HISTÓRIA DO BOLICHE

Egito – História do Boliche

Na história do Boliche, conta-se que um arqueólogo inglês encontrou numa tumba de uma criança egípcia, pinos e bolas que poderiam ser de um jogo, talvez até um tipo de Boliche primitivo.

Em maio de 2007, uma equipe de arqueólogos descobriu, após escavações realizadas na área de Kom Madim, província de Al Faiyum, a 100 km da capital do Egito, uma espécie de sala de um jogo bastante similar ao boliche.

Essa sala não tem teto e o chão é coberto por blocos de granito. Neste local, cientistas italianos encontraram duas bolas de granito, utilizadas no jogo.

Os arqueólogos afirmam que é a primeira vez que se descobre uma construção com essas características no Egito.

O achado data da dinastia grega dos Ptolomeus (332 a.C. – 30 d.C.), conforme informações da Mena, agência egípcia de notícias.

Imagem de uma espécie de sala de um jogo bastante similar ao boliche, encontrada no Egito.

A diversão dos guerreiros bárbaros

Outra lenda, um tanto macabra, conta que guerreiros de tribos antigas divertiam-se após as batalhas.

Eles usavam os ossos das coxas de seus inimigos como alvo de crânios, que eram lançados colocando-se o polegar e outro dedo nas cavidades dos olhos.

Inglaterra – História do Boliche

No século XII surgiu na Inglaterra um jogo de Boliche na grama, que tinha por objetivo colocar a bola o mais perto possível do alvo porém sem derruba-lo.

A popularidade desse jogo chegou ao ponto do Rei Eduardo proibir a sua prática, pois temia que ele superasse o Arco e Flecha, esporte que tinha maior importância militar.

Alemanha – História do Boliche

Porém, a versão moderna do Boliche nasceu por volta do Século III ou IV na Alemanha.

Nessa época tinha conotação religiosa e era jogado com 9 pinos colocados em forma de losango.

Os fiéis jogavam pedras em direção à um bastão que carregavam para se protegerem (denominado “Kegel”).

O “Kegel” representava o Céu, dessa forma quem conseguisse derrubá-lo, estaria se livrando dos pecados.

Diz-se que Martinho Lutero gostava tanto desse jogo que mandou construir uma pista particular de Boliche em sua casa.

Foram encontradas várias referências ao esporte Boliche em toda a Idade Média na Alemanha.

Há relatos de leis que limitavam as apostas em partidas de Boliche foram promulgadas em 1325.

Um importante festival em Frankfurt tinha o Boliche como a principal atração.

Europa – História do Boliche

A partir daí essa modalidade esportiva se espalhou pela Europa.

As primeiras regras do Boliche foram desenvolvidas na Holanda por volta de 1650.

Convencionou-se a disposição dos nove pinos na pista em forma de diamante.

Ainda hoje essa versão é disputada principalmente na Europa.

Estados Unidos – História do Boliche

A versão com os 10 pinos (“ten-pin”) dispostos na forma triangular, é a que mais conhecemos.

Essa forma foi criada nos Estados Unidos no século XIX.

As regras atuais do “ten-pin bowling” foram criadas em 1875 com o surgimento da Associação Nacional de Boliche dos Estados Unidos (USBNA).

A USBNA durou pouco tempo, da mesma forma que a sua sucessora, a União Americana de Boliche Amador.

Porém, essas duas entidades ajudaram a consolidar o esporte Boliche nos Estados Unidos.

Também foram importantes para difundir essa modalidade de dez pinos para a Europa, no início do século XX.

Em 9 de setembro de 1895, foi organizado em New York o Congresso Americano de Boliche (ABC, American Bowling Congress).

O ABC, sediado em Milwaukee, tem com o objetivo primordial aplicar medidas corretivas contra os excessos de jogatina e aperfeiçoar ainda mais as regras.

O equipamento de Boliche foi então totalmente padronizado para que os jogadores de todo o mundo pudessem competir em igualdades de condições.

Padronização internacional

Seis nações, a Dinamarca, a Finlândia, a Alemanha, a Holanda, a Noruega e os Estados Unidos fundaram, em 1926, a Associação Internacional de Boliche.

A primeira instituição a coordenar e normatizar o boliche no mundo foi a IBA (International Bowling Association).

Em 1952, a IBA transformou-se na FIQ (Fédération Internationale Des Quilleurs).

O esporte Boliche é reconhecido pelo COI (Comitê Olímpico Internacional) desde 1979.

worldbowling.org

Em 2014, as Organizações Internacionais de Boliche e a FIQ foram unificadas sob a denominação WORLD BOWLING para expandir o alcance e a relevância do Boliche como esporte em todo o mundo.

Além do ABC (American Bowling Congress) existem outros órgãos importantes no Boliche dos Estados Unidos, tais como:

o WIBC (The Women’s International Bowling Congress) fundado em 1916;

a YABA (Young American Bowling Alliance) fundada em 1982 e

a PBA (The Professional Bowlers Association) fundada 1958.

Hoje existem mais de 65 milhões de praticantes somente nos Estados Unidos, onde as premiações chegam aos milhares de dólares, tanto para os profissionais como para os amadores.

No mundo, atualmente, existem cerca de 250.000 pistas de Boliche e mais de 100 milhões de praticantes em mais de 90 países e 10 milhões de competidores.

Nos jogos olímpicos o Boliche teve apenas uma única participação em 1988, na condição de esporte exibição, realizados em Seul, capital da Coréia do Sul.

O Boliche no Brasil

A participação brasileira no boliche como esporte de demonstração, nas Olimpíadas de Seul, na Coréia.

A fase de demonstração olímpica antecede a definição de um determinado esporte como parte do programa olímpico.

Apenas doze países foram convidados para um torneio amistoso, entre eles o Brasil, representado por Walter Costa.

Nos Jogos Pan-Americanos o Boliche faz parte do calendários desde 1991, quando foram realizados em Havana, Cuba.

Em São Paulo, onde está a maioria dos Boliches brasileiros, houve um período (1963/69) no qual existiam na cidade 96 centros de Boliche.

Infelizmente, essas casas não conseguiram manter as atividades por muito tempo, em virtude da má qualidade de suas pistas e bolas.

Nessa época muitos nomes conhecidos foram proprietários de Boliche, tais como: Elis Regina, Roberto Carlos, alguns jogadores de futebol, entre outros.

Antes das máquinas, eram pinboys que recolocavam os pinos.

Desses todos o último a fechar foi o Gran Boliche, localizado na Avenida Santo Amaro, São Paulo, SP.

No Gran Boliche os pinos derrubados ainda eram recolocados na posição por pessoas apelidadas “pinboys” (foto à esquerda).

Em 1982 instalou-se o primeiro Boliche oficial automático no Brasil.m

Montado pela empresa Playcenter no Morumbi Shopping, o Morumbi Bowling Show, deu início à uma nova fase para esse esporte.

Porém, hoje, esse boliche não existe mais.

Em 1989, Fernando Rezende, conquistou a primeira medalha de OURO internacional para o boliche brasileiro.

Essa primeira conquista internacional do boliche brasileiro foi na Fase Individual do Campeonato Mundial Sub-23 disputado nas Filipinas.

Em 1996 o fechamento desta casa encerrou essa fase do Boliche paulistano, embora esse sistema de “pin-boy” ainda sobreviva em algumas cidades do interior.

Tanto na capital como no interior também existem Boliches com levantadores de corda (Sistema Europeu) que possuem um grande número de praticantes.

Boliche Brasil (ex CBBOL – Confederação Brasileira de Boliche)

As instituições Brasileiras de Boliche

O Conselho Nacional de Desportos reconheceu o Boliche como modalidade desportiva a ser dirigida por entidade competente.

Boliche Brasil (CBBOL)

Foi criada, então, a CBBOL (Confederação Brasileira de Boliche), conforme Deliberação n.º 05/80 de 13 de junho de 1.980, baseada na Lei 6.251/75 e Decreto n.º 80.228/77, em razão do processo CND 1.295/80.

Federação Estadual Paulista

A FPBOL (Federação Paulista de Boliche) foi fundada em 14 de janeiro de 1.986 para dirigir, promover e aperfeiçoar o Boliche no Estado de São Paulo.

Origem da palavra Boliche

Sobre a origem da palavra Boliche (segundo o Dicionário Houaiss), conforme a Etimologia (estudo da origem e da evolução das palavras), trata-se de um espanholismo.

Boliche / rede, pequena rede de pesca, do catalão bolitx, ligado ao grego bolídion, diminutivo não documentado do grego bólos rede, rede de pesca por influência de bola (do latim bulla bolha, borbulha, objeto redondo, bola).

O vocábulo passa a designar, por metonímia, a casa onde se jogava com bolas.

Depois, por volta do século XVII, o conceito foi ampliado para tipo de jogo com bolas.

A cantina, geralmente militar, onde o proprietário ganhava (“pescava”) o dinheiro de quem ali praticava o jogo Boliche.

O vocábulo passa ao português com essa primeira acepção e por extensão toma também no Sul do Brasil.

O sentido de Boliche como taverna pobre, bodega, usual na América espanhola do século XIX.