masculina e feminina.

    Tentei dirigir visando o jogador médio. Crescemos.

    Hoje a FMB faz regulamentos visando os top. Encolhemos em número e, pasmem, qualidade.

    Neste ano de 2011 muitos atletas pararam. O motivo maior, segundo eles mesmos, foi um torneio em que se fez um condicionamento seletivo, onde o vencedor não fez 200 e poucos fizeram 190, muitos com 170 e 160. Muitas linhas de 130, 140, e pouquíssimas de 200. Imaginem o humor e vontade de voltar dos participantes ao final de cada rodada.

    Vejam o all events:

    1 Walter Costa 1053 4714 24 196,42
    2 Daniel Murta 1162 4706 24 196,08
    3 Marco Tulio 1043 4588 24 191,17
    4 Rodrigo Cost 1078 4473 24 186,38
    5 Mário Assad 1104 4423 24 184,29
    6 Thiago Felice 949 4401 24 183,38
    7 Jacque Costa1015 4358 24 181,58
    8 Marcio Gontij 973 4342 24 180,92
    9 Reinaldo Tan 1014 4316 24 179,83
    10 Tetsuaki 1048 4235 24 176,46

    Imaginem o resto.

    Não existe rei sem súditos.

    Abs

  58. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:04

    De: Daniel Murta
    Para: todos que tiverem paciência
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 11:37

    Charles em primeiro lugar, parabéns pela coragem, pelo menos esta discussão está servindo para refletirmos e discutirmos boliche. Agora minha opinião: o boliche no Brasil mistura coisa séria com brincadeira. Porquê?

    No boliche, em eventos nacionais ou estaduais, existem pessoas que querem beber, querem ser o 1º do ranking, querem bater 220 de média, querem arrumar namorada(o), rever os amigos, etc. Não estou dizendo que é ruim ou bom, mas essa mistura tem conseqüências.

    Defender que condicionamento fácil atrai mais adeptos é no mínimo piada. Sou professor de boliche e meus alunos jogam em condicionamentos bloqueados e obviamente tem dificuldade e quando começam a evoluir, percebem que tem que investir e aí começa o problema. Boliche é caro e muito, alguns comparam com outros esportes, realmente tem outros caros e muito mais caros, mas não é o caso, temos que avaliar a nossa realidade e não a de outros esportes, esse é apenas um problema, os jogadores novos que aparecem são os que conseguem em menos tempo atingir um nível legal de disputa, estes não desistem, se empolgam e querem melhorar e acham que melhorar é aumentar a média em condicionamentos fáceis (esse é o grande erro e a maioria dos jogadores começam assim).

    Entendo que o que acontece nacionalmente é reflexo do que acontece nas federações, acredito que todas tenham o mesmo problema, este ano, participei da concepção das regras para convocação e o objetivo principal era qualificar melhor os atletas para representarem bem minas, criando dificuldades para que estes atletas superem suas falhas e treinem… Hoje, estamos chegando ao final dos eventos mineiros e afirmo, não adiantou nada. Jogamos o ano inteiro em condicionamentos não digo fáceis, mas todos com a mesma região de jogo. Evolução individual? Nenhuma. Infelizmente, o que disputa, é o mesmo que bebe, o mesmo que brinca, o mesmo que namora e o mesmo que revê os amigos.

    Solução? Não tenho. Como cobrar seriedade de alguém que quer apenas beber e se divertir? O que acho super válido, não discordo destas pessoas. A culpa não é delas. A culpa é das federações que permitem esta mistura. E por que não criar uma liga? Acho que elas não querem, porque devido a condicionamentos “fáceis” e médias altas, elas acham que mesmo levando o boliche dessa forma tem o direito de representar seus estados, que porque compram bolas e viajam e gastam (e muito) elas tem esse direito. Sinceramente? Concordo com elas, o “sistema” permite que as pessoas pensem assim. É por isso que não acredito na evolução do esporte, enquanto a mentalidade for esta, aparecerá de tempos em tempos alguém com alguma certa habilidade, muita paciência e que adora jogar boliche.

    Agora, acontecer isso na esfera das federações é uma coisa, a nível nacional é outra completamente diferente, sabe porquê? Porque aí é muito sério, envolve o nome do esporte, envolve o COB, envolve bolsa atleta, envolve o Ranking nacional e os futuros representantes do Brasil a nível internacional, ou seja, envolve os atletas que treinam, investem, viajam e gastam muito dinheiro para evoluir tecnicamente.

    Não defendo o óleo difícil para torneios nacionais. DEFENDO A UTILIZAÇÃO DO QUE É APLICADO INTERNACIONALMENTE (quando for possível é claro). É inegável que jogando óleos curtos, médios e longos, estaremos ajustando furações e superfícies do equipamento, trajetórias de bola, saques, velocidade e etc. Quem pode negar isso? Ainda mais com a quantidade de eventos que temos? Falar de Fábio e Rodrigo é fácil, são jogadores incríveis e merecedores da medalha. Agora, negar que jogando praticamente um ano com torneios parecidos com os óleos do Pan não ajudou? E muito? Fala sério.

  59. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:05

    De: Feliph Rosa
    Para: Daniel Murta
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 11:56

    Falou bonito

    Um abraço.

  60. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:06

    De: Décio Abreu
    Para: Daniel
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 12:23

    Daniel,

    Tem muita gente que não quer beber e se divertir, tem muita gente que se dedica seriamente dentro das possibilidades e disponibilidade de tempo para treinar. Eu hoje pretendo voltar e ser um destes.

    Esta discussão é velha, já cansei de dizer aqui que os jogadores de elite tem que ter tratamento diferenciado quando forem representar o Brasil num evento importante. E que os brasileiros de 1a devem ser com condicionamento internacional.

    Em BSB tinha 96 jogadores. Quantos destes tem a pretensão de representar o Brasil num Pan? Realisticamente, nem 5. Talvez nem 3. Então vc quer ter um evento com 96 pessoas voltado para 5 somente? Tá na cara que em pouco tempo só vão sobrar os 5. É o que vem acontecendo.

    Eu sempre levei o esporte a sério, investi muito tempo, dinheiro e sacrifiquei minha família por amor ao esporte. Se vc joga boliche, é também por causa do meu trabalho, da minha mentalidade de fazer o esporte crescer. Vc veio da Copa Coca Cola. Hoje parece que se esqueceu, que veio de um evento para quem quer se divertir. Ou vai me dizer que naquela época vc participou com o objetivo de ser da seleção brasileira num Pan? Não me lembro de vc reclamar do condicionamento festivo. Mas ainda assim vc cresceu e hoje tem suas conquistas. Mas não negue a sua origem, vc estaria matando a sua própria carreira.

    Eu nunca falei que tem que bater 220. Mas torneios que levam todos pra baixo tb não.

    Gosto do desafio de condicionamentos difíceis.

    Mas tem o outro lado da moeda. Tem que valer a pena para os que, segundo vocês, não merecem nenhuma atenção nas suas pretensões.

    Meu foco é o crescimento. O de vcs, ascensão técnica. Eu creio que sem crescimento, não teremos ascensão técnica sustentável.

    Espero sinceramente que vcs consigam desenvolver o esporte com esta mentalidade elitista. Permita-me ser muito cético que vai vingar.

    O tempo dirá.

  61. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:06

    De: Márcio Gontijo Para: Décio Abreu
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 12:32

    Grande Abreu,

    Coloca aí o all events da primeira rodada desse mesmo torneio mineiro,onde o condicionamento era seletivo,e inexplicavelmente foi alterado para um outro “condicionamento seletivo”à partir da segunda rodada.

    Como não sou um Toninho Santos,caí bonito…rsrsrs

  62. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:08

    De: Charles Robini
    Para: Daniel
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 13:28

    Eu concordo com todos os pontos que você abordou. Eu estava tentando mostrar que as federações e a CBBOL devem incentivar o esporte, fazer com que as pessoas treinem cada vez mais e busquem melhorar suas técnicas de jogo e NÃO O INVERSO.

    O problema é exatamente esse. Os dirigentes tratam nosso esporte com a mentalidade de brincadeira. Eles procuram valorizar os atletas que vão raramente uma vez por semana, segundo eles nós temos que adaptar nosso Esporte ao interesse desse pessoal. Já falei mais de mil vezes que esses atletas devem participar de LIGAS de boliche igual existem nos EUA, México e outros países. Todo mundo esqueceu de que o boliche é um esporte de REPETIÇÃO, então a prática é fundamental.

    Sua evolução no esporte é notável, mas poucas pessoas sabem o seu caminho também árduo em busca do aperfeiçoamento. O Daniel pelo que eu lembro começou a treinar e chegou ao seu ápice na sua convocação para a Guatemala. O Daniel após o torneio viu que tinha algumas limitações e procurou evoluir, nesse meio tempo o que ele mais ouviu foram críticas, mas mesmo assim continuo treinando e em minha opinião está entre os 4 MELHORES e mais COMPLETOS jogadores de boliche do BRASIL. Parabéns Daniel.

  63. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:15

    De: Charles Robini
    Para: Márcio Gontijo
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 13:32

    Caro amigo Márcio,

    Eu so exemplifiquei um caso muito comum no nosso esporte. O problema que a panela domina, eles arrumam o óleo de acordo com os interesses e mudam da noite pro dia também. Você percebeu que ninguém respondeu minhas perguntas sobre o que ocorreu na taça BSB?

    Sempre vai existir aquela HISTORIA, a máquina quebrou, quero incentivar o número de atletas, mecânico faltou, o óleo sumiu e entre outras …

  64. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:15

    De: Charles Robini
    Para: Karla Redig
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 13:33

    Eu montaria uma chapa sim, mas se os caras que votam são da prórpria panela como que vou ganhar? hahahaha

  65. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:16

    De: Charles Robini
    Para: Décio Abreu
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 13:37

    Décio,

    Suas informações não estão batendo. Você falou que o Daniel começou em um torneio festivo correto? Então logicamente era um torneio separado do circuito para incentivar e não para selecionar ok?

    Décio você contou sua história linda da Australia.Magina se você for pedir verba, incentivo ao esporte, entre outros e falar que o Esporte que você representa os praticantes vão uma vez por semana praticar (pensando positivo hein)?

    O Daniel foi perfeito mencionando as verbas, o bolsa atleta, a representatividade do Brasil, o ranking e todos os exemplos.

  66. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:17

    De: Renan Zoghaib
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 13:44

    Em Brasileiros: Dois condicionamentos.

    Em Taças: House Shot.

    Para futuras convocações, use os Brasileiros

  67. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:17

    De: Décio Abreu
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 14:24

    Para quem não sabe, a Copa Coca Cola não permite federados. É um trabalho do Boliche del Rey para aumentar adeptos. Não tem nada a ver com Federação.

    Mais de metade dos jogadores da FMB entraram pela Copa Coca Cola, inclusive muitos juvenis: Thiago Trav, Tiago Felic, Nathalia, Bernardo, Flavinho, Bruno, Guilherme Camargos, Juar Jr, Isabela.

    Além dos adultos Artur Ornelas, Daniel Murta, Marcio Gontijo, Rodrigo Costa, Gilmar, Rodrigo Costa, Juan, Julio Costa (SP) e muitos outros que nem me lembro. A gente faz nascer o adepto, nutre, ensina, encaminha, e os elitistas abortam. Lindo. Assim vamos longe. Ou fundo, para o fundo do abismo.

    O Daniel começou a gostar de boliche porque se divertiu. Hoje, despreza a sua origem. Legal.

    O 1o jogador a furar uma bola de fingertip fui eu, e incentivei o WC a fazer o mesmo num T.Americas em 77. Até os 80s ainda tinha gente que questionava se valia a pena ser técnico ou pau nos pinos. Está no Jornal do Boliche. Dizer que não quero evolução técnica é piada. Vcs deveriam conhecer melhor nossa história antes de falar bobagem.

    Mas, já disse, os certos devem ser os elitistas. Que se danem os outros.

    Ora, 99 por cento dos praticantes de futebol, volei, tenis, etc, praticam uma vez por semana em suas peladas ou clubes. E daí? Que bobagem é esta? Desde quando denigre os atletas pros?

    Antes de evoluir tecnicamente, muitos deviam evoluir pessoalmente, respeitando seu companheiro de pista que não tem nada a ver com o seu mau humor.

    Como diz o ditado, cresçam e apareçam.

  68. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:19

    De: Marcelo Aguiar
    Para: Charles MALUCO
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 14:51

    Maluco,

    Muito legal vc, quer que o boliche seja serio, etc, etc e quantas vezes vc foi pra balada e no dia seguinte foi jogar boliche sem condiçoes nenhuma ?

    Ai vc me fala, o ROMARIO fazia isso, e era um esportista, a diferença é que ele coloca a bola pra dentro e resolvia, vc nao ganha o torneio.

    Se vc que ser tao atleta, seja dentro e fora das pistas.

    Faz como a Karla falou, monta um liga junto o Daniel e seja o presidente, mas avisa quanto tiver torneio que NAO vou.

    Maluco,, tu é gente boa pra caramba, mas ta se perdendo junto com os outros que querem boliche serio.

    Vcs que querem isso, montem uma liga independente e organizem seus torneios, pode ser que consigam vairos jogares, e DUVIDO, eu disse DUVIDO que nao vai ter reclamaçao, boliche é esporte de lazer e de RECLAMAÇAO.

    Maluco, vem pra Santos pra se divertir, vc ta muito nervoso ( hahaha )

    Abraços.

  69. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:20

    De: Luiz Afonso Braga
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 15:00

    Caros amigos, tendo em vista que meu nome foi citado em comentários relativos a Taça Brasília, gostaria de fazer os seguintes esclarecimentos:

    1. Meu pedido de desfiliação da FBDF se deve única e exclusivamente pela fato de eu discordar do motivo da alteração dos turnos no último dia e, principalmente como foi divulgado, apenas 5 dias antes do início do evento, o que resultou inclusive em pagamento de multas para alteração de passagens, ou seja, beneficiou poucos e prejudicou muitos.

    2. Com relação ao condicionamento do último dia da Taça, afirmo que não houve nenhuma armação, pois eu mesmo verifiquei junto aos mecânicos após ter jogado mal o último dia.

    3. Quanto a questão se o condicionamento era fácil ou difícil, sempre defendi que as Taças sejam eventos mais festivos do que seletivos. Os eventos da CBBOL podem ser mais seletivos, mas sempre, na minha opinião, priorizando os atletas das 2ª, 3ª, 4ª, etc., divisões, os macacos velhos da 1ª divisão não precisam ser paparicados, eu me incluo nos macacos velhos. O número de participantes só tem diminuído a cada ano e o nosso esporte só voltará a crescer quando as pessoas pararem de olhar para o próprio umbigo e realmente pensarmos na coletividade.

    Um grande abraço a todos.

  70. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:42

    De: Décio Abreu
    Para: Marcelo e Luiz Afonso
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 15:35

    Falou bonito, Marcelo.

    E tb vc, Luiz.

    Realmente é difícil para alguns entender que tem gente que trabalha para incentivar o esporte sem pensar em si mesmo, ou nas suas ambições pessoais somente.

    Falta pouco para eu parar. É só o Charles entrar na direção do esporte com suas idéias que eu paro de vez. Provavelmente eu seria relegado à escória do boliche pela minha idade ou por causa do meu joelho, e não vou passar por isto depois de tudo o que vivi no Boliche Brasileiro e Internacional.

    Onde está o Charles Montoya? Onde está a alegria?

    Estou com saudades.

  71. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:42

    De: Charles Robini
    Para: Luiz Afonso
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 15:57

    Caro Luiz,

    Muito bom os seus comentário esclarecedores, porque agora o pessoal entendem que mudaram o horario em função de algumas pessoas.

    Abraços

  72. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:43

    De: Charles Robini
    Para: Décio Abreu e Marcelo
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 16:03

    Marcelo,

    você é perfeito porque você mostra a realidade do boliche. O negócio é festa. Eu sempre fui pra balada chegava e tava la disputando, mas O QUE VOCÊ NÃO COMENTA É QUE EU IA 4 VEZES POR SEMANA TREINAR, LIMPAVA APPROACH E ARREMATE NA MÃO. Já fez isso? é duro viu.

    Décio não concordamos e pronto. A minha amizade com você não tem nada a ver com isso, mas acredito que você esteja pensando igual uma LIGA. Você mesmo escreveu que o pessoal RECLAMAVA SE MUDAVA PRA REATIVA OU CONTINUAVA DAQUELE JEITO, Qual a respostas: a parte técnica ganhou, e os condicionamentos eu penso da mesma maneira. Quando eu falo mais seletivo não quer dizer impossível. Você sabia que existem um RATING DE DIFICULDADE NOS CONDICIONAMENTOS? Podemos escolher um médio para as taças e um dificíl para os brasileiros. Assim você cria uma certa facilidade desde que o atleta esteja treinando o mínimo neh.Agora boliche bloqueado é o FIM.

  73. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:45

    De: Daniel Murta
    Para: TODOS
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 16:14

    Caro Décio,

    Eu jogo boliche, eu viajo, eu treino e gasto para evoluir e acho que este deve ser o pensamento de quem quer representar a seleção do seu estado e principalmente do país. Pensamento elitista? Tem vários bons jogadores que só não estão melhores e mais qualificados porque o evento não exige deles. Não treino e jogo bem, treinar pra que? Esta é a filosofia.

    O que não entendo é um jogador ser 1ª divisão e não querer melhorar tecnicamente. A cbbol tem recursos para atrair jogadores nos eventos. Prêmios, hcp, sorteios de bolas, desconto na inscrição, sei lá. Mas nem acho que é obrigação dela, quem tem que manter e trazer novos atletas são as federações. No meu entendimento, a cbbol tem que agir politicamente, conseguindo verbas e melhorando a qualidade de seus atletas para conseguir mais verbas, conseguir resultados, entrar na mídia, conseguir um monte de bolsa atleta. É isso que faz o esporte crescer. Tem um montão de gente que só sabe o que é boliche porque assistiu Fred Flintstone, mas nunca nem rolou uma bola.

    Quem joga torneio nacional já e jogador de boliche, sabe como funciona e deveria saber que estar junto com os jogadores da 1ª divisão é sim estar com a elite do boliche, com pessoas que dedicam. Uns mais, outros menos, mais dedicam.

    Sei que não sou o dono da verdade, você me conhece, trabalhamos juntos, conheço e reconheço o trabalho do boliche Del Rey, copa coca cola, classe escola de boliche, etc. Estou fazendo minha parte, tento ensinar o esporte. Mas tenho certeza que posso ajudar muito mais saindo do país e voltando com uma medalha e se isso acontecer com mais freqüência, com outros atletas e temos vários nomes capazes de fazer isso, tenho certeza que a mídia aparece, clubes e empresas terão interesse em patrocinar e assim começa.

    O que sei e vivi, foi que tivemos uns 06 eventos entre 2006 e 2007 com dois óleos, pois era a preparação para o PAN 2007, e muitos reclamaram (não viajo mais, isso é ridículo ….)e isso pra mim é um pensamento egoísta , porque se a pessoa não se interessa ou não quer ser alguém no boliche, pra que viajar e jogar torneio nacional? Pra se divertir?Pra encontrar os amigos? Simples, viaja, não leva bola, não paga excesso e economiza R 240,00 de inscrição. Encontra todo mundo e ainda economiza… Entretanto, muita gente continuou viajando e não me lembro de ser diferente de hoje, pelo contrário, nos últimos torneios já estavam todos acostumados pois era curto e longo então já sabíamos mais ou menos o que fazer, quais bolas levar, etc.

    Resultados:

    Prata no PAN 2007 – Fabio e Rodrigo

    Prata no PABCON 2007(interamericano) – Fábio , Márcio e Rodrigo e no individual deste mesmo evento Márcio em 6º com 216,17 de média, Rodrigo Hermes em 7º com 214,83 e Daniel Murta em 9º com 210,83 de média nas 6 linhas da fase individual. Eu tinha apenas 4 anos de boliche e era a 1ª vez que representava o Brasil. Será que é coincidência?

    Depois PABCON EM 2009 – Charles 44º (melhor do Brasil na fase individual) Daniel Murta 101º (pior do Brasil na fase individual). Nesta época, o Charles era o 1º do Ranking brasileiro. Resultado após dois anos de óleos diferentes do padrão dos torneios internacionais.

    Duplas – nem na foto saímos.

    Trios – nem na foto saímos.

    Times – nem na foto saímos.

    Daniel Murta, apresentação PÍFIA.

    Recentemente PABCON EM 2011 – Marcelo 20º (jogando fora do Brasil) 2º melhor brasileiro Tuca e John empatados 41º (detalhe acima deles estava somente o Amleto Monacelli tamanha a dificuldade)

    Duplas – nem na foto saímos.

    Trios – nem na foto saímos.

    Times – nem na foto saímos.

    Não estava lá neste evento por isso não posso falar mais nada. Os resultados estão no site http: http://www.bowlingdigital.com para quem quiser conferir.

    2013? Só Deus sabe…

    P.S. Já tinha escrito o que está acima e só agora li o que já escreveram, portanto, finalizo da seguinte forma: O BOLICHE ESTÁ ACABANDO? O QUE MAIS TEMOS NO MOMENTO SÃO INVESTIMENTOS EM PROL DO BOLICHE, PISTAS NOVAS, MÁQUINAS NOVAS, TECNOLOGIA, E O BOLICHE NÃO CRESCE… QUEM É QUE ESTÁ CERTO?

    Décio, eu não esqueci de onde vim não, e apesar de ter jogado e ganhado a copa coca cola (que foi um barato inclusive) já jogava boliche e o primeiro contato que tive com o esporte foi em Vitória num brasileiro em que a única figura que me lembro era a de um Japonês canhoto o Hicari. Nem sei se é assim que escreve, não o conheci pessoalmente.(alguém lembra desse torneio?). E com toda certeza é assim que começamos. A questão é justamente esta. É assim que estamos terminando, esse é o problema. Mas pelo visto sou minoria, então me calo.

    Abraço a todos e até o Brasileiro Individual.

  74. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:45

    De: SMartinelli
    Para: Maluco
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 16:30

    Parabenizo a todos pelo “saco” q têm em continuar respondendo ao MALUCO ….. Muito bem colocado, Marcelo. O garotinho além de imaturo é maluco mesmo. Ele confunde ações CBBol com ações Federações. A primeira sim, pode se preocupar com seleções, disputas internacionais, condicionamentos internacionais, 2 3 óleos diferentes, etc … mas Federações não. Para q vc tenha uma quantidade maior de atletas de ponta, vc precisa aumentar a base … q são as Federações. Ainda vou além … as Federações em estreito relacionamento com o(s) boliche(s). E se não for um evento festivo, como vamos aumentar a base ? Precisamos de vários Marcelo Suartz e não de somente um, com o seu nome o tempo todo citado … claro, só tem ele mesmo … ainda bem q é para elogiar e ainda bem q o temos como referência … no seu caso a referência é negativa … inveja, mágoa, despeito, egoísmo, etc …

    Na sua infeliz ignorância, desconhece q uma “pessoa jurídica”, no caso “ESSA TAL DE FBDF”, ou seja, Federação de Boliche do Distrito Federal, quando se cadastra num site e assina um comentário, não é ANÔNIMA não … ela representa, pelo menos, seus 5 membros (Presidente e 4 Diretores).

    Agora, vc q reclama transparência nos comentários, já colocou várias vezes que A TAL FBDF fez isso ou aquilo para FAVORECER PESSOAS …. mas não diz quem …… então covardezinho, eu o desafio a colocar os nomes q foram beneficiados pela TAL FBDF ….. maluco e covarde …..

  75. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:46

    De: Charles Robini
    Para: Martinelli
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 17:06

    Martinelli

    Primeiro que o Marcelo Maluco tem uma intimidade para tratar comigo que você não tem. Eu e eles discordamos, mas eu mantenho o respeito com ele.Mas vamos la.

    Você como o diretor porque não RESPONDEU o Luiz Afonso hein? AGORA FALA A VERDADE Porque mudou 5 dias antes hein? Cara na sua idade já é bom ter vergonha na cara não acha?

    Já que você é um VELHO CHATO muito ruim de boliche porque você não joga xadrez ou algum outro esporte. Você não entende nada de boliche e nem sabe o que é divisão de base neh.

    Sem mais pra você

  76. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:46

    De: Charles Robini
    Para: Daniel Murta
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 17:09

    Parabéns. Você é um cara sensacional. Muito bom ver que você também já não se curva mais a esse pessoal.

    Eu não tenho medo de não ser convocado. Daniel não se esqueça que o time do Brasil sem agente vira um catado.

    Um grande abraço e vamos marcar aquele jantar sensacional de novo pqp nunca ri tanto hahahaha

    te cuida

    abraços

  77. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:47

    De: SMartinelli
    Para: MALUCO
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 17:29

    Tenha um pouco de calma … sua resposta está sendo preparada sobre o assunto.

    Agora vamos ao outro assunto …… aquele de ser covarde …. quais os favorecidos pela troca do óleo ?

    Eu sei q não fui … sou velho, jogo ruim, por sorte já fiz o “Perfect Game” … a propósito … vc sabe o q é o “Perfect Game” … acho q não … não vi o seu nome no site do Bira … q pena … mais uma frustração … MAS NÃO ESQUEÇA DOS NOMES Q FORAM FAVORECIDOS NA XV TAÇA BRASÍLIA … sou velho mesmo …. não tem como não assumir …. mas nunca fui covarde de ficar denegrindo a imagem de pessoas e instituições SEM PROVAS.

  78. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:47

    De: Marcelo Aguiar
    Para: Charles MALUCO
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 17:29

    Ja limpei muito pista para fazer bloqueio, aqui em Santos so tinha pista de cordinha Kopp, mesmo assim eu subia para SP jogar e NUNCA reclamava, mas segue o bonde, monta a liga que eu voto em vc, fica tranquilo, agora volta a ser o Maluco gente boa vai.

    abracos

  79. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:48

    De: SMartinelli
    Para: MALUCO
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 17:31

    … ahhhh idade ….. esqueci de dizer …… seus amigos devem ter algum motivo para chamá-lo de MALUCO … já pensou seriamente nisso ? … eu não tenho nenhuma intimidade com vc para chamá-lo de MALUCO, a não ser q vc demonstre sê-lo …

  80. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:49

    De: Beto Moleda
    Para: Charles
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 17:40

    como seu amigo , parceiro vou te fazer um pedido para de responder os recados nao vai adiantar nada vc sabe disto , os caras sao malucos ja tao comparando o boliche com futebol , tenis etc…

    Quem sabe um dia quando o boliche estiver acabando(e ta perto disto),alguma coisa mude.

    Se vc parar pra pensar todos tem razão em alguma coisa , menos o Martinelli, vamos fazer do jeito que e vamos beber chegar de virote pra jogar e ninguem pode falar nada , e tudo festa….

    Lixo se alguem pode reclamar de vc em brasilia sou eu que era seu parceiro e te digo vou ser sempre seu parceiro o dia a hora e aonde vc quiser , e se quiser jogar a taça brasilia de 2012 jogo com vc e quero ver quem e homem de barrar

    Daniel vc e o cara

    valeu

  81. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:50

    De: Décio Abreu
    Para: Charles e Daniel
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 17:50

    Charles, jamais escrevi RECLAMAVA SE MUDAVA PRA REATIVA OU CONTINUAVA DAQUELE JEITO. O que é isto? Leia com mais atenção.

    Daniel não se curva a este pessoal. Este pessoal sou eu? Ele respondeu a mim e eu não sou dirigente, nem de patota, nem quero que ninguém se curve. Nem mando nada no esporte, graças a Deus.

    Ouvir aulas de condicionamento de vc Charles, é o fim de carreira. Eu sabia que estava longe do circuito, mas esta foi demais. Continuo seu amigo, gosto de vc, mas dá um tempo.

    Daniel, apesar dos resultados do Pabcom, dos sul americanos, dos sul americanos de clubes, do T Americas, do desempenho do R.Hermes no Pro Tour da Europa, do Pan, todas as medalhas internacionais de vários atletas nos últimos dez anos, o nosso universo só encolheu. E encolheu mais na época em que se ganhava mais medalhas. Contra fatos não há argumentos. Sabe porque? Porque medalhas internacionais não levam ao crescimento sozinhas, tem que se ter um conjunto de medidas. Começa pelo crescimento da base. Este é o principal fundamento.

    Você devia treinar mais, o último e único título de campeão mineiro foi em 2006, depois perdeu para o Vilela, para o Marcio G, além do Artur. Não me surpreende seu desempenho pífio no Pabcon. Ainda bem que eu estava fora machucado. Mas vc, porque não ganhou deles no óleo sempre igual? E quer ganhar do Amleto? Do Daniel Falconi? Do Arturo Hernandes? Do Chris Barnes? Fala sério….

    Isto é outra coisa que vc não falou, agora os pros disputam o Pabcon, vai ficar difícil de ganhar medalha em duplas e trios, são 3 duplas de pros americanos e 2 trios…Conta a história direitinho.

    O que vcs querem, eu sempre quis, melhorar tecnicamente. Mas quanto à forma, discordo.

    E tem gente que fala do WC ficar contando sobre os 42 títulos brasileiros. Imagine se o Charles e o Daniel tivessem 1 3 disto, como estariam? Será que ainda me cumprimentariam?

  82. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:50

    De: Décio Abreu
    Para: Beto Moleda
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 18:00

    Claro que quem compara boliche com futebol e tenis é maluco, foi o Charles que fez a 1a comparação…Tá contra ou a favor do seu parceiro?

    No texto anterior é um terço, não saiu o traço.

  83. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:51

    De: SMartinelli
    Para: Beto Moleda
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 18:08

    Beto, gostaria de saber aonde vc não concorda comigo … No primeiro post o Maluco chamou os Diretores da FBDF de PALHAÇOS … no mesmo post em em vários outros acusou-nos de MARACUTAIA NO ÓLEO PARA BENEFICIAR UNS ATLETAS … vc acha q ele pode ficar jogando m…a no ventilador o tempo todo impunemente ? Pode ser seu parceiro, mas está surtando … agrediu TODOS q fizeram algum comentário contrário ao q ele estava dizendo … denegriu a CBBol e TODAS AS FEDERAÇÕES, inclusive a dele … todos os esforçados de plantão q tentam organizar alguma coisa para o esporte boliche … não poupou ninguém … q mais está faltando ?

  84. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:51

    De: SMartinelli
    Para: Beto Moleda
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 18:11

    … continuando … menosprezou TODOS os atletas q jogaram a XV Taça Brasília, principalmente àqueles q se colocaram melhor q ele … inclusive você, seu parceiro.

  85. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:52

    De: SMartinelli
    Para: TODOS
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 18:13

    Se encontrarem alguma colocação minha descabida ou ofensiva a qq outra pessoa q não seja o “iniciante maluco” de tudo isso, é só apontar q virei ao mural, novamente, para retificar e ou me desculpar.

  86. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:52

    De: SMartinelli
    Para: TODOS
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 18:17

    … e no momento estou aguardando o seu parceiro complementar a denúncia e indicar os nomes de TODOS, atletas ou dirigentes, q participaram dessa “maracutaia” … e posso lhe garantir … ele não joga mais no DF, enquanto eu for dirigente … sou macho para afirmar isso … velho, mas macho sim ….

  87. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:53

    De: Décio Abreu
    Para: Todos
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 18:30

    Filosofia do dia

    Quem fala o que quer, ouve o que não quer

    Melhor ficar calado, se vc falar demais podem perceber que vc é burro

    O esporte não faz o carater, o revela

  88. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:53

    De: Charles Robini
    Para: Beto Moleda
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 19:15

    Cara você é sensacional. Não é a toa que nós jogamos junto a tanto tempo. Porra jogar com você é um prazer enorme, esses caras não entendem nada, eu não critiquei as pessoas, muito menos você, mas sim o formato irreal.

    Cara fiquei muito contente em ver você apoiando, você não tem ideia. Beto gosto de vc pra caralho. Vo te liga

    abraços

  89. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:54

    De: Charles Robini
    Para: Décio
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 19:19

    Decio você entra no barco errado, nunca que eu dirigi uma crítica a você. Eram a outras pessoas, mas como você jogou bem o torneio se sentiu atacado. Cara você atacou eu e o daniel. Agora vamos la. Me conta o que aconteceu no Torneio de Américas? Não inventa a desculpa do Joelho hein. Em uma semana você teve um resultado bem abaixo e na outra você jogou muito.Qual você acha que é a sua realidade?

    Você não faz parte de federação,NAO então você não está na panela correto? poxa Décio procure entender melhor. Eu e o Daniel não atacamos a pessoa Décio e sim a estrutura do ESPORTE, você acha que tá certo e nós achamos que não. Pronto

  90. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:54

    De: Charles Robini
    Para: Martinelli
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 19:25

    Cara

    Você acha que é bom porque fez um PERFECT GAME, cara mês passado eu bati um e o pessoal olhando, sabe que eu fiz dei um click NEXT GAME. Cara você é uma marionete na s mãos dos caras, não entende nada que ta acontecendo, você tem que conviver para entender as armações e como você joga 2 divisão, se o cara falar pra você que o óleo ta diferente porque ta mais calor, mecanico faltou ou que quebrou a máquina, você vai acreditar, eu e outros já não aceitamos mais essas respostas.

  91. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:55

    De: SMartinelli
    Para: Charles
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 20:15

    Vc quase acertou … o Diretor Operacional cumpre decisões do Presidente e dos demais Diretores … é quase um marionete … mas um marionete honesto, q não participa de maracutaias … vc criticou e desmereceu tantos atletas aqui no Mural, q vi um debulhar de curriculuns espetaculares esfregados na sua cara … isso é desrespeito aos seus colegas ou não é … vc perdeu a noção … por isso seus “amigos” o chamam de MALUCO … mas vc está fugindo do assunto principal … QUAIS FORAM OS PARTICIPANTES DA MARACUTAIA da passagem de óleo na XV TAÇA BRASÍLIA ??

  92. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:55

    De: Charles Robini
    Para: Martinelli
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 20:20

    Bom dos curriculuns colocados aqui apenas o Decio tem um melhor que o meu, mas tudo bem. Segundo você fugiu do assunto. Eu estou te perguntando porque voces mudaram o oleo 5 dias antes ? fale a verdade e ai vão aparecer os nomes. Seja sincero, mas eu acredito que vc não saiba o motivo, apenas assinou

  93. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:56

    De: Charles Robini
    Para: Martinelli
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 20:21

    Desculpa eu coloquei oleo, mas na verdade é horario. Porque mudou e quem mudou os horarios?

  94. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:56

    De: SMartinelli
    Para: Beto Moleda
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 20:22

    Vc como parceiro e amigo do Charles ouviu algum comentário sobre “mudanças de óleo para beneficiar atletas” na XV TAÇA BRASILIA ? Pois acredito q o Charles deva tê-lo confidenciado, para conseguir mais adesões à sua insanidade e transformá-la em verdade … na cabeça dele e somente na dele … ou não ?

  95. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:57

    De: Charles Robini
    Para: Martinelli
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 20:36

    O beto não é bobo, ele sabe tudo o que rola.

    Martinelli você perguntou qual foi o custo da sua mudança? Você sabia que pessoas pagaram diarias a mais, comida, e alteração de passagens por causa dessa mudança? No meu caso entre comida e diarias de hotel a mais deu em torno 600 reais. Agora fale o motivo da mudança, pensando em quem vocês mudaram? Vocês dizem que pensam no evento.

  96. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:57

    De: SMartinelli
    Para: Charles
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 21:16

    Essa pergunta não foi minha … mas, a propósito, vc teve 5 dias para cancelar tudo … teria saído muito mais barato e vc não se chatearia tanto … NEM A NÓS TODOS … pq veio mesmo sabendo q haveria mudança de horário e gastaria tanta grana ?

  97. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 21:58

    De: Charles Robini
    Para: Martinelli
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em
    30/08/2011 – 21:19

    Primeiro que eu comprei passagens na promoção que não reembolsam,paguei o no show do hotel.Mas mesmo assim foda-se o seu proposito e responde a todos. Cade o porra do FBDF pra responder isso? Você é cara de pau que NÃO RESPONDEU NEH, PORQUE? TA COM MEDO?

  98. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 22:00

    De: SMartinelli
    Para: TODOS
    Recado:
    30/08/2011 – 21:35

    Lastimável q o Charles e o Beto, parceiros (e agora cúmplices) tenham inventado ou ouvido sobre o plano mirabólico de troca de óleo para favorecer “alguéns” … e agora TÊM MEDO de revelar a origem, bem como os favorecidos … não revelando, no meu modesto entender, PACTUAM com a dita maracutaia … será q esperavam se beneficiar também com essa troca pois estavam jogando mau … de onde se concluí … CÚMPLICES DA INSANIDADE DO MALUCO … simplesmente é o que vai ficar para todos do Mural.

  99. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 22:02

    De: SMartinelli
    Para: TODOS
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 21:38

    Abaixo emails trocados com o Bonacina no dia 20 07 2011:

    “From: SMartinelli
    Sent: Wednesday, July 20, 2011 11:48 AM
    To: Francisco Bonacina
    Subject: Re: Taça Brasilia
    Bom dia Francisco,
    A princípio, as 1as. Divisões masculinas e femininas jogarão TARDE TARDE MANHÃ … as demais divisões dependerão do número de inscritos ….. mais prá frente poderemos responder com mais precisão.
    Qual é a hora do seu vôo no domingo ???
    abs
    SMartinelli

    Em 20 07 2011 12:29, Francisco Bonacina escreveu:
    > Olá bom dia.
    > Sou Francisco Bonacina , moro em Dourados MS, gostaria de saber quias as categorias que jogaram no primeiro turno, haja visto que estou pretendendo ir mas dependo de horario de voos.
    > Chico Bonacina
    > Clube de Boliche Dourados MS

  100. Bira Teodoro

    30 de agosto de 2011 at 22:04

    De: SMartinelli
    Para: TODOS
    Recado publicado no Mural do Boliche Online em 30/08/2011 – 21:46

    X E Q U E – M A T E
    X E Q U E – M A T E
    X E Q U E – M A T E

  101. Décio Abreu

    30 de agosto de 2011 at 22:42

    Charles, estava jogando nossa rodada, que terminou agora.
    Nunca respondo em causa própria. Nem preciso de desculpas. Não enchi o saco de ninguém com explicações sobre meu fraco desempenho em Miami. Ao contrário, fiquei feliz por conseguir jogar 9 dias seguidos, cheguei a publicar no Facebook minha alegria. Mas vc perguntou, e como gosto de vc, respondo.
    Quando cheguei em Miami, não jogava mais de 3 dias seguidos há mais de 3 anos. Joguei 9 dias seguidos. A cada dia, meu polegar inchava, e nem entrava na bola. Como quase não jogava, o furo estava bem pequeno. O polegar ficou todo ferido. Há tempos não ficava assim. Apesar de abrir o furo todos os dias, ao final da rodada nem entrava mais. Quando voltei a BH, recoloquei o meu plug que usava antes de parar, e me senti à vontade. Em BSB, o polegar ainda estava ferido, mas a nebacetin segurou a onda.
    E pode ficar certo que não respondi no mural porque joguei bem ou mal em BSB, minhas idéias e convicções são antigas, todos sabem. E sou bastante tranquilo para assumir meus fracassos e acertos, creio que todos sabem também.
    Um abraço.

  102. Renan Zoghaib

    31 de agosto de 2011 at 00:28

    E depois que toda esse discursório terminar…
    Todos estaremos ganhando milhões com o boliche, 50 novos centros de última geração serão inaugurados, 4 Kegel’s serão instaladas uma em cada capital…
    É acho que vai continuar a mesma coisa!…

  103. Lucas Rodrigues

    31 de agosto de 2011 at 00:33

    Daniel suas opiniões foram perfeitas. Concordo plenamente com tudo o que você escreveu. Você demonstrou muita firmeza e sensatez ao defender suas opiniões.
    Charles, assim como concordo com as opiniões do Daniel, também concordo com as suas. É bom saber que ainda existem dentro do esporte pessoas com ideias que possam levá-lo ao crescimento.
    O Renan apesar de ter escrito uma mensagem curta, deu uma ideia do que pode ser feito inicialmente. Brasileiros com condicionamentos dentro dos padrôes internacionais e convocações baseadas nessas torneios. Quem gosta de óleos fáceis, festa, rever os amigos, que jogue as taças.
    Não sei se tenho um nível de conhecimento suficiente para debater sobre o que é melhor para esse esporte o que eu nem pratico porém acompanho o boliche em alto nível desde 2006 (ano em que a Roberta disputou o seu primeiro ODESUR) e após presenciar vários torneios internacionais, ter feito cursos, além de ter aprendido bastante com amigos como WC, Juliano, Marcelo, Caco, Bene, Charles, etc eu formei a minha opinião sobre tudo o que acontece com o boliche. Existe muita coisa errada acontecendo, e mesmo quando se encontra o caminho certo (2006/2007) não existe uma continuidade no processo e voltamos aos mesmos erros de sempre
    Charles e Daniel, continuem com essa mesma mentalidade. Podem ter certeza que existem mais atletas que pensam como vocês, quem sabe no futuro essa não seja uma opinião predominante como tem sido a opinião contrária durante tantos anos.
    E a comparação com outros esportes não cabe aqui, Eu como ex- jogador primeira classe de tênis e professor do esporte por 3 anos posso dizer que nunca vi um esporte com mentalidade tão amadora quanto o boliche. Essa mentalidade tem que ser a primeira coisa a ser mudade se houver a pretensão desse esporte ser levado a sério algum dia. Aqui no Brasil o esporte cresce e recebe investimentos depois dos resultados e não o contrário então amigos temos que ir atrás dos resultados. Quem realmente gosta do esporte provavelmente irá gostar de vê-lo em evidência. Ou sou só eu que vibro com as vitórias do Marcelo?

    Grande abraço a todos!

  104. Lucas Rodrigues

    31 de agosto de 2011 at 00:35

    Correção: “esse esporte o qual eu não pratico”.

  105. Décio Abreu

    31 de agosto de 2011 at 11:25

    Bom, se sou amador no boliche, devo dar muita sorte, pois dirijo um boliche com longo tempo de operação no Brasil, vai fazer 25 anos.
    Também como jogador sou muito sortudo, ganhei mais títulos regionais, nacionais e internacionais nos últimos 10 anos (fora os outros de 1973 a 2000) do que o Daniel, o Charles e o Beto somados, na categoria adulto. E olhe que operei 2 vezes o joelho neste período, e somente joguei 6 destes dez anos. E já tinha passado dos 50. E em BSB cheguei na frente dos dois, mesmo arrancando com 190 nas 10 primeiras linhas e parado há 3 anos. Será que isto responde qual a minha realidade, Charles? Já conquistei com o meu trabalho e carinho pelo esporte mais de 200 adeptos ao esporte que os elitistas abortaram. Prefiro a minha mentalidade e carreira, profissional e de atleta.
    No Sul Americano de 2004 bati recordes, ganhei 7 medalhas em 7 possíveis (recorde da competição), incluindo ouro no individual, duplas, all events, e masters (que cheguei como top nas semifinais).
    Naturalmente, este Lucas deve ter vibrado comigo. Obrigado. Vc, Lucas, profissional, ganhou algo nacional ou internacional? Nunca ouvi falar de vc. Fez algo pelo tenis? Nunca ouvi falar. E olhe que assisto todos os eventos de tenis na TV, nunca ouvi o Dácio mencionar seu nome.
    Charles, para encerrar, melhore sua postura dentro das pistas. Comentei ontem com o WC as atropeladas que vc me deu em BSB porque estava nervosinho, ele disse que sou mto bobo, que ele teria te tirado da pista te puxando pela camisa quando das suas atitudes de desrespeito entrando na pista na minha frente sucessivamente e desprezo ao bater na minha mão.
    E fora das pistas, sua maneira de falar e acusar as pessoas, palavrões, demonstram que vc está no caminho errado. Concordar com vc Charles, para mim, é sinal de falta de compostura e civilidade.
    Mais uma vez, obrigado à FBDF.
    Bira, quero a minha comissão.

    • Bira Teodoro

      31 de agosto de 2011 at 19:18

      É Décio, vou ter que estudar essa comissão… rs… porque esse assunto já bateu o recorde de comentários (mais de 120) e está próximo de quebrar o recorde de leituras (636 em 25.04.11)

  106. S.Martinelli

    31 de agosto de 2011 at 13:28

    Décio … como sempre comentário brilhante, inteligente e regado de emoção por tudo que o boliche lhe proporciona … espero ainda ver por muito tempo o swing do seu pulso direito … marca registrada … hehehe …
    posso estar cometendo alguma injustiça, mas não lembro de ninguém q esteja mais preocupado com esse esporte q vc. … q tenha produzido mais atletas iniciantes do q vc … parabéns … a FBDF pretende copiá-lo por aqui … abs.

  107. Charles Robini

    31 de agosto de 2011 at 14:24

    Décio,
    Primeiro que você deve ter uns 50 e poucos anos e eu tenho 25 anos. Quanto as suas conquista parabéns, acredito que você tenha sido um ótimo jogador no passado, mas que não se atualizou. Acho que faz uns 5 anos que não vejo você nem no RETROVISOR da listagem de um campeonato, agora porque ficou 1 campeonato na minha frente você quer falar oq? Décio a realidade é e, Daniel e Beto estamos muito na sua frente em relação a boliche. Cara todos os seus resultados mencionados são no SENIOR, sem querer desmerecer, mas você sabe que o nível é MUITO MAIS BAIXO. Quais são suas medalhas em INTERAMERICANOS? Qual foi sua última participação na equipe ADULTA? acho que você não joga a mais de 15 anos, já que você mencionou e o Mundial AMF? e os mundiais FIQ? Bom resumindo seus títulos são apenas na esfera sulamericana e QUASE TODOS SENIORS. No sulamericano de clubes que foi o último que você jogou adulto, eu te ATROPELEI neh, pega a listagem e ve os resultados.
    Bom Décio eu acho muita cara de pau sua falar do meu comportamento, nesses últimos 8 anos joguei várias vezes com você e como você jogou mal a maioria das vezes, seu comportamento era bem pior que o meu. Nem vou falar porque existem várias provas. Já falei vou ATROPELAR TODOS OS JOGADORES QUE PRATICAM JOGO LENTO. VOCÊ NÃO COMENTOU COM O WC SOBRE QUANTO DEMOROU OS TURNOS NEH?

  108. Renan Zoghaib

    31 de agosto de 2011 at 15:11

    Vou postar minha humilde opinião!
    Eu concordo com boa parte dos argumentos do Charles, acho que o boliche só será reconhecido como esporte, quando pararmos de tratar o mesmo como Centro recreativo.
    Podemos começar com coisas pequenas, tipo, abolir uso de bebidas e cigarros durante as partidas, no último campeonato PABCON que participei um atleta que não me lembro de que delegação era, foi fumar um cigarro no intervalo, consequência: foi penalizado com uma linha.
    Em quanto o boliche for tratado como festa, acho que não iremos a lugar nenhum.
    Temos que evoluir e acho que as federações e a confederação, deve sim priorizar quem se dedica quem quer ser algo no esporte, e ao mesmo tempo pensar em trazer novos adeptos ao esporte.
    Posso ser novo no boliche, não conhecer nem 20% da estória, mas acho que falta alguém para planejar e administrar o boliche como se fosse uma empresa mesmo.
    Sei que falar é muito fácil, eu como atleta estou disposto a ajudar no que for preciso.
    Quanto à questão de condicionamentos, eu acho temos que seguir o que se é usado no mundo.
    Taças eu acho que devem sim ser feitas com condicionamentos para sair feliz, isso evita gasto com excesso de peso e outras coisas, mas também acho que se for por esse caminho, não poderia valer para convocações ou formação da seleção nacional.
    Em Brasileiros devem ser usado os condicionamentos seletivos, no qual servirá para as futuras convocações e etc.
    De um tempo pra cá eu venho me dedicando em treinamentos em estudos para aprimorar um pouco minha técnica, por que quero ainda jogar um torneio internacional com os melhores do mundo ou das Américas e sair entre os primeiros.
    Bom acho que é isso ai, não gosto de causar polêmica com ninguém, não vou falar que um está certo e outro errado, cada um tem seu ponto de vista e a liberdade de expressar o que acha.
    Bola pra frente.
    Bjo a todos!

  109. Bruno Cezimbra

    31 de agosto de 2011 at 15:37

    Sou Bruno Cezimbra, jogador mediano da Bahia, mas como costumo viajar um pouco talvez alguns por aqui me conheçam.
    Estou adorando a polêmica, não pela discussão em si, e sim pelo debate que acabou acontecendo e também por ter 100% de certeza que todos os envolvidos amam o esporte e querem o crescimento do mesmo, tendo sim opiniões diferentes.
    Vou colocar com pensa um jogador que adora o esporte, mas infelizmente por tempo e dinheiro não PODE se dedicar mais, pois se pudesse jogava todos os dias.
    Gosto de viajar e disputar torneios fora de Salvador mas sigo um lista de ponderações para participar ou não dos torneios.
    1º Tempo disponível e dinheiro 2º Só jogo onde sou bem tratado 3º Tento prestigiar os estados que vêm jogadores pra Taça Bahia e 4º Tento atrelar a diversão ( passeios e noturna).
    Ex.: Pensei em ir no individual, mas por ser no Planet ( Um boliche que não sou bem servido) e em São Paulo que os atletas infelizmente não tem prestigiado os torneios aqui na Bahia decidi não ir, com poucas exceções.
    Gosto muito de jogar no Rio e em BH, sempre sou muito bem recebido e fiz boas amizades em ambos os estados. Agora em Brasília não foi diferente, apesar de não jogar bem como a grande maioria, gostei muito e pretendo voltar. Não concordo com tudo, tipo, apesar da inovação do programa com resultados no telão os resultados impressos são melhores, pois podemos ver melhor e analisar. Tb não gostei da mudança do horário, apesar de ser alertado pelo Sérgio que existia a possibilidade de jogar domingo a tarde e tranquilamente voltei a noite.
    Enfim, óleo fácil ou difícil pode trazer ou espantar alguns atletas, mas o importante como Luiz Afonso falou, ter cuidados na organização ( principalmente as divisões inferiores) , no bem receber, no preço barato da inscrição, no preço baixo do hotel, facilidades que nos faça querer voltar.
    Não tenho o prazer de conhecer tão profundamente Charles ou Sérgio Martinelle e por estar um pouco afastado nos últimos tempos o Décio, mas tenho uma ótima impressão dos três e gosto da cia dos mesmos. Portanto amigos, não precisa ser pessoal, apenas idéias, nada que uma conversa franca e honesta não possa resolver.
    Abs,
    Bruno
    Ps: Parabens Renan pelo comentário

  110. Renan Zoghaib

    31 de agosto de 2011 at 15:44

    Obrigado Bruno!!
    Só um adendo no no seu comentário quanto ao tratamento aqui em São Paulo, o Planet era um boliche que ninguém gostava, banheiros sujos, serviços péssimos, mas com a nova administração o Planet melhorou muito e ainda irá melhorar, quem for vir a São Paulo irá perceber muitas mudanças…
    Abs e até a Taça Bahia!

  111. Lucas Rodrigues

    31 de agosto de 2011 at 15:46

    Primeiramente, falei que o ESPORTE é amador. Em nenhum momento entrei no assunto de administração de uma casa comercial. Aliás parabéns, realmente você tem muito sucesso. Como casa comercial é uma das melhores que eu conheci em termos de atendimento, comida, etc.
    O fato do esporte ser amador não impede que você e outros tenham conquistado grandes resultados. Eu defendo que uma admistração mais profissional alavancaria ainda mais esses resultados. Esta claro que estamos perdendo terreno em relação aos outros países. Colômbia e Venezuela já nos deixaram pra trás e no ODESUR a Argentina esteve disputando com o Brasil uma medalha por equipes. A Argentina melhorou? Provavelmente, mas a nossa queda é notória.
    E sim fiquei muito feliz quando você representou muito bem o Brasil no sulamericano mencionado.
    No boliche tudo o que conquistei foi como técnico pois como citei acima não pratico o esporte. Não acho legal esse negócio de ficar discutindo o curriculum de cada um na hora de um debate, se for assim o que o WC disse irá virar verdade absoluta.
    Não fui profissional no tennis, apenas cheguei a primeira classe. Fiz muito pelo esporte na esfera que esteve ao meu alcance. Hoje pratico apenas como lazer. Mas já que ser citado vale muito pra você fique um pouco mais atento que não será dificil ouvir meu nome. Ou mesmo na mídia escrita, onde apareço com mais frequência.
    Não gosto da forma como você debate, falta respeito pelas opiniões contrárias à sua. Provavelmente por que você sequer saiba quem eu sou, mas na minha opinião isso não deveria interferir na forma como argumenta.
    Em nenhum momento tentei desmerecê-lo em meus argumentos. Reconheço que realiza um projeto muito bacana e que o mesmo poderia inclusive ser utilizado pela CBBOL.
    Acho que muita coisa que esta sendo dita aqui tem muito valor e pode servir de alguma coisa um dia. Vez ou outra aparecem alguns comentários mais ríspidos, mas não deixa de ser uma discussão válida.
    Um abraço a todos!

  112. Décio Abreu

    31 de agosto de 2011 at 16:01

    Mundial FIQ adulto 1983 – fiquei em 52o lugar, melhor colocação de um brasileiro até hoje, a 40 pinos de classificar entre os 16 para as semifinais
    Mas vamos ficar somente de 2001 até hoje, 10 anos em que joguei 6.
    Brasileiro de Seleções adulto 1a divisão 2003 – campeão por equipes
    Brasileiro de Seleções Adulto 1a divisão 2005 – campeão por equipes, all events
    Brasileiro Tercetos 1a divisão adulto 2006 – campeão com Fabio e João
    Brasileiro de Tercetos 1a divisão adulto 2008 – campeão com Fabio e Feliph
    Sul Americano de Clubes adulto 1a divisão – medalha de prata trios com Fabio e Stephanie – medalha de ouro equipes com Gladiators
    Campeão Mineiro Individual adulto 1a divisão 2001, 2004, 2007
    Meus títulos envolveram adversários como Juliano, Marcelo, Caco, Marcio, Fabio, Renato, WC, Daniel, Feliph, R. Hermes. O título por seleções 2005 dependeu da disputa pelo all events entre eu e Fabio. Se ele ganhasse, SP seria campeão. Se eu ganhasse, Minas seria campeã. Não me parece tão pouca coisa assim. Respeito demais todos os jogadores citados.
    Sinceramente, gostaria de ver o Charles, Daniel e Beto competindo com Marcos Bronsens, Arturo Hernandes, Ed Roberts, Fico Perez, Alfonso Rodrigues, e muitos outros mexicanos, portoriquenhos, americanos e venezuelanos seniores.
    Prefiro minha desatualização do que a “evolução”de vocês. Pelo menos dá resultado. E ganha títulos. No adulto e no senior.

  113. Décio Abreu

    31 de agosto de 2011 at 16:22

    Sergio, obrigado. Conte comigo. O que precisar do nosso programa de iniciantes e escolas, estou à disposição. Será um prazer colaborar com vcs.
    Abraços.

  114. Charles Robini

    31 de agosto de 2011 at 16:40

    Décio de 2001 até hoje não da para você se comparar comigo neh.
    – Vamos lá.
    Medalha de Prata em Equipes – Torneios das Américas – 2006
    Medalha de Prata em Equipes no INTERAMERICANO JUVENIL -2006
    Sulamericano de Clubes – Medalha de Ouro fase de duplas
    Sulamericano de Clubes – Medalha de Bronze em equipes
    Sulamericano de Clubes – Medalha de de Prata – All-events de Clubes
    Sulamericano de Países ADULTO – Medalha de Prata em duplas com o Juliano
    Sulamericano de Países ADULTO – Medalha de bronze – total de pontos por país.
    Brasileiro de Clubes 2009 – All-events – 200 pinos no segundo.
    Taça Rio 2009 – Campeão de duplas junto ao Marcelo – Os dois 1 e 2 no all-events – 400 pinos de vantagem na segunda dupla
    1º LUGAR NO RANKING BRASILEIRO DE 2009
    Campeão Brasileiro de Tercetos 2010
    Campeão Brasileiro de Tercetos 2011
    Esse é um resumo do que lembrei de cabeça.
    Décio a partir de 2001 não da neh

  115. Décio Abreu

    31 de agosto de 2011 at 16:55

    Não relacionei senior nem taças. Vc relaciona juvenil e taças. E muitos que vc ganhou eu não participei. E TODOS OS ADULTOS QUE GANHEI VC PARTICIPOU.
    Mas este papo está muito chato. Tchau.

  116. Charles Robini

    31 de agosto de 2011 at 17:00

    Todos,
    Só quero lembrar que são as pessoas que não tem argumentos que ficam falando de curriculum. Apenas estou me defendendo porque vocês sabem que os caras acham que podem mandar no esporte porque já consquistaram coisas no passado. Eu acho até válido a idéia, mas vejamos Eu, Beto Moleda, Daniel Murta e Renan estamos a favor da confederação e as federações tratarem o boliche como esporte, colocando todos os padrões de competição de acordo com os jogados no mundo. Contrário estão Sergio Martinelli, Décio Abreu e FBDF. Bom acho que da pra vocês tirarem suas conclusões.

  117. Charles Robini

    31 de agosto de 2011 at 17:04

    Décio você não deve nem ler o que escreve. Você mencionou campeonato MINEIRO e você vem falar de min, poxa le o que você escreve neh. Bom 2009 não da pra compara porque eu 1 ranking. Pega o sulamericano de clubes. Veja o all-events ou qual clube chegou na frente. Esses os dois jogaram.

  118. Décio Abreu

    31 de agosto de 2011 at 18:10

    Charles, escrevi títulos regionais, nacionais e internacionais. Mantenho.
    Desculpe, como estou afastado, nem sabia de seus resultados de tercetos. parabéns. Ainda assim, juntando tudo, tb mantenho.
    De resto, te desejo sucesso, tanto em sua vida de atleta como pessoal.
    Um abraço.

  119. Charles Robini

    31 de agosto de 2011 at 19:50

    Décio,
    Eu gosto muito de você como pessoa, o problema que você achou que a crítica caia sobre você, mas não é. Eu acho que você realmente fez história, mas temos opiniões diferentes quanto a melhor estratégia para o boliche evoluir. Décio muitas pessoas querem evoluir, creio que todos desejam isso, mas muitos nem sabem como. Eu acredito que os torneios devem ser mais profissionais, desde a linha de falta que está sempre desligada até o ritmo de jogo. Cara você percebeu quantas horas demoramos para jogar? Pessoas da própria diretoria demorando absurdamente e ninguém fala nada. Décio se eu pego uma diretoria técnica,EU JURO QUE EM 2 TORNEIOS EU IMPLANTO UM RITMO DE 35 MINUTOS NO MÁXIMO. Não tenho medo desses e eles iam sim perder muitos frames. Bom contra a condicionamento a minha idéia é a seguinte:
    – Todas as taças com nível de dificuldade Média
    – Nós temos 4 brasileiros. Um seria apenas óleo curto, outro óleo médio e um de óleo longo. Para o brasileiro individual eu usaria dois condicionamentos. Dessa maneira, você consegue segurar o excessos de – bagagem.
    – o fumo ia acabar porque quase sempre a galera vai para o fumódromo e atrasa o começo da próxima partida.
    – Seleções eu daria muito apoio aos juvenis, após adultos e seniors juntos.Você sabia que a CBBOL tem 17 mil em caixa e a nossa seleção do interamericano foi incompleta? Bom, lamentável.
    O negócio é criar uma gestão mais profissional como Lucas comentou. O problema é que a eleição é uma FRAUDE, federações que não tem nem 10 atletas decidem o futuro do esporte, ou seja, sempre votam nos amigos e panela continua na administração.Cara nós podíamos formar uma bela diretoria, o problema ta nessa eleição.

  120. Charles Robini

    31 de agosto de 2011 at 19:53

    Me referi ao interamericano juvenil que foi com equipe incompleta.

  121. Fernando Bueno

    1 de setembro de 2011 at 07:08

    A quem interessar possa:

    Vendo Maquina de Lavar Roupa Suja……..preço de ocasião….

    hehehehehehehehe

  122. Décio Abreu

    1 de setembro de 2011 at 11:08

    Bom, eu ia mesmo parar, mas entro mais uma vez porque parece que o Charles voltou a ser o que conheço.
    Boas medidas. Quanto ao jogo lento, do jeito que vc falou, parecia que o errado era eu de invocar a regra, não os que ditavam o ritmo de 1 hora ou mais por linha. Eu sofria muito, pelo joelho, e, pior, como administrador de boliche. Os dirigentes vem negociar preço comigo como se os turnos fossem durar 4 horas, mas duravam 6, até 7. Todo evento era a mesma baixaria, até chamado de ladrão já fui. Em BSB agora, um grande amigo me disse que enfio a faca no pescoço. Ora a culpa é das lesmas de plantão, não minha.
    Vamos bater um papo tomando um chopp ou coca cola na próxima oportunidade.
    Aí vc me explica isto: rsrsrsrsrsrsrs
    Brasileiro Ind 2007 em 2 óleos ( o último que joguei)
    1- Fabio Rezende 215,08
    4- Décio Abreu 204,50
    8- Daniel Murta 192,92
    19- Beto M 182,79
    24 e último – Charles 154,61
    Nunca tomei 50 pinos de média de ninguém, nem do Mats Karlsson, Gordon Vadakin, Tony Rosenquist, Jack Jurek, Alfonso ou Paeng Nepomuceno….Nem consegui fazer 154 de média, nem no meu 1o. torneio….kkkkkkkkkkkkkkkkk
    Um abraço.

    • Beto Moleda

      1 de setembro de 2011 at 12:13

      Caro Decio ,
      Nao to entendendo porque toda hora cita meu nome , mas como vc joga muito e quem vive de passado e museu , o que vc acha de uma apostinha no brasileiro individual na semana que vem , o unico problema e que vc nao esta na primeira divisão , o Charles pelo menos foi convocado………
      Abrs

  123. Charles Robini

    1 de setembro de 2011 at 13:11

    Caro Décio,
    Bom quanto a esse torneio foi o seguinte. Primeiro que você viu que eu joguei só 18 linhas ? após o sulamericano de clubes eu decidi dar um tempo de boliche, mas fui a BH a passeio, então minha mãe tinha me inscrito, mas eu não levei minhas bolas, sendo assim eu peguei um bola dela e tentei jogar. Bom logo de cara já fudi o dedo por causa do ângulo, tinha apenas uma bola, nem coco eu tinha. Só que no 3 dia fudeu de vez o dedo e nem terminei o torneio.
    Cara amigo Décio.
    E esse resultado aqui o que você acha:
    Campeonato Brasileiro de Clubes 2009:
    1º Charles Robini – 217,08
    2º Eduardo Issa – 211,13
    3ºJoão Carneiro – 211,00
    32º Décio Abreu – 188,88

    Bom foram 40 pontos na média, mas acredito que você foi pra jogar neh? já eu fui pra curtir os meninos de BH e acabei entrando no campeonato.

  124. Charles Robini

    1 de setembro de 2011 at 13:13

    Décio cuidado com o Beto o cara tá jogando muito, se fosse você não aceitava a aposta hein!!

  125. Andre Pak

    1 de setembro de 2011 at 13:26

    Já que os resultados são mais importantes. Walter Costa cadê você???

  126. Décio Abreu

    1 de setembro de 2011 at 13:38

    Para mim, foi mais uma tentativa de voltar, mas como vc sabe, o joelho sentiu, não deu e continuei parado. Charles, faça as contas direito, são 29 pinos. Veja que eu estava brincando, sei que algo de anormal aconteceu. Continua o convite para o chopp.
    Quanto ao Beto, que posso dizer? Citei seu nome, vc me deu este direito me chamando de maluco em seu primeiro comentário. Para mim, vc não é referência. Não tem passado, nem presente, nem futuro. Nem pra museu serve…

    • Beto Moleda

      1 de setembro de 2011 at 14:33

      Apelou perdeu.kkkkkkkkkkkkk
      Decio não quero ser referencia pra ninguem no boliche , os esportes de verdade que ja participei no passado inclusive patrocinado por grandes empresas ganhei tudo.( mas isto não importa )
      Agora pra quem nao tem passado, presente nem futuro porque nao aceitou a aposta ???
      Para terminar se eu tenho uma referencia no boliche ele se chama Walter Costa e com certeza vc tambem não e referencia para mim no boliche.
      Ja que vc serve para museu , fica tranquilo vou dar um jeito de mandar uma foto sua la pro Louvre “a lenda viva do boliche ”

      fui

  127. Charles Robini

    1 de setembro de 2011 at 13:48

    Décio
    Eu também estava brincando, ainda por cima errei na conta hahaha. Bom décio agora que concordamos em um ponto. Vamos la o que fazer? Continuar pagando mais caro porque eles gostam de pensar na morte da bizerra? E os caras estão fazendo ESCOLA! Meu até pangaré que nunca ganhou nada fica demorando!! Enquanto não tirarmos frames desses caras não vai te jeito. Precisamos de um diretor que venha peitar esses atletas. Eu acho 35 minutos um exagero ainda, mas tudo bem. Quanto a idéia dos condicionamentos o que você achou ?

  128. Décio Abreu

    1 de setembro de 2011 at 14:16

    Nos brasileiros? Sempre fui a favor…
    O difícil do jogo lento é que os mais lentos são figuras carimbadas… Mas só no Brasil, no exterior eles jogam rapidinho. Lá tem cartão…

  129. Dannyel Coelho

    2 de setembro de 2011 at 00:40

    Após dez anos sem jogar, foi um prazer jogar a taça Brasília e rever velhos e novos amigos. Um abraço à galera de Alagoas, que eu tive o prazer de conhecer, ao Bruno Cezimbra e seu parceiro, ao Carrasco e ao Paulão de MT, e aos demais que conheci agora.
    Até agora não entendi a questão dos turnos. Joguei a 2 divisão, e não tenho nada a reclamar. Quanto ao Luiz Afonso, acho que não pode responder pela federação, que já estava constituída à época. Qualquer pergunta em relação a sua posição quem deve responder é ele mesmo.
    Em relação ao óleo, concordo com o Renan. Seletivo nos Brasileiros, e a critério da federação organizadora nas taças. Quem não quiser participar, só não ir. Eu, por exemplo, não irei participar de nenhum brasileiro, pois óleo seletivo sem equipamento é suicídio. (tenho apenas uma bola, comprada em 2000). Mas mesmo assim fiquei entre os 7 melhores, (Nada mal pra quem tava parado, né bira?) mas com certeza não me iludi com minha média.
    A comparação que faço do meu jogo foi em relação aos demais participantes, grande parte destes entre os melhores do ranking nacional. E se o óleo estava fácil, estava fácil para todos. Ou estou enganado?

    Abraço aqueles que debatem sem baixar o nível e sem colocar curriculo, que não leva a nada.

    • Andrei Machado

      3 de setembro de 2011 at 20:10

      Valeu Dannyel!
      Muito bom jogar com vocês todos aí!! Em breve estaremos novamente jogando juntos! Vai à Bahia em outubro?
      grande abraço!

  130. Lucas Rodrigues

    2 de setembro de 2011 at 01:03

    Décio, apenas uma correção, o melhor resultado brasileiro em Mundial FIQ Adulto pertence ao Juliano Oliveira que ficou em 43º com 206,88 em Abu Dhabi no ano de 1999. Aliás foi a única vez que o Brasil teve dois atletas com mais de 200 de média no all events em um Mundial FIQ.
    Nesse torneio o Brasil conseguiu também sua melhor colocação em uma fase de Mundial com o 10º lugar do Terceto Juliano/Caco/João Carneiro.

    Abraço!

  131. Décio Abreu

    2 de setembro de 2011 at 11:16

    Obrigado Lucas, não sabia. Neste ano tb estava operado do joelho, 1a cirurgia, e afastado…
    Realmente, o Juliano faz parte de nossos grandes atletas nacionais e internacionais. Sou particularmente fã do WC, Fabio, Rodrigo, Juliano, Marcio, Renato, Caco e Marcelo. Para mim, os melhores jogadores do Brasil, WC em 1o. lugar, o maior acertador de seta, break point, além de 1a bola das melhores, e não afinava nunca. Elevou o nome do Brasil e nos fez respeitados.
    Todos começaram antes de 2006 e alguns estão envelhecendo, outros se afastando. Precisamos renovar…Depois de 2006 não apareceu ninguém…Daniel, Charles, Renan, Feliph e creio que até o Hideki começaram antes…Epa, não quero começar tudo de novo.
    Um abraço a todos.
    Bira, vamos negociar: um anúncio da pro shop gratuito por 1 mês?rsrsrsrsrss

  132. Roland Vetter

    2 de setembro de 2011 at 23:02

    Sei que é um pouco tarde para entrar na conversa, mas só ontem tive o tempo necessário para me ligar,,,
    Não sei bem como fui parar lá, mas atualmente sou o Presidente da F Baiana, e apesar de já ter sido filiado a outras 6 Federações, inclusive tendo participado do Conselho no Tênis e Triatlon aqui na Bahia, devo dizer que nunca vi um grupo com egos tão pocados e onde a grande maioria só olha para o própio umbigo, com algumas exceções…
    Por ocasião da Taça Brasília, onde pretendo retornar sempre que puder, como a grande maioria, não deixei de estranhar e considerar no mínimo “falta de atenção ” para com o pessoal das divisões inferiores o horário “rstranho” , deixando quem jogava mais cedo terminar mais tarde no domingo. Acho que no mínimo faltou uma boa justificativa dos organizadores sobre esta decisão, que deveria ser divulgada com bem mais antecedência.
    Quanto ao óleo, (tambem sou jogador mediano com jogo de pouca técnica, mas que consigo meus melhores resultados quando jogo em óleo considerado “difícil” pela maioria), tambem considero que colocar óleo festivo é um deserviço ao crescimento técnico dos atletas, mas aqueles que continuam olhando para o umbigo adoram e saem se achando verdadeiros PBA.
    A propósito do Brasileiro de Tercetos comentei com o Tuca que aquelas médias eram irreais, e tive o desprazer de ouvir dele que irreal era aquele óleo de Brasília. Entendo que o critério do óleo de cada Taça é de quem faz (para quem gosta, devo dizer que o meu diretor técnico já anunciou que a T Bahia tambem será “festiva”,,rsrs). Imagino que pelo correr das coisas em breve teremos Taças com guaraná, docinhos, tábuas levantadas nas canaletas, e quem sabe umas Paquitas p/ animar! Coisa bem Festiva…e todos vão sair animadíssimos.
    Fico apenas com pena daquele garoto que quando vai jogar em algum outro lugar volta decepcionado colocando a culpa no óleo como se aqueke óleo mais ténico devesse ser proibido.
    Aqui em Salvador no ano passado chegamos ao cúmulo de trocar o óleo após uma segunda rodada porque o óleo estava “errado”,
    Tambem considero que não é o óleo mais facil que atrai jogador. Este ano temos jogado todo ele com o oleozinho escolhido mas não notei aumento no número de atletas;
    P encerrar, estou indo a S Paulo para o Individual e continuo sem entender, porque o mesmo óleo todos os dias no principal campeonato do ano??
    Grande abraço a todos!
    Roland

  133. Charles Robini

    3 de setembro de 2011 at 21:36

    Roland Vetter
    Espetacular o seu comentário. Eu acredito que a Bahia vai crescer muito com o seu mandato, mas acho que você deve conversar com seu diretor e colocar esse fato. Nós temos que trazer o pessoal pro boliche, fazer com que todos voltem a treinar, as casas vão lucrar e perceber que o federado é importante.Parabéns mais uma vez e você está no caminho certo.
    Abraços

  134. Charles Robini

    3 de setembro de 2011 at 21:44

    Dannyel
    No minimo curioso seu comentário porque você fala que não se ilude, mas fica se gabando porque está disputando com os melhores. Existe uma certa contradição neh?
    Cara nós estamos discutindo esporte. O esporte exige atletas, você é um jogador que gosta de se divertir no esporte e eu acho que você tem total direito, mas a confederação e as federações não podem tratar o boliche dessa maneira. Esses orgãos devem procurar focar nos ATLETAS.

  135. Dannyel Coelho

    3 de setembro de 2011 at 22:49

    Charles,
    não vi contradição nenhuma. Eu disse que não me iludi com minha média. A comparação que fiz do meu retorno foi em relação a colocação no torneio (entre os 7 primeiros no geral), independente da média. Se tivesse feito 180 de média e ficado entre os 10 melhores no geral, minha comparação seria a mesma. E não estou me gabando. Sei que em um óleo seletivo eu não teria essa mesma colocação, primeiro por que não tenho equipamento, e segundo por estar voltando após 10 anos parado sem jogar nenhuma partida. A propósito, apenas coloquei minha opinião sobre a enquete formulada pelo Bira, título deste tópico. Não quero entrar em discussão pessoal com ninguém. Meu comentário foi sobre minha opinião pessoal e só.

    Valeu Andrei um abraço mas não irei à Bahia.

  136. Marcos Vaz

    4 de setembro de 2011 at 04:18

    Três anos afastado do boliche e vejo q tudo continua o mesmo… só de lembrar do jogo lento já fico com sono! Esse praticado pelos os quais não defendem mudanças no esporte.

    Lembro q a mudança para dois condicionamentos me fez progredir tecnicamente e sair do mundo encantado de altas médias e de bolas cheias de firulas. Não só eu, mas como outras pessoas do Rio foram atrás de instrução com o Benê Villa, trazendo-o ao Rio para ministrar sua clínica.

    Corcordo em parte com o Charles em que mudanças repentinas (óleo, horário, posição de pistas, etc) mostram a desorganização do boliche brasileiro e irritam o atleta q investe um dinheiro pesado em sua preparação.

    Lembro também que jogar pertos dos velhos e cheios de vícios jogadores de 1a Divisão era chato, cansativo, salvo algumas exceções.

    Quem sabe o boliche ainda tenha salvação ou podemos esperar q ele ressurja da cinzas quando estiver prestes a acabar.

    Abraços

  137. Charles Robini

    4 de setembro de 2011 at 12:57

    Marcos Vaz,
    Você era mais uma promessa do esporte e como todas as outras acaba desanimando por essa estrutura falida. Punir o jogo lento, as mudanças no óleos, desrespeito dos horários ninguém faz nada . Estou em brigando e parece que os atletas estão começando a colocar a cara para bater, muito bom isso. Já temos um PRESIDENTE de federação que pensa no esporte.
    Espero que você volte.
    Um abraço

  138. Charles Robini

    4 de setembro de 2011 at 13:02

    Dannyel,
    Bom você não tem o que reclama porque você é de Brasilia, você não teve que mudar horario, gastar mais com comida, passagem, hotel, então pense em outros atletas e não apenas em você neh.
    Quanto a saída a federação tem que responder sim, para os atletas, porque o Luiz com integridade colocou o fato de os GRANDES diretores da sua federação não tiveram a CORAGEM de responder o comentário dele. Todos sabem o MOTIVO da mudança, ninguém é bobo.
    Exatamente o que você falou, vai quem quer, eu tive minha experiência e não volto mais e quem perguntar ainda vou falar cuidado que é uma ZONA a organização.

  139. Asdrubal

    4 de setembro de 2011 at 19:33

    Ontem de madrugada enquanto assistia às finais do mundial feminino no http://www.ustream.tv/usbc tive a paciência e o tempo de ler tudo escrito aqui (exceto é lógico as repetidas exaltações de currículos).
    Existe realmente coisas erradas na administração do Boliche e certamente a despeito da total falta de tato na forma colocar as coisas, o meu amigo Tchuco-tchuco (Charles) suscitou uma discussão interessante. Não quanto à Taça Brasília que foi uma delícia, mas quanto a melhor forma de desenvolver o esporte.
    Depois de 20 anos de esporte e 6 como proprietário de boliche, corroboro 100% com as afirmações do Décio sobre a dificuldade de trazer novos adeptos para o esporte, em especial se usarmos condições extremamente seletivas. Isso me lembra uma frase o Alfonso Rodrigues, sobre um condicionamento difícil que usávamos em Brasília no final da década de 90. “Ensinar alguém a jogar boliche neste condicionamento é difícil! É a mesma coisa que dar um tapa na cara de uma criança quando ela acerta!”
    Diferentemente do que meu amigo e presidente da Federação Baiana falou, inventar dificuldades não trouxe nenhuma melhoria para os atletas baianos e desestimulou MUITO o boliche por aqui.
    Por outro lado é FATO que a despeito de desestimular muitos a viajar (eu incluído) a fase dos 2 óleos trouxe alguma melhoria no conhecimento geral sobre os condicionamentos utilizados pelo mundo a fora e como encarar suas dificuldades.
    Embora tenha havido uma singela melhoria no conhecimento geral não é cultura do nosso esporte divulgar informações e desenvolver atletas. As pessoas que detêm conhecimento o adquiriram através de muito esforço, dedicação e custos pessoais e não ganham nada para multiplica-lo.
    Os novatos na sua maioria não têm a cultura de pagar por aulas, clinicas ou qualquer coisa que não esteja ligada diretamente a equipamentos.
    Portanto um ou outro atleta que tenha mais talento e consiga alguém para “apadrinhá-lo” é quem acaba se desenvolvendo.

    Na minha nada humilde opinião (não sou uma pessoa humilde por natureza hehehe) existem 2 caminhos:

    1- Procurar aumentar muito o numero de praticantes fazendo convênios com colégios e demais práticas que o Décio sempre incentivou. Formar novos jogadores Investindo desde o início em clinicas, capacitação de Instrutores etc… E democratizar mais o conhecimento sobre o esporte.
    (no judo as despesas dos atletas de alto rendimentos eram custeadas em sua maioria pelos milhares de praticantes que pagam para fazer exames de faixa, hoje já existe um grande apoio governamental)

    2- Aproveitar aqueles que por algum motivo conseguiram se destacar e investir no treinamento destes através de subsídios governamentais.

    Independente da caminho a seguir sou a favor do pensamento de Aristóteles de que “A virtude está no meio”. Não dá pra pensar só em torneios festivos muito menos só em condicionamentos dificílimos para os pseudo-jogadores de ponta que hoje temos.
    Independente dos condicionamento, tenho visto o Marcelo ganhar quase tudo…Será que é sorte????

    Quanto ao mundial feminino?

    Ontem a Kelly Kulick largou de 300 seguido de 216, ao olhar para o placar ela era a 9.ª colocada… nem se classificou para as semi-finais e o recorde mundial da competição foi demolido… Será que está dando chilique pelo fácil condicionamento???
    Acredito que hoje nas duplas os placares serão mais baixos 39 pés se não me engano.

    • Dannyel Coelho

      5 de setembro de 2011 at 03:36

      Asdrúbal
      Perfeito seu comentário, Dudu. Você foi realmente muito humilde (rs).
      Mas vou aqui agora exaltar meu currículo, não como jogador, por óbvio, mas como dirigente.
      Bons tempos…
      Em 1996, quando foi inaugurado o boliche do Park Shoppping, fui eleito vice-presidente da FBDF, na gestão do Lineu. Após quase um ano, Lineu se mudou do país e assumi a FBDF, sendo reeleito depois de terminado o primeiro mandato.
      Naquela época, assumimos uma federação quase inexistente, pois não tínhamos boliche, e chegamos a ter mais de 240 jogadores com mensalidades em dia. Fizemos um trabalho de aumento de base muito eficiente, mas muito trabalhoso de ser executado. Como fazíamos?
      ficávamos no boliche quase todos os dias da semana vendo quais jogadores iam jogar com mais constância e que levava jeito para o jogo, puxávamos assunto e depois os convidava para jogar um torneio de estreantes. Todo torneio nosso havia uma categoria de estreantes, já que estes nunca queriam jogar com jogadores já federados.
      Alugamos uma sala em conjunto com a CBBOL, e todos os dias dispendia algumas horas do meu corrido dia em prol da FBDF. Com a ajuda do Paulinho Xavier, a cada torneio que íamos organizar tínhamos o trabalho de ligar – isso mesmo, ligar – pra todos aqueles que ainda não haviam se inscrito e tentar convence-los de jogar.
      Ou seja, investimos na base.
      Além disso, organizamos duas clínicas com o Alfonso Rodrigues, a primeira com a ajuda da CBBOL, e a segunda com nossos esforços (e verbas). Também organizamos uma clínica com o Michel (não me lembro o sobrenome dele. Se lembra, Asdrubal?) Um americano que o Fabinho Rezende tinha trazido ao Brasil.
      Ou seja, investimos também em conhecimento.
      Organizamos uma Taça Brasilia que teve mais de 230 jogadores, ou seja, a casa cabia 196 nos dois turnos somados. Aí tivemos que organizar uma terceira divisão, só com jogadores locais, uma semana antes.
      Me lembro bem que teve divisão juvenil masculina e feminina – isso mesmo, divisão juvenil feminina – de GRAÇA.
      Ou seja, investimos também nos juvenis.
      Tenho tudo documentado.
      Quando acabou meu mandato, e disse que não iria continuar, pois tinha que cuidar mais da minha empresa, além de outros motivos, e recebi até placa de agradecimento dos atletas de Brasília pela minha gestão.
      Tudo isso, claro, com a ajuda dos meus diretores, Fábio Grossi, Asdrubal, Énio Cursino, e também da grande ajuda do Paulinho, que era quem organizava os torneios e me ajudava em tudo.
      Pode parecer, mas quem me conhece sabe que não estou me gabando.
      Estou na verdade me lamentando, pois vi um trabalho árduo e bonito se acabar, por vários motivos.
      Alguns podem culpar a casa que jogávamos, mas lembro que durante os quase quatro anos que foi presidente, a casa era a mesma, e inclusive fiquei um ano como dirigente na gestão do famoso Agenor, e tudo que negociávamos acabava em um denominador comum.
      Acho, pessoalmente, que houve falha na negociação, mas é só uma opinião pessoal, sem criticar aqueles que me sucederam, pois ser presidente de federação, abdicando do tempo com a família para trabalhar em prol do esporte, sem ganhar nada, só recebendo paulada, não é pra qualquer um.
      Me lembro bem do Marco Aurélio, na minha opinião o único dirigente esportivo realmente profissional que tivemos, que não aguentou e pulou fora, infelizmente para todos que gostam desse esporte.
      Hoje vejo um menino me criticar e dizer que só quero me divertir. Pensando bem, acho que ele tem razão.
      Como diria Bira Teodoro, jogo que segue.
      Abraço Dudu e boa sorte no Brasileiro. Ta jogando muito.

      • Bira Teodoro

        5 de setembro de 2011 at 08:45

        Dannyel
        Impressionante e muito triste o seu depoimento. Para ser lido e relido muitas vezes.
        A cada leitura observamos pontos cruciais para serem aplicados num planejamento básico, coordenado e, o mais importante: em nível NACIONAL, envolvendo Clubes e Federações com a CBBOL.
        Concordo com o Asdrúbal, o Charles foi desastroso na forma da abordagem e no foco do problema, mas iniciou (sem querer) um debate que poderá ajudar o Boliche brasileiro. É a minha esperança.

  140. Charles Robini

    5 de setembro de 2011 at 09:28

    Todos
    Vou descrever a história do Pangaré.
    O cara começa jogando aos finais de semana e aos fazer alguns strikes a mais que os outros começa a sentir que leva jeito para o esporte, então procura conhecer mais o esporte. Logo de cara ele compra bolas novas e começa a TREINAR. Então começa a participar de torneios e sua média sobe gradativamente. O ENGRAÇADO É QUE TODOS NÓS TREINÁVAMOS E NUNCA RECLAMAMOS DESSA FATO, MAS HOJE NINGUÉM GOSTA DE TREINAR. Esse aumento faz com que o atleta em um curto espaço comece a disputar títulos, vagas nas seleções e dai o cara se ANIMA MESMO. Essa evolução vai até uma certa média que digamos que em óleos difíceis chega em torno de 180 e nos fáceis uns 205, para melhorar esse média constantemente ele precisa de uma evolução em seu jogo FÍSICO, mas como já sabemos o ATLETA COMO O ASDRUBAL MENCIONOU não procurou a informação de início por dois fatos , primeiro que não existem professores e segundo que o cara ao conseguir fazer mais strikes se considera bom o suficiente para evoluir sozinho. Ao colocar ÓLEOS FÁCEIS o jogador consegue se manter entre os primeiros mesmo com uma média limitada, vale lembrar que para um strike ele pode errar 10 tábuas e no spar idem , dessa forma COMEÇA O INICIO REVERSO, em que o atleta começa a treinar menos e não procura evoluir. Então que começa o momento que o cara pensa se vale a pena o BOLICHE. Primeiro o CUSTO ALTO, SEGUNDO COMEÇAM AS ARMAÇÕES QUE O TIRAM DA DISPUTA, SE AFASTA DA FAMÍLIA,NÃO EXISTE INCENTIVO NO ESPORTE (O CARA PAGA ATÉ PARA TER UMA CAMISA PARA REPRESENTAR O BRASIL), então na primeira oportunidade o cara desiste. Eu conheci milhares de juvenis que desistiram, fora os adultos, da minha época ficaram apenas EU E O MARCELO, muito pelo fato de nossa família estarem ligadas.
    Bom o que o Dannyel falou muito legal, mas essa política NO LONGO PRAZO , não da certo. Primeiro que esses treinamentos são muito caros e não tem continuidade, ou seja, trazer um técnico a cada 4 anos não vai formar nenhum jogador, essa CLÍNICAS devem ter CONTINUIDADE, mas elas CUSTAM caro correto? Então fica nítido que precisamos de VERBA, ou seja, a primeira coisa que TODOS OS ESPORTES exigem são RESULTADOS, sem ele o patrocínio não vem o COB e o Ministério não enxergam o boliche.
    Vou contar uma história para vocês. Quando eu comecei a jogar boliche a minha mãe era casada com o Toninho Santos que todos conhecem e para aqueles que não conhecem, com certeza ele tinha o melhor approach DO BRASIL, treinava, comprava bolas, investia em técnicos, mas não FAZIA PARTE DA PATOTA, sendo assim só teve uma participação na seleção brasileira e FOI O GRANDE RESPONSÁVEL PELA MEDALHA MAIS IMPORTANTE DA EQUIPE BRASILEIRO ATÉ HOJE.
    Bom ele começou a treinar eu e meu irmão. No primeiro dia ele falou suas MÉDIAS vão cair no início, mas vocês vão evoluir tecnicamente e com o tempo vocês vão atropelar os seus adversários. O que aconteceu? Meu irmão não quis treinar e eu resolvi encarar essa batalha. Esses tempos foram difíceis porque minha média caiu, até me sacanearam muito em um torneio Junveil em BH. Conclusão após uns 2 anos treinando forte, a roda gigante se inverteu. Aquele juvenis que estavam em BH a não ser o Marcelo que também investiu no seu jogo, EU NÃO DISPUTO COM MAIS NENHUM, EU ATROPELO QUALQUER UM DELES, PARA MIN ELES SÃO APENAS NUMERO NO CAMPEONATO, o meu irmão coitado nunca mais nem chegou a disputar um campeonato comigo.
    Bom esse é o resultado da EVOLUÇÃO! No começo é duro, mas os resultados são muito melhores.

    • Bira Teodoro

      5 de setembro de 2011 at 14:05

      Charles
      Suas propostas são tão profundas quanto um pires.
      Pensei que você já tivesse passado dessa fase de disputar quem consegue cuspir mais longe…
      O condicionamento das pistas é importante na sequência de AÇÕES para o desenvolvimento do boliche no Brasil, mas o lugar disso na fila está lá atrás, tem pelo menos uma dezena de outras na frente.
      Quando você crescer, vai aprender.

  141. Marcio Martins

    5 de setembro de 2011 at 13:41

    Não há jeito. É rir para não chorar. O tempo passa e as discussões – pretensamente feitas para discutir rumos para o boliche – encobrem a
    guerra de vaidades e as massagens de ego, em inócuas discussões sobre giro, médias e currículos num País onde ninguém sabe sequer que o ato de arremessar uma bola em pinos é um esporte.

    Defintivamente, o mundo onde vivem meninos mimados, ricos empresários ou abastados profissionais liberais é bem diferente do real. Como imaginar a difusão de um esporte cada vez mais caro (uma hora de prática custando, em alguns estados, mais de R$ 100) e que pede cada
    vez mais aquisição de materiais? Quem apresenta um ambiente apropriado para ensinar os novatos e introduzi-los em competições voltadas para eles? Os gastos são enormes, a oferta de profissionais aptos a treiná-los é mínima e o ambiente… bem, o ambiente é mais ou menos assim:

    “Dezenas de pessoas, agrupadas de quatro a oito em um par de pistas, bebem água, refrigerantes, cervejas, uísque e energéticos; gritam
    freneticamente; comem polpudos sanduíches, petiscos, massas e carnes, e jogam alegremente, semiuniformizados (se tanto), entre os intervalos para fumar e jogar conversa fora. Tudo isso com os filhos, parentes e namoradas andando por entre as pistas”. Como descrito acima, excelente para quem quer fazer amigos, se divertir, fazer e ouvir graça. A dúvida é se esse cenário é atrativo para quem que começar num esporte.

    Pelos altos custos, pelo ambiente viciado e, por último, pelas competições mal organizadas – onde tudo é permitido -, entendo que o óleo não influi em nada no aumento da base (no máximo a manutenção da mesma). Portanto, que tal olharmos para o que interessa? Só vamos construir se houver uma real desconstrução da realidade em que vivemos.

    Taça Bahia

    Em tempo: sou o diretor técnico da FBBOL e serei o responsável pelo condicionamento da Taça. Já aviso, principalmente para os que não detém um conhecimento técnico mínimo, que nosso máquinário é antigo e não faz passagens de óleo tábua a tábua na mesma densidade. Portanto, o condicionamento não terá um nível de dificuldade alto. Quem, mesmo assim, quiser nos visitar, será extremamente bem-recebido pelo nosso grupo, algo já tradicional, há anos, no Circuito Nacional.

  142. Charles Robini

    5 de setembro de 2011 at 15:08

    Bitoca,
    Todos nós conhecemos o boliche da Bahia. Sabemos das limitações atuais em virtude do problema com o shopping. Você fala de custo, ótimo? Quero ver você como DIRETOR TÉCNICO peitar o JOGO LENTO, vamos ver se você pensa mesmo no esporte.Ao fazer isso você diminui o turno para 4 horas e assim pagamos menos no valor da inscrição. Feito o desafio para você.
    Você fala de ego, quero ver sua atuação como DIRETOR TÉCNICO. Eu confio em você, vamos ver o seu trabalho? porque falar todo mundo FALA, vamo começar a agir o que acha?

  143. Asdrubal

    5 de setembro de 2011 at 15:56

    “Impossível é aquilo que ainda não foi realizado”
    Dannyel para quem acredita nesta frase, acho que realizamos o impossível à frente da FBB nos bons tempos que você relembrou.
    Se bem me lembro, não foi muito popular a decisão de cortar os subsídios da seleção de Brasília para investir em treinamento.
    As clinicas com Alfonso Rodrigues (México), três vezes com Michael Nitray(USA), e com Daniel Falconi (México), embora caras, acabaram dando um resultando surpreendente.
    Você se lembra como os jogadores top da época chacoteavam a nossa iniciativa de trazer o Michael Nitray? Embora o cara tivesse sido Team USA e técnico de 3 seleções nacionais diferentes (levou uma delas ao 3º lugar em mundial), os nossos experts sempre deram a entender que o cara não sabia nada de boliche.
    Mesmo contra todas as expectativas, a verdade é que os investimentos em juvenis e clínicas para todos se mostrou extremamente eficiente. O nível dos jogadores de Brasília melhorou sensivelmente, com vários jogadores chegando à primeira divisão. Hery Wall se tornou um ótimo jogador, Luisa foi campeã adulta embora ainda fosse uma mocinha à época, e Mario Alvarenga foi simplesmente primeiro colocado em uma das fases do Mundial Juvenil. Isso mesmo 1º!
    Como o sucesso tem vários pais, sempre vai ter quem diga que tudo isso nada teve a ver com a política adotada pela FBB na época, tampouco com as clínicas. Certamente as dicas dos atletas top é que trouxe estes resultados.
    Logicamente não é fácil para qualquer esporte amador de alto custo crescer.
    O Boliche em especial passa por problemas no mundo todo. A evolução do esporte realmente aumentou muito o gap entre os que têm conhecimento sobre: furação ,equipamento, superfície, diversos condicionamentos etc …, e as pessoas que apenas tem talento.
    Nos EUA o que tenho visto é um esforço enorme de difundir o máximo possível a informação através de certificação de técnicos.
    No meu entender o comentário do Bira sobre existirem muitas prioridades antes de se discutir apenas o condicionamento é perfeita.
    A pergunta é: Será que queremos mudar?
    Os parcos recursos hoje angariados pela CBBOL são investidos em viagens para representar o Brasil. Estaríamos dispostos a deixar de investir nas viagens daqueles que com esforço próprio conquistaram o direito de representar o país, para investir em treinamento, por exemplo?Devemos investir em treinamento de técnicos? De quem é a função de desenvolver atletas? Das federações ou da CBBOL?
    Como vêm estas são apenas algumas perguntas que devem ser respondidas pela coletividade dos atletas e pelos órgãos digirentes.
    Certamente não existe uma única resposta certa para todas estas questões, mas as mesmas praticas leva aos mesmos resultados… Cabe a nossa comunidade repensar o futuro do esporte.

  144. Asdrubal

    5 de setembro de 2011 at 16:06

    Um último post, já que os outros fogem totalmente ao tópico…
    Para mim os óleos das taças devem ficar a cargo da Federação.
    Os óleos dos brasileiros devem aqueles utilizados em competições fora, mas apenas 1 óleo (ninguém merece viajar com 8 bolas) . E o peso dos campeonatos brasileiros deve ser bem maior que o das taças.

  145. Charles Robini

    5 de setembro de 2011 at 16:52

    Asdrubal
    Caro amigo eu não sei qual verba é essa que você mencionou.Todos os interamericanos são bancados do próprio bolsa, mundial vai quem tem dinheiro porque sempre são muito mais caros.O sul-americano é bancado porque faz parte dos jogos igual o panamericano, senão agente não ia receber nem uma bala 7 belo hahahaha. Então verba para trazer algum técnico esquece viu. Nem camisa nós ganhamos.
    Mudar toda essa estrutura é muito complicado e tem que ter gente com vontade. Primeiro fato é ninguém mais treina, quantos jogadores vão 3 vezes pelo menos por semana. O que eu tenho tentado explicar é o seguinte:
    1- Nós temos que fazer com que os atletas voltem a treinar.A dificuldade pode ajudar nesse fator.
    2- Quanto aos condicionamentos eu coloquei essa idéia exatamente como você escreveu.
    O problema Asdrubal é a PANELA QUE NÃO LARGA O OSSO. Eles mandam nos campeonatos, escolhem óleos, fazem jogo lento e outras coisas. O nome to tópico quem deu foi o bira, porque o nove certo é Diretores e Presidentes de de lixo (salvo algumas excessões).Vamo como dono de uma casa sabe que quem mandam são os caras e o boliche vai de acordo com os interesses deles.

  146. Bira Teodoro

    5 de setembro de 2011 at 20:57

    Charles
    Você lembra desse artigo “Jogadores ou Atletas“, escrito em julho de 2005?

  147. Juan Jr.

    5 de setembro de 2011 at 22:19

    Bitoca vc falou tudo e mais um pouco! Parabéns!
    Com uma hora de boliche custando mais de 50 reais (aqui em BH) haja bolsa atletas para pagar treinamento! Se o teto do bolsa atleta segundo o site da Caixa é de $ 1.500 para esportes não olímpicos entao só de treinamentos este valor fica… sem contar viagens, material, clínicas e etc. Não vejo muita saída.

  148. Charles Robini

    6 de setembro de 2011 at 09:07

    Bira,
    Claro que eu lembro desse artigo e para você ver que não mudo de opinião de acordo com a ONDA. A evolução é algo necessário, mas eu peço que vocês me mostrem qual foi o esporte no BRASIL que cresceu sem resultados expressíveis a nível internacional? O que você acha que vai acontecer com o salto com vara com a medalha no mundial? Vale lembrar que é um esporte caro (a vara custa muito caro), magina transportar via avião, esse resultado vai trazer ganhos para o esporte deles, agora depende como os DIRIGENTES vão tratar essa nova fase.
    Bira digo mais sobre o artigo. Esse artigo foi baseado em um torneio que bati 179 de média e voltei super animado a APRENDER a jogar o boliche das diversas maneiras e desde de 2005 eu critico essa política de como atrair atletas.
    O Asdrubal comentou que o pessoal da Bahia desanimou Bira, mas quantas vezes esse pessoal vai treinar? Eu tenho certeza que 90% desses que pararam vão no máximo no dia do campeoanto ao boliche.
    Quanto ao fato de ser um esporte caro é o seguinte a presença do feriado no balanço do dono de boliche é muito pequena porque não existem nem 10 jogadores que treinam mais de uma vez por semana, a partir do momento que houver uns 100 atletas treinando de 2 a 3 vezes por semana, eu tenho certeza que vai fazer diferença para o dono e ele vai começar a ver os federados de outra maneira.
    Vou contar como fizeram em SP. Eu não me lembro o ano, mas os CLUBES em São Paulo fecharam com o planet um preço fixo para o atleta treinar durante a semana, acho que eram 30 reais por 3 horas. Eu lembro que iam mais ou menos umas 25 pessoas por dia de Segunda a Quinta. Se vocês fizerem o cáculo dá 3mil reais por semana e 12 mil por mês. Eu duvido que esse valor não seja bem considerável para qualquer dono de boliche. Está ai mais uma idéia, que já funcionou. Vamos falar de coisas práticas e que dão resultado a longo prazo.

  149. Charles Robini

    6 de setembro de 2011 at 09:11

    hahahahaha eu conversando aqui do feriado acabei escrevendo feriado haha, mas considere FEDERADO

  150. Marcio Martins

    6 de setembro de 2011 at 12:05

    Charlinho, MEU AMIGO! Pare de levar as discussões constantemente para o lado pessoal.

    Reitero tudo o que eu disse. Ter “condições ideais” para praticar o esporte depende de vários fatores. E o condicionamento, para a expansão da base, não é a prioridade.

    Me diga três campeonatos que você disputou no Brasil no qual você tenha certeza de que todas as regras foram cumpridas. Que ninguém bebeu escondido ou fumou no banheiro. Que tenha tido divulgação e sinalização adequedas. Que não tenha filhos ou parentes de atletas sentados no meio das pistas. Que tenha angariado parceiros comerciais, mesmo que modestos. Que tenha, efetivamente, cara de competição. Difícil, né?

    Aqui, vamos trabalhar para que o turno de seis linhas dure quatro horas. Alguns fatores podem atrapalhar, mas tentaremos isso (e contaremos com a disciplina dos atletas para tal).

    E mais uma coisa: sabemos que você é talentoso, capaz, sinistro e girudo, não precisa ficar reafirmando isso a cada post. Se continuar chato assim, eu – o novo megagirudo do Nordeste – farei mais curva do que você com o côco (verde, ainda com água) que furei na Costa do Sauípe.

    Abraço, MM

  151. Charles Robini

    6 de setembro de 2011 at 14:41

    Bitoca,
    Eu não procurei em nenhum momento te atacar. Acho que possuímos as mesmas opiniões em muitos assuntos.
    Cara não interessa se não foram jogados muitos torneios na regra certa. O que importa é o mandato como diretor, quando você fala tentar, na minha opinião é se curvar. Bom acredito que todos os atletas ADOREM a Bahia e preferem aproveitar mais a cidade, então você só precisa colocar um recado no mural para todos os participantes da taça. Não será aceito atraso no ritmo de jogo, por estarem fumando, bebendo ou enrolando, sendo assim serão feita as MESMAS penalidades de um torneio internacional. Bitoca fazendo isso pronto, atrasou advertência e se atrasar de novo vai e tira o FRAME do cara. Quando vocês peitarem esses 10 jogadores que fazem isso, acabou. Só quero lembrar que esses mesmo 10 jogadores quando jogam um torneio INTERNACIONAL cumpre o horario muito bem, sabe porque? Primeiro que eles são mais um no campeonato e se eles demorarem o cara da ZERO no frame MESMO.
    Cara essa mudança não vai expulsar ninguém do boliche. Isso é apenas força de vontade, só falar que vai fazer e pronto.

    Bitoca precisamos de ação, eu te desafio a fazer isso na taça Bahia e duvido que alguem vai reclamar com você!

    • Bira Teodoro

      6 de setembro de 2011 at 16:58

      Para resolver esse problema, cito minha sugestão “n.º 8. Na falta de um Tribunal Desportivo, elaborar um regulamento detalhado para ser ASSINADO pelo atleta no ato da inscrição, obrigando-se não somente ao pagamento da taxa de inscrição mas também a cumprir as regras de bom comportamento.”
      Ou seja que todo inscrito ASSINE o regulamento do campeonato, onde deverão estar previstas todas as sanções em caso de descumprimento.

  152. Décio Abreu

    6 de setembro de 2011 at 19:54

    Transcrevo aqui parte do E mail que recebi do WC. Para muitos que concordaram com o Daniel Murta, que classificou minha opinião de piada, prestem bem a atenção.
    Tenho algumas divergências com o WC, mas de boliche falamos quase sempre a mesma língua. Em primeiro lugar, divertir-se jogando.
    Para mim, ele tem o melhor approach (longe), a melhor 1a bola, e é quem mais elevou o nome do Brasil no exterior.

    “Isso sim é o meu sonho de consumo, só mulher… em Hong Kong, boas compras e deve ter aremesso de bolinha de ping-pong… boliche com condicionamento da FIQ/WTBA (47 pés – Paris) … FESTA, SEXO E ROCK AND ROLL.
    Olhe os numeros.

    1. Shayna Ng Singapore 3 259 290 257 806 246 290 259 795 1601 266.83
    2. Son Yun-Hee Korea 1 258 256 257 771 279 220 226 725 1496 249.33
    3. Mai Ginge Jensen Denmark 3 259 259 248 766 226 247 247 720 1486 247.67
    (tie) Jacqueline Sijore Malaysia 2 266 279 267 812 258 202 214 674 1486 247.67
    5. Laura Fonnegra M. Colombia 3 279 237 199 715 236 266 226 728 1443 240.50
    6. Anja Ginge Jensen Denmark 2 237 228 265 730 269 235 208 712 1442 240.33
    7. Kim Moon-Jeong Korea 3 259 277 227 763 203 226 249 678 1441 240.17
    (tie) Shannon O’Keefe United States 1 235 265 268 768 234 239 200 673 1441 240.17
    9. Geraldine Ng Singapore 1 226 265 234 725 205 257 244 706 1431 238.50
    10. Clara Juliana Guerrero Colombia 1 193 216 258 667 258 256 249 763 1430 238.33
    11. Tali Itzhak Israel 2 238 181 228 647 279 224 278 781 1428 238.00
    12. Daphne Tan Singapore 1 247 257 227 731 267 209 209 685 1416 236.00
    13. Jeon Eun-Hee Korea 2 258 235 245 738 290 176 207 673 1411 235.17
    14. Zandra Aziela Malaysia 3 247 269 215 731 268 194 214 676 1407 234.50
    15. Sandra Gongora Mexico 3 280 195 248 723 278 201 197 676 1399 233.17
    16. New Hui Fen Singapore 2 247 248 172 667 215 247 259 721 1388 231.33

    A ponteira fez 1601 a 16ª 1388 (6 linhas), e não é uma Taça, é um Campeonato Mundial oficial provavelmente jogado por quem leva o esporte a sério. Ninguém é preciso fazer um pacto de infelicidade para ser feliz, respeitar o que nós velhinhos fizemos é uma obrigação.

    Não entendo por que os boliches que tem maquina manutenção/Gel (óleo), não utilizam os 12 programas da WTBA em seus eventos.
    Sempre pensei grande,

    Abraços

    WC
    Atleta olímpico

  153. Décio Abreu

    6 de setembro de 2011 at 21:57

    Bom, agora que não vou ao Ind Bras, explico porque.
    Estou com forte gripe, mas iria assim mesmo. O WC chegou a me ligar, vai, vc é maior que estes caras. Mas ponderei que não teria prazer nenhum em ir para esperar o Charles bater na minha mão com desprezo e enfiar a mão na orelha dele. Ou olhar para caras como o Daniel Murta, a quem entreguei o voto do nosso clube, pistas de graça para aulas, chave da proshop, e, na primeira oportunidade, me trai, chamando publicamente a minha opinião de piada. E tem o apoio de outros que jogariam na 1.ª div. Até meu parceiro Feliph… O Beto, posso entender, um frustrado que, junto com o MM deveriam abrir uma padaria (mais parecem um pão de forma, menos atletas), mas o Daniel e o Feliph… E o que dizer dos resultados do mundial feminino? A tal de Laura Fonegra (COL) com 266 de média, é só ver o desempenho dela no Sul Americano… Fala sério… E tem um monte de otários que acham que entendem de boliche… Dannyel, que se auto exalta como dirigente, que nem sabe conjugar o verbo haver, Charles, que nem sabe escrever, deveria voltar para o primário, talvez tivesse mais futuro, pois como jogador de boliche ai ai, e vai por aí afora…
    Recebi solidariedade dos maiores jogadores do Brasil. Para receber dos 4 maiores, só falta o Fabio, meu parceiro, que nem deve saber o Febeapá que está rolando…
    Coitado do boliche brasileiro… Só falta ter mais um pangaré como o Asdrubal, Beto, ou Charles como campeão brasileiro para a desgraça ser total.

  154. Décio Abreu

    6 de setembro de 2011 at 23:03

    Ainda sobre o Daniel Murta… No segundo dia da Taça DF, eu reparei que o saque dele estava esquisito. Ele não estava jogando bem, variando muito. Coloquei o dedo no polegar da bola dele, e vi que os tapes estavam mal colocados. Disse a ele para mudar a posição dos tapes e, a partir daí, ele fez 220 de média. Logo quem quer dizer que entende de boliche… Te desafio, Daniel, diz que não é verdade…

  155. Marcio Martins

    7 de setembro de 2011 at 02:20

    Décio, não entendi a minha citação em sua mensagem. Coloquei em meu texto questões pontuais, em relação a dificuldades indiscutíveis para o desenvolvimento do esporte e critiquei o inócuo debate entre currículos que aconteceu durante boa parte da troca de posts deste tópico.

    Você é um dos desbravadores do nosso esporte, tem a minha admiração sincera e nunca lhe faltei com o respeito, tampouco debochei de qualquer opinião sua.

    Definitivamente, só conversarei sobre as tentativas de desenvolvimento do nosso esporte, daqui para a frente, pessoalmente. Daqui nada tem saído além de brigas e mal-entendidos.

  156. Charles Robini

    7 de setembro de 2011 at 22:56

    Décio,
    Cara, primeiramente, você é TÃO PEQUENO COMO PESSOA que sai agredindo todo mundo . Agora, quero que você se FODA. Primeiro que você não bate em ninguém, você é um VELHO ACABADO. Sua época de jogador de boliche deve ser de 1950, porque nunca vi você ganhar nada. Pior… você é conhecido como BOLA DE FERRO do boliche e nem preciso explicar o por que né?! Você não tem história de boliche, nunca ganhou porra nenhuma . Sorte sua que não vem para SP porque eu ia colocar uns 1000 pinos em você, porque você como jogador não serve nem para vender pão em padaria. Engraçado você falar mal do Beto e do Bitoca, primeiro olha o seu tamanho, seu joelho nem agüentou todo esse peso, você não agüenta nem ir correr até os pinos e voltar. O Beto te chamou para uma aposta e você correu de tão fraco como jogador.
    Você não sabe ler neh, porque o Daniel em nenhum momento falou que o seu comentário era uma piada, ele comentou sobre a maneira como o boliche era tratado e como você disse você nem faz parte da federação.
    Bom quando você colocar esses resultados do campeonato mundial juvenil MAIS BABACA VOCÊ É, primeiro que essas jogadoras treinam 7 vezes por semana, tem 10 bolas, fazem academia e tudo mais. E você quer comparar com os nossos jogadores.Você quer comparar um profissional com um amador, uma dica: PENSA ANTES DE ESCREVER.
    E nós não temos que ouvir os VELHOS PORRA NENHUMA, vocês jogaram e ACABARAM. Vai jogar gamão porque no boliche você é um jogador fraco demais.

    • Beto Moleda

      7 de setembro de 2011 at 23:52

      Charles, Bitoca, Daniel ,
      Tem pessoas que não tem a capacidade de serem questionadas, aí a saída é a agressão, falta de respeito e etc… é melhor deixar pra lá, igual eu falei pro Charles na primeira msg.
      Décio, acho que vc não tem espelho em casa e a unica pessoa frustrada que aqui é vc, você não é ninguém pra mim, não preciso de vc pra nada!!!
      Eu escutei uma frase na casa de um amigo “quer conhecer uma pessoa de poder a ela”, e isso é verdade, não conhecia este Décio.
      Deixa de ser ridículo, vc está prejudicando todos os atletas da federação mineira porque eu e o Daniel tivemos uma opinião diferente da sua, ninguém tem nada com isso e vc não é o dono da razão.
      Fala verdade, vc não foi pra SP porque foi fraco e teve medo de ficar em ultimo ja que te convocaram para a primeira divisão, segunda teve bolote no del rey e vc foi um dos únicos que perdeu, aí vc desistiu.
      Ate o Asdrubal que não foi muito a favor da maneira que o Charles escreveu as questões vc ta chamando de pangare, deixa de ser prepotente, arrogante .
      Agora se vc nao consegue ganhar de uma pessoa que nao tem passado, futuro nem presente e ainda parece um pão de forma para pra pensar e para de jogar porque vc é muito ruim !!!!!!!!!!

  157. Beto Moleda

    8 de setembro de 2011 at 00:04

    Ah , esqueci de falar uma coisa pro Dannyel , ate vc que não estava a favor do Charles foi chamado de otario , tem certeza que essas pessoas e que tão certas ????
    Abrs

  158. Bira Teodoro

    8 de setembro de 2011 at 00:42

    Onde vocês querem chegar com esse bate-boca de botequim?
    Seria melhor debater sobre alternativas e ações efetivas.
    Dessa forma, o que era difícil fica impossível.

  159. Charles Robini

    8 de setembro de 2011 at 08:23

    Beto,
    Você tem toda razão, o cara é um COITADO. Só porque jogou um torneio bem já se sentiu o TIM MACK do Brasil. O cara tem inveja do que as pessoas fazem pelo esporte, realmente é um frustrado. Ele é tão pequeno que não sabe argumentar, já sai querendo prejudicar todo mundo. O cara é uma criança mimada, mas é bom que a carapuça caiu e agora as pessoas sabem quem é quem.

  160. Charles Robini

    8 de setembro de 2011 at 08:25

    Bira,
    Me fala aonde que eu ataquei o Décio? O cara me chamo pra toma chopp, só temos opiniões diferentes e o cara vem falar que vai da um tapa na minha orelha, quem ele pensa que é. Ele agrediu todo mundo, menosprezando e tudo mais. Esse são os dirigentes que nós temos, os caras se acham dono do esporte. Sendo assim, se encontramos nessa merda. Estava rolando um bate-papo com opiniões diferentes, dai o cara começa a querer colocar o curriculum dele e depois sente no direito de ofender todo mundo.
    O cara não tem nível, como pessoa se mostro um COITADO. E como jogador repito PASSO O CARRO E APLICO A RÉ NELE A HORA QUE ELE QUISER.!!
    Décio pensa no que você fez e não demore para pedir desculpas!! eu sei que você devia ta mais louco que o BATMAN quando escreveu isso não é possível.

  161. Décio Abreu

    8 de setembro de 2011 at 11:21

    Valeu, Charles, sua última frase está certa. Realmente surtei e me perdi. Peço desculpas a todos. Sei que não justifica, mas estava voltando para jogar com meu filho, e queria, como sempre, que o esporte crescesse. Me desespera ver que Charles, Daniel pensam mais no seu foco internacional do que no geral. Sempre abri mão de pensar em mim, mas beneficiar ou regulamentar o esporte em prol da coletividade, não em poucos de cima, de onde já fiz parte.
    Foi o que disse: quantos jogadores da Taça DF tem pretensões de jogar um Pan? Se queremos crescer, temos que pensar na maioria. Faça uma enquete e veja quantos gostaram da Taça DF e quantos pretendem voltar. Vejo hoje um bras ind com uma lista de nomes bem abaixo de outros tempos em nível técnico. Será que estamos evoluindo? Na minha maneira de ver, não. E o esvaziamento maior de talentos deu-se justamente após 2007.
    Não quero me alongar, mas sempre fui um lutador pelas minhas convicções e acabei surtando, não é meu feitio.
    Quanto às decisões de igualar os descontos para federados ao resto do mercado, foi uma decisão de investimento empresarial. Até esta data nós dávamos 35pc de desconto (a iniciativa foi minha, ninguém pediu) para incentivar o esporte. Sinceramente, não acredito que está compensando, não vejo crescimento com a nova mentalidade, ao contrário, depois de regulamentos que priorizam o top da pirâmide, nossa FMB só encolheu. Não julgamos conveniente investir nesta idéia, não está trazendo retorno. Voltar a 15 pc foi uma decisão puramente empresarial.
    Mais uma vez desculpas ao Charles, Beto, Asdrubal, Bitoca, Daniel, Dannyel e a todos que acabei agredindo. Não posso dizer que estou contente. Só muito frustrado de ver a coisa degringolar e não conseguir ajudar.

  162. Feliph Rosa

    8 de setembro de 2011 at 11:28

    Décio!

    Cada um tem uma opinião!
    Eu sou muito preguiçoso, quando havia os condicionamentos mais seletivos eu fui obrigado a treinar para “tentar” entrar na disputa.
    E gostei de meu desempenho!
    Agora se isto é melhor ou pior para todos quem sou eu para dizer… pra mim foi melhor!

    Quando elogiei o Daniel, não quis lhe diminuir…
    Espero que me compreenda!
    Um abraço!

  163. Décio Abreu

    8 de setembro de 2011 at 12:43

    Obrigado, Feliph. Na realidade me senti ofendido sim, mas talvez vc nem tenha prestado a atenção que minha opinião foi classificada de piada. Eu achei que vc tb concordava com isto.
    Vc sabe o carinho que tenho por vc. Talvez por isto tenho doído. Já passou.
    Um abraço.

  164. Asdrubal

    9 de setembro de 2011 at 00:43

    Bira
    sugestao:
    fecha este topico. Perdeu totalmente o sentido.
    Ps: beijao Decio… Vc eh o kra!

  165. Charles Robini

    9 de setembro de 2011 at 08:32

    Estava lendo uns artigos na internet sobre esportes e olha o que eu encontrei hoje:
    “O espanhol Rafael Nadal mostrou o mal-estar existente entre os jogadores e os organizadores dos torneios de Grand Slam e não descartou que, com a união de todos os tenistas, medidas mais drásticas podem ser tomadas para mudar a atual situação das principais competições do circuito.

    Todos os problemas que vêm surgindo no US Open causaram a irritação dos atletas, e nesta quinta-feira a entrevista de Nadal se centrou quase exclusivamente no assunto. A vitória sobre o luxemburguês Gilles Müller, que garantiu o atual número 2 do mundo nas quartas de final, quase não foi mencionada.

    Para Nadal, os organizadores dos quatro maiores torneios do circuito pensam exclusivamente em seus interesses e se esquecem de que os jogadores são parte fundamental do evento. “Eles têm que mudar algumas coisas, os Grand Slams não podem fazer o que quiserem. A única forma de mudar isso é com os atletas se unindo e com vontade de fazer alguma coisa”, declarou o número 2 do mundo, que pediu a presença de um representante dos tenistas que briguem por seus interesses.
    “No final, nunca mudam as coisas porque nós jogamos tênis, não gostamos de apelar e ficar discutindo outras coisas. Esses torneios são os mais importantes do mundo, têm muita força por sua tradição, significam muito para o mundo do tênis e por isso é complicado mudar. Estão em uma situação bastante cômoda, mas terão que buscar soluções”, avisou.

    Nadal reconheceu, no entanto, que “não é bom para ninguém que as coisas aconteçam como no basquete (o locaute da NBA) ou na primeira rodada do Campeonato Espanhol (adiada em função da greve de jogadores)”.

    Até no tennis quando existe algo errado os atletas se unem , no boliche é o contrario, a panela manda e você aceita, senão melhor parar de jogar.

  166. Marcelo Aguiar

    9 de setembro de 2011 at 10:49

    Esse bate boca deveria estar no programa do Ratinho, o BIRA esta certo, pq vcs nao aproveitam o Bras. Individual para realizar um forum, ou sei la o que junto com a diretoria da CBBOL e federacoes para a melhora do boliche ?

    Maluco, vc é um rapaz educado, gente muito boa, nao fica ofendendo ninguem por ai, fica feio pra vc.

    MM, acho que vou pra Bahia e quero bater 200,00 de media e juro que nao vou no casquinha de siri ( ta aberto ainda ? )

    Abracos.

    • Bira Teodoro

      9 de setembro de 2011 at 10:59

      … e no próximo evento CBBOL vai ter eleição…

  167. Marcelo Aguiar

    9 de setembro de 2011 at 14:39

    Entao Maluco, chama a responsa pra vc, se organiza com mais pessoas que pensam como vc (acho que vc não está totalmente errado, que fique bem claro) e organiza um forum de debates sobre o esporte, hj pela net fica tudo mais rapido e facil, apresentem suas propostas para as diretorias das federacoes e ao presidente da CBBOL, so assim vcs podem alcancar seus objetivos, sem ofender ninguém.
    Nunca falei com o Decio pessoalmente, nem conheco as outras pessoas, mas respeito com o proximo é o principio basico do carater e da educacao, e a ingratidao é um dos piores sentimentos que existe.

  168. Eduardo Issa

    9 de setembro de 2011 at 14:56

    Grande Charles, antes de qualquer coisa, você sabe do carinho que tenho por você e o quanto te respeito, mas se você quer um conselho de um quase senhor de 44 anos, que ADORA o boliche como lazer e MUITO MAIS COMO ESPORTE, então aí vai:
    PÁRA COM ISSO !!!
    Sabe por que? Isso não vai levar a nada, já me revoltei muito com todos os desmandos e armações, já reclamei muito, já me desgastei muito, cansei de ver condicionamentos e regulamentos serem mudados na calada da noite para favorecer amigos, cansei de tudo, xinguei pra caramba e sabe o que mudou ?
    NADA, ABSOLUTAMENTE NADA.
    Cheguei ao absurdo de escutar uma vez de um organizador o seguinte : ” não mudamos nada na passagem de óleo, ela é a mesma, apenas diluímos o detergente para a limpeza das pistas”, GÊNIO !!! O cara era um gênio, mudou tudo sem alterar nada !?!?!?
    E não tenha a esperança de que um dia o boliche será considerado como esporte, porque não será, NUNCA. E se for considerado esporte um dia, não será por culpa de ninguém que está no cenário de hoje. O bonde do PAN já passou e apenas 2 ou 3 pessoas subiram e não foram os HERÓIS MEDALHISTAS, veja o que eles dois estão fazendo hoje.
    Quando leio você no mural ou blog, lembro de mim, uns 5 anos atrás, eu era apaixonado por tudo isso, eu treinava 3 vezes por semana, até splits treinava, me filmava, voltava para pista, mexia nas bolas, etc, etc…
    Uma vez questionei à FPBOL, o porquê de sempre usar o mesmo condicionamento baba. E sabe qual foi a resposta ? “Você está reclamando porque agora não está mais ganhando todos…” Eu falei: ganhar o que? Medalha? Quem quer ganhar medalha? Não tenho lugar para guardar mais medalhas e disse mais: jogo na seleção de SP quando eu quiser, estou entre os 6 melhores de SP, mesmo com esse joguinho ridículo que tenho, independente do que passarem na pista do lado esquerdo e se não passar nada melhor ainda, essa é a mentalidade pequena, que o Bira comentou lá no começo, que não enxerga um palmo à frente do umbigo (sorry… depois de tanto currículo aqui, baixou um momento ALTER EGO – EU SOU FODA, em mim, rsrsrs)
    O que estamos fazendo em SP é um assassinato de talentos. A margem está com 5 ou 6 tábuas, a nova geração não precisa repetir bola porque tudo leva ao pocket, então porque vou preocupar em acertar a seta, investir em material, estudar boliche, basta manter a velocidade e tudo bem.
    Nosso amigo Renan já está com 28 milhas de velocidade, se continuarmos sempre com o mesmo condicionamento aqui em SP, até o fim de 2012 ele chega a 35 milhas e ele sabe disso.
    Se condicionamento baba trouxesse atletas, SP hoje teria uns 2.000 atletas, no mínimo, todos destros, é claro. Todos sabemos que não é isso que vai atrair gente. A coisa está muito mais próxima da SERIEDADE e PLANEJAMENTO, do que do condicionamento. Me lembro bons anos atrás que um dia cheguei ao antigo SANPA’S numsábado de manhã e vi um monte de moleques jogando e o Júlio Abraão (presidente FPBOL), Geraldo, e outros craques orientando mais de 50 meninos e meninas, nunca mais vi isso.
    Neste último mundial, o Mauro e o Carrasco assustaram com o condicionamento, porque tinha uma tábua e meia para acertar o pocket.
    Concordo com você, com o Décio, com o Bira e com o Martinelli quando ele disse que pelas circunstâncias em que o DF estava, esta tinha que ser uma taça festiva, todos têm um pouco de razão, precisamos encontrar o equilíbrio disso tudo, só discordo e DISCORDO RADICALMENTE, quando o Martinelli disse que enquanto fosse da federação você não jogaria mais lá. Nenhum dono de boliche e nem dirigente tem este poder, por mais macho que seja, e se isto ocorrer, a federação pode ser desfiliada da confederação. Talvez isso seja apenas um reflexo do que ele e outros atletas sofreram lá em Brasília, mas pelo pouco que conheço do Martinelli, sei que ele tem bom senso e refletindo com mais calma sabe que errou ao escrever isso.
    Só existe uma forma de o boliche crescer: é todos sentarem para conversar e esquecer os ranços do passado, seus interesses pessoais e pensarem no bem comum, mas isto, não são os dirigentes que não estão preparados, o ser humano ainda não está preparado. Nunca deixaremos os interesses pessoais em prol do coletivo.
    E por mais que alguém venha aqui falar que: “quando eu era isso, eu fiz aquilo e depois mais aquilo” e blá, blá, blá… Isso não resolveu e não resolve o problema do coletivo, não estou fazendo menção à ninguém que escreveu até aqui, por favor, sem ataques pessoais.
    Lembro-me muito bem que em Novembro de 2006 o então presidente da FPBOL, Marcos Tadeu, me deu permissão para ser seu representante em uma reunião da CBBOL, às vésperas do PAN. A minha sugestão foi de fazer um projeto decente e bem fundamentado para a prefeitura, o estado, governo federal e o COB com programas de boliche-recreação para crianças de escolas públicas, idosos, portadores de deficiência, etc. Não tenho dúvidas que conseguiríamos a construção de um centro de boliche com 20 pistas, que mal administrado renderia o suficiente para mandar nossas seleções para treinar e jogar todos os torneios do mundo e uniformizados (joguei 2 mundiais e 1 interamericano e nunca recebi uma camisa da seleção brasileira, sempre tivemos que providenciá-las, QUE VERGONHA!). Era só ver o exemplo da nossa vizinha Venezuela. Mas… bom, deixa para lá.
    ISSO PARA MIM SERIA CRESCIMENTO. Quantos Zé Veigas, Décios, WCs, Márcios (não o Bitoca e nem o Gontijo), Júlios (Abraão), Cacos, Fernandos Rezendes, Katos, Julianos, Fábios (Rezende e Grossi), Rodrigos, Marcelos, Charles, Feliphs, Williams (desculpem-me quem esqueci, o Alzheimer já começa a fazer efeito) e essa mulecada que vem vindo aí e muitos outros craques teriam saído daí?

    Nós já tivemos e ainda temos muitos craques, é RIDÍCULO estarmos onde estamos.
    Hoje o boliche está em décimo quinto plano na minha vida (meu filho está nos 14 primeiros), ainda tenho muita garra nas pistas, mas fora dela, sinceramente, CANSEI, não tenho mais coronária para isso e nem bolsa escrotal.

    Então meu caro Charlito Ventania… eu tinha escrito tudo isto para você, logo no começo desta discussão e guardei comigo por 3 semanas, mas agora depois de tudo que li aqui, eu te digo:

    VÁ EM FRENTE IRMÃO, DEFENDA SUAS CONVICÇÕES, APENAS RESPEITE AS PESSOAS E NÃO ENTRE NA BAIXARIA, DISCUTA IDÉIAS E NUNCA PESSOAS.

    Boa sorte, mesmo de longe, eu torço para que um dia isso tudo mude.

    E BOLA PRA FRENTE NA TÁBUA 10, que é a única coisa que sei fazer.

    • Bira Teodoro

      9 de setembro de 2011 at 21:26

      Caro Eduardo Pero Vaz de Caminha Issa
      Qual a saída para arranjar verbas para o boliche?
      Ou existe um jeito de desenvolver e difundir o boliche sem grana?

  169. Eduardo Issa

    9 de setembro de 2011 at 21:48

    Nunca falei que tem que ser sem grana.
    Mas essa obrigação não é minha, sou atleta e pago minhas contas em dia, aliás já paguei camisas para a CBBOL e até hoje eu e o Daniel estamos esperando as 5 inscrições que foram prometidas e até hoje nada, mas como aqui o fio do bigode não vale nada, deixa pra lá.
    Mas, caro Bira JFK Teodoro, quem se mete a ser dirigente é quem tem que dar as soluções. Qual foi o último projeto de dirigente que você se lembra ?
    Um grande abraço, meu festivo amigo, rsrsrs.

    • Bira Teodoro

      9 de setembro de 2011 at 22:08

      Caro Arregou Issa
      Como você não sabe como arrecadar grana?
      Pensei que você seria o nosso candidato à CBBOL no final do ano…
      Lá se foi minha última esperança…

  170. Marcelo Aguiar

    10 de setembro de 2011 at 10:15

    Issaaaaaaaaaaaaa,
    Meu candidato e Bira Diretor Social, posso ser o vice do Bira, mas me conhecendo bem nao vai dar certo.
    Vou começar a mexer onde nao sou chamado a partir de segunda-feira, vou tentar levantar a antiga CBBS ( clube de boliche da Baixada Santista ) vcs acham que vou conseguir ? Vou tentar, vou dar minha contribuiçao ao esporte / lazer boliche, mas com o Issa falou e bem, sempre com respeito aos outros.

    • andre pak

      21 de setembro de 2011 at 09:53

      Marcelo Aguiar vai em frente cara. Este pessoal da baixada faz muita falta. Torço muito por isso, e aproveita o boliche da Praia Grande, será que está bom ?

  171. Eduardo Issa

    10 de setembro de 2011 at 23:41

    Festivo amigo Bira,
    sei muito bem como arrecadar grana, quer seja para o boliche ou para outro esporte e você também sabe muito bem (talvez até mais que eu). PROJETO, PERSISTÊNCIA, PLANEJAMENTO, SERIEDADE, APOIO DA COMUNIDADE (atletas), COMPROMETIMENTO tudo isso é vago, mas é indispensável. O grande problema é que para isso o presidente da CBBOL teria que viver e respirar 24h por dia o boliche e isso é impossível para nós, todo mundo tem que cuidar da sua vida profissional, além da pessoal. Não tenho dúvidas que o Geraldo teve um decréscimo financeiro no seu consultório depois que assumiu a CBBOL. Não tenho pretensões de assumir nada, até porque ainda me acho competitivo nas pistas.
    O seu projeto é muito bacana, mas com toda a sinceridade, não penso que são os atletas que têm que encher o caixa da CBBOL. Você sabe que a grande base (2.ª, 3.ª, 4.ª e demais divisões ) não vê com bons olhos pagar para que alguns 10 ou 15 tenham condições de viajar, o índice de sinistralidade no segundo semestre, daqueles que se distanciaram dos líderes, seria muito alto. Nenhuma empresa (e a CBBOL deveria ser uma) pode ter um planejamento bem executado quando este risco é alto.
    E bola pra frente, na tábua 10…

    • Bira Teodoro

      10 de setembro de 2011 at 23:52

      Caro faro fino Issa
      Reveja minha proposta e você confirmará que a grande base não irá contribuir com nada além das pretensões dela mesma. Se as divisões da base quiserem participar apenas do ranking regional, irão contribuir apenas para isso. E terão RETORNO das mensalidades, diretamente através da redução das taxas dos campeonatos e isenções para os campeões e indiretamente com fortalecimento dos clubes e federação, que acabará por facilitar as clínicas de aperfeiçoamento técnico.
      Jogo que segue… (como diria o Bartho)

  172. Wagner Cerchiai

    13 de setembro de 2011 at 11:11

    Para todos.
    Bem, voltando ao tema óleo festivo ou seletivo.
    Antes de mais nada, devemos ter educação para com qualquer pessoa, ainda mais dentro do nosso núcleo, o do Boliche, pois somos todos atletas ou colegas de uma mesma comunidade.
    Após toda a discussão sobre o óleo festivo de Brasília, no qual eu creio que quem organiza a taça, tem o direito de escolher o óleo e tecnicamente, no óleo fácil os atletas com maior técnica ainda se destacam, talvez com menor distância , do que no condicionamento mais difícil, em relação aos atletas com menor técnica(divisões mais baixas), como no meu caso. Bem, óleo fácil ou difícil, a condição é igual para todos e ninguém tem que reclamar, o óleo está lá, bem como a pista, pois já imaginou se na Fórmula 1 ou na Moto GP os pilotos se negasse a correr com chuva, ou na pista ondulada de Interlagos?
    Bem, agora, creio que devamos reiniciar a discussão sobre o condicionamento, pois nesta edição do Brasileiro Individual, o condicionamento foi um programa de 42,5 pés, World Cup. Bem, após médias muito baixas nas primeiras divisões e claro, nas outras então mais baixas ainda, resolveram mudar o programa para o 16, considerado um óleo fácil e ideal para 6 a 8 linhas, por ser mais carregado no meio e se mantendo por mais tempo.
    Bem, e agora, como ficamos, após toda essa discussão sobre Brasília que foi uma Taça, o óleo foi alterado sem aviso aos atletas no sábado, terceira rodada para um programa mais festivo ou fácil no Brasileiro Individual !!!! A competição mais importante do nosso Boliche.
    Para finalizar, todos sabem que as condições no Tiger são mais técnicas que no Planet, é lá, mesmo todos jogando muito abaixo de suas médias, todos tentavam se achar na terra de Lost, mas nínguem pensou em pedir para mudar o programa.
    Vamos então agora iniciar a discussão do óleo para os torneos Brasileiros, pois o programa 42,5 foi colocado na máquina pela FPBOL, e se os atletas acharam esse difícil, nem imaginam o programa 18 como é, esse sim é dureza.
    Quem quiser, pode me solicitar TODOS os programas da AMF Summit, temos todos na FPBOL, Factory, Tournament, Sport, etc…
    abraço a todos, e peço mais respeito no uso deste maravilhoso meio, onde podemos colocar as nossas opiniões para tentar chegar a um melhor desenvlvimento do nosso esporte.
    Wagner Cerchiai

  173. Lucas Rodrigues

    13 de setembro de 2011 at 13:18

    Pelo que eu entendi foi mudado para o 16 apenas no Tiger correto?
    No Planet estava realmente diferente nos últimos dois dias mas acredito que foi pela melhora da limpeza ( ao menos foi o que alegaram).
    Também ouvi que óleo foi mudado no Tiger após decisão dos jogadores, a informação procede? É bom esclarecer isso pra que não se crie mal entendidos.
    Em São Paulo temos um problema que vem antes de escolher o programa e seu grau de dificuldade. Precisamos de boliches que propiciem boas condições técnicas, tanto em óleos fáceis quanto em padrões internacionais. Na minha opinião São Paulo não tem hoje condições de sediar um evento do porte do Brasileiro Individual. É claro que Villa e Striker Granja Viana estão entre os melhores boliches do país mas não tem havido grandes esforços por parte dos dirigentes para se realizar competições lá. Guarulhos também é uma opção bem melhor que Planet e Tiger visto que adquiriam uma máquina nova.

    Lucas Rodrigues

    • Bira Teodoro

      13 de setembro de 2011 at 14:13

      Lucas
      A única coisa que foi mudada no Tiger com a participação dos jogadores foi o horário e o número de pistas, por conveniência dos participantes. O Geraldo informou que faria a mesma coisa no condicionamento dos dois boliches, ou seja, limpeza dupla no arremate, não disse que mudaria o programa.

  174. Lucas Rodrigues

    13 de setembro de 2011 at 14:28

    Bom então continuo achando que o que mudou foi realmente só a limpeza.

  175. Adilson Balthazar

    13 de setembro de 2011 at 14:38

    Wagner Cerchiai,
    Você pode dizer em qual boliche houve a mudança do programa?
    E quem solicitou?
    Obrigado.

  176. Renan Zoghaib

    13 de setembro de 2011 at 17:04

    Se só mesmo a limpeza foi alterada, já caracteriza uma mudança no condicionamento!

  177. Wagner Cerchiai

    13 de setembro de 2011 at 20:44

    A todos e em especial ao Lucas e Adilson.
    O programa de óleo foi mudado nos dois boliches, é uma afirmação da qual eu tenho certeza, foi informado a mim pelo Kao, gerente do Tiger e igualmente repetido no Planet, até porque se fosse feito em apenas um dos boliches seria muito pior. No Tiger não houve mudança na limpeza, não sei se houve no Planet.
    Quem solicitou foi a CBBOL. e isso ocorreu na manhã do sábado.
    Acho que o pior é mudar e não avisar os atletas, eles merecem respeito, além do que, alguns alteraram as superfícies de suas bolas.
    Não concordo com você Lucas, São Paulo tem plenas condições de sediar qualquer torneio, no Planet, no Tiger, futuramente do Internacional e no Granja a qualquer momento. O fato do Tiger e Planet serem antigos e diferentes, dá mais motivação nas competições. A FPBOL quando realiza competições do Planet, através de seus auxiliares, promove um pagamento extra para fazer a limpeza antes do torneio, bem cedo, o que é feito no Tiger na noite anterior, o que torna as coisas mais difíceis é o tipo de máquina que usa rolo e as pistas antigas com topografia muito variável, sim é difícil jogar mas é difícil para todos.

    Wagner Cerchiai

  178. Bowlshop 300

    14 de setembro de 2011 at 01:19

    Suspeitei desde o princípio!!

  179. Bruno Cabeça

    14 de setembro de 2011 at 10:20

    Por motivo de viagem a trabalho, não pude jogar o brasileiro individual.
    Pelo que eu entendi, a mudança foi feita pela CBBOL com o conhecimento dos atletas (TODOS) para que pudesse trocar seu material. Por favor alguém que jogou confirme.
    Abraços

  180. Adilson Balthazar

    14 de setembro de 2011 at 11:09

    Wagner Cerchiai,

    obrigado pela resposta.

    A todos,

    isso é uma VERGONHA e também um dos motivo do nosso esporte não crescer.
    Pra mim, isso é manipulação de resultado e em hipótese alguma poderia acontecer.

    Mesmos não tendo ido para SP estou indignado com o ocorrido, imagina os jogadores que estiveram lá.

    Abs.

  181. Wagner Cerchiai

    14 de setembro de 2011 at 11:50

    A todos e Bruno e Adilson.
    A mudança foi feita sem nenhum aviso aos atletas, eu senti a diferença no bate-bola e comentei com o Kao (gerente do Tiger), ele falou, “claro, mudaram o programa”. Afirmou ter recebido a solicitação da CBBOL.
    Acho que seria o mínimo, avisar os atletas para que durante o bate-bola pudessem corrigir o material e se achar com maior rapidez e com menos desgaste, já que todos estavam meio perdidos com o programa 42,5, poderia até ter sido aumentado o tempo do bate-bola.
    abraço,
    Wagner Cerchiai

  182. Charles Robini

    14 de setembro de 2011 at 18:33

    Eu já falei que a palhaçada é grande no esporte. O triste é que o pessoal só resolve se pronunciar quando eles são os prejudicados. É até ridiculo ver algumas pessoas comentando aqui, mas tudo bem o direito é livre. Esse brasileiro assim como os outros foi uma PALHAÇADA, mas ninguém quer mudar nada, vai haver outra eleição e os caras VÃO CONTINUAR. Eu desisti já!

  183. Renan Zoghaib

    14 de setembro de 2011 at 19:28

    Eu não fui prejudicado, eu me prejudiquei por mim mesmo!!
    Não aceitei e não vou aceitar esses tipos de atitudes, larguei mão mesmo!

  184. Rodrigo Costa

    19 de setembro de 2011 at 17:17

    Moçada,

    Antes do primeiro dia terminar eu olhei a listagem de classificação e vi que nenhum atleta de SP estava entre os primeiros. Alguém do meu lado comentou isso e eu disse, pode anotar que nos dois últimos dias isso será diferente.

    O que realmente me deixou perplexo, nem foi a mudança, que sempre ocorreu e sempre vai acontecer, mas sim o fato de passar ou não passar óleo pras finais!?!?!?!?

    Se tudo fosse dito antes, tudo bem, mas ao final do torneio, ver as condições pra saber se vai passar??!?!? Dependendo de quem classificar passa, senão não passa? Realmente não entendi.

    Acho que o combinado não é caro e pra mim, foi realmente a única coisa nova (!?!?) e errada desse brasileiro.

  185. Charles Robini

    19 de setembro de 2011 at 19:10

    Rodrigo,
    Esquece isso porque você sabe que as coisas acontecem, mas ninguém assume nada. Bom o pessoal fala em plano de ação para melhorar o esporte, mas você sabe que depois da eleição é ARMAÇÃO, desrespeito e ninguém assume nada.Cara o BOLICHE é FESTA, então vai procurar outro esporte. Não existem regras.
    um abraço
    Colocarem você na segunda divisão foi mais um caso lamentável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *